Documento único e chip na mão. Controle?

documentoA Comissão de Constituição de Justiça do Senado Federal aprovou na manhã desta quarta-feira (5) a criação do Documento de Identificação Nacional (DIN). O projeto, de autoria do Executivo e cujo relator é o Senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), segue agora para apreciação no plenário da casa em regime de urgência. O projeto havia sido aprovado em plenário pela Câmara dos Deputados em fevereiro deste ano. O DIN reunirá em um mesmo documento, que será impresso pela Casa da Moeda, a carteira de identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Título de Eleitor e Cadastro de Pessoa Física (CPF). A nova cédula será emitida pela Justiça Eleitoral dos estados, com base no registro do CPF dos cidadãos. O documento conterá ainda foto e informações biométricas. O projeto prevê ainda a criação da Identificação Civil Nacional (ICN), que será o banco de dados que unificará as informações de identificação do cidadão. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será o órgão responsável pela gestão do ICN. A base de dados permitirá ainda que os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além das polícias Civil e Federal tenham acesso às informações nele contidas. (G1 Notícias)

chipEnquanto isso, na Suécia, trabalhadores concordaram em receber gratuitamente na mão implantes de microchip para maior monitoramento. O dispositivo do tamanho de um grão de arroz também permitirá abrir portas, acessar equipamentos eletrônicos e outras funções. Patrick Mesterton, um dos fundadores da Epicenter, empresa que ficaria responsável pelos implantes, disse que o chip vai simplificar a vida. Ele destaca que o equipamento pode ser levado a qualquer lugar e com ele poderão até ser pagas contas. Na Suécia já há um grande movimento pela abolição do dinheiro físico. Até em uma simples padaria só aceitam cartão. É raro encontrar um estabelecimento comercial, por mais simples que seja, que ainda aceite receber dinheiro como pagamento. (Com informações da ABC Net)

Nota: É interessante notar a crescente aceitação dessas novidades que, de fato, podem aumentar o monitoramento das pessoas. Em tempos de redes sociais, é extremamente fácil saber quase tudo sobre qualquer pessoa conectada à internet – com ou sem chip. Mas tanto o documento único quanto o famoso chip facilitarão bastante o controle e o monitoramento dos cidadãos, com o consentimento deles. O livro do Apocalipse prevê um momento em que os fiéis não mais poderão comprar nem vender e terão suas liberdades cassadas. Evidentemente que para isso acontecer deverá haver algum tipo de controle efetivo. É aí que podem entrar essas novas tecnologias? Pode ser. Agora, não sejamos ingênuos de pensar que o documento, o chip ou qualquer coisa dessa natureza (como aconteceu com o famigerado código de barras, anos atrás) constituiriam a marca da besta descrita em Apocalipse 13. O inimigo de Deus não seria tão tolo. Os vídeos abaixo ajudam a esclarecer o assunto. [MB]

Leia mais sobre o chip aqui.

Anúncios