Derrubando o mito da Terra plana com uma simples experiência

IMG_7403Estive recentemente na Argentina, onde participei de um simpósio teológico organizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul. No fim da viagem, aproveitei o tempo de espera pelo voo que me levaria a São Paulo e fiz uma experiência relacionada com a esfericidade da Terra. Algo bem simples e até óbvio – ou pelo menos deveria ser, já que aumenta o número de pessoas que têm sido enganadas pelo mito da Terra plana. Sim, em pleno século 21, isso está acontecendo! O pior de tudo é que quem tem defendido essa ideia estapafúrdia em vídeos e textos na internet diz fazê-lo em defesa da Bíblia. Com isso, dão um tiro no próprio pé ou, pior, atendem aos interesses de pessoas que querem mesmo é detonar a imagem do cristianismo e do criacionismo. Em primeiro lugar, é bom que se saiba que a Bíblia nada diz claramente quanto ao formato da Terra. Aliás, já postei um texto sobre o que as Escrituras e Ellen White afirmam sobre esse assunto (confira aqui) e mostrei tempos atrás (neste texto e neste vídeo) que o propagado mito da Terra plana, na verdade, atende mesmo aos interesses dos evolucionistas naturalistas inimigos da fé cristã. Assim, cristãos que defendem esse mito são, na verdade, bobos úteis. Mas vamos à minha experiência.

Saí do Aeroporto Internacional Jorge Newbery, cruzei a Avenida Costanera Rafael Obligado, e contemplei o gigantesco Rio da Prata [foto acima]. Do outro lado, a mais de 50 km em linha reta,* está o Uruguai. Detalhe: dali onde eu estava não é possível ver as terras uruguaias. Tudo o que se vê no horizonte é água e mais água. E por que não se pode ver a terra do outro lado? Simples: porque a curvatura do planeta impede. Quando o avião decolou, o céu estava limpo e pude então ver claramente as terras do outro lado do rio [fotos abaixo].

uruguai1

uruguai

Como para todas as explicações simples os terraplanistas têm que inventar uma contraexplicação complicada, alguns deles chegam a dizer que não se pode ver a suposta “borda” da Terra no horizonte por causa de um efeito de “lente” na atmosfera, que supostamente daria a impressão de que as coisas estariam mais abaixo de sua real posição. Mas com isso eles disparam outro tiro no pé. Entenda o porquê na explicação do meu amigo astrofísico Eduardo Lütz.

Quando a luz passa de um ambiente com densidade óptica menor (ex.: a parte alta da atmosfera) para um meio de densidade óptica maior (ex.: a parte baixa da atmosfera), os raios luminosos se aproximam da direção chamada “normal”, que, no caso da atmosfera, é a vertical. Esse efeito é ilustrado na figura abaixo.

terra redonda

Esse efeito de lente tende a desviar a luz ligeiramente para ter uma curvatura no mesmo sentido da superfície da Terra. Qualquer pessoa pode comprovar isso mergulhando em uma piscina e notando que os objetos e as pessoas que estão na beira da piscina podem ser vistos acima de sua posição real, quando vistos por alguém mergulhado, conforme mostra a figura 5 deste texto.

Por causa de efeitos desse tipo na atmosfera, incluindo também fenômenos como a Fata Morgana, objetos distantes (como ilhas e barcos) parecem estar acima de sua posição real (e não abaixo), dando a impressão de que a curvatura da Terra é menor do que ela realmente é. Apesar disso, às margens de grandes extensões de água, é comum não podermos ver a outra margem por causa da curvatura da Terra, exatamente como pude perceber lá na Argentina, às margens do Rio da Prata.

Fica aqui mais uma contribuição para desfazer um mal-entendido que tem sido uma verdadeira pedra de tropeço no caminho das três mensagens angélicas, cuja proclamação depende de que as pessoas creiam na veracidade da Bíblia Sagrada aliada à verdadeira ciência.

Michelson Borges

Nota: Clique aqui e veja o lançamento do foguete SpaceX, realizado na segunda-feira pela Nasa. Durante a decolagem, é possível ver imagens a partir de câmeras posicionadas na Terra e de uma câmera fixada no foguete. Lá do espaço, fica bem evidente a curvatura do planeta. Mas os conspiracionistas terraplanistas vão dizer que o governo dos Estados Unidos gastou mais alguns milhões de dólares com a desculpa de que estava levando ao espaço um satélite espião, quando, na verdade, estava gastando mais dinheiro para nos manter no engano quanto ao formato da Terra…

[*] Meu sogro é pescador e me disse que, em mar aberto, é possível ver nuvens “tocando” o horizonte a mais de 50 km.

Anúncios