Grupo LGBT cria versão gay da Santa Ceia

divercityA organização LGBT DiverCity, de Salerno, no sul da Itália, está causando polêmica no  país depois de criar uma versão gay e erótica do famoso quadro da Santa Ceia para divulgar [uma festa realizada na] Quinta-feira Santa. A imagem mostra Jesus e seus 12 discípulos nus e seminus, beijando-se e fazendo sexo de diversas formas. Previsivelmente, a brigada conservadora da Itália, ainda não plenamente recuperada do fato de que a união civil está legalizada no país desde maio do ano passado, resolveu bradar pela censura da imagem e o cancelamento do evento. Raffaele Adinolfi, representante local do partido Il Popolo della Famiglia, declarou: “Nós do Popolo della Famiglia podemos apenas expressar publicamente nossa indignação e convidar todos os habitantes de Salerno, crentes e não-crentes, a fazerem o mesmo.” O partido de que faz parte se opõe ao casamento homoafetivo, ao aborto, ao divórcio e ao uso de barrigas de aluguel.

A festa “Divercity Easter Edition” tem como lema “não somos blasfemos, somos alternativos!” A resposta de Adinolfi a isso é que a imagem é “ofensiva, e alternativa a apenas uma coisa: o bom gosto”. E continua: “Seria de bom tom se os proprietários e gerentes do evento cancelassem a festa por respeito à comunidade como um todo e a suas tradições – o mesmo respeito que as minorias exigem mas frequentemente não estão dispostas a conceder.”

Emanuele Avagliano, um dos organizadores da DiverCity, defendeu o evento num post no Facebook: “Queremos reafirmar nosso respeito pela opinião alheia, mas igualmente reiteramos com força e convicção nossa liberdade para vivermos e nos divertirmos da maneira como acharmos melhor. Além disso, enfatizamos que a peça de comunicação que utilizamos não tem como intenção blasfemar, nem ofender, nem desrespeitar. […] Nossas cores, nossos sorrisos e nossos corações não podem nem devem ser contidos por pessoas que se escondem por trás do racismo político e da homofobia.” […]

(UOL Notícias)

Nota: Difícil entender a lógica de quem desrespeita um símbolo do cristianismo e depois reclama de que a reação a essa atitude de afronta se trata de “homofobia”. Estamos vivendo em uma sociedade na qual os direitos de alguns têm se sobreposto aos direitos de outros. Os cristãos têm o direito de ter sua religião respeitada, tanto quanto os homossexuais têm o direito de ter sua opção sexual respeitada. Imagine se cristãos decidissem fazer uma campanha de marketing que envolvesse vilipendiar a bandeira LGBT… Seriam “destruídos” na mídia e alvo de manifestações intolerantes. Direitos desiguais. Jesus é o criador do casamento heterossexual. A Bíblia não abre espaço para qualquer outro tipo de casamento. Portanto, que as entidades LGBT se valham de outros símbolos para promover suas ideias. [MB]

Leia também: “Em torno da causa gay” e “Mundo caminha para a aceitação do ‘casamento’ gay”

Anúncios