Filho de Megan Fox passeia vestido de Branca de Neve

meganMegan Fox curtiu um passeio com a família completa, na tarde de segunda-feira (22), enquanto passeava com o marido, o ator Brian Austin Green, e os três filhos do casal: Noah, Bodhi e Journey. Enquanto o ex-astro de Barrados no Baile levava o caçula Journey, de 9 meses, no colo, Megan andou de mãos dadas com os dois mais velhos pelas ruas de Malibu, na Califórnia. O primogênito do casal, Noah, de 4 anos, escolheu um vestido de Branca de Neve e caminhou ao lado da mãe e de Bodhi, 3. Não é a primeira vez que o garotinho escolhe looks popularmente conhecidos como “de menina”. Em março, Noah já havia se vestido de princesa, quando apostou no famoso look de Elsa, da animação Frozen. “Noah usa vestidos, então não tem regras. Você pode ser tudo aquilo que quiser ser na minha casa”, disse Megan sobre as escolhas do filho em entrevista ao programa Jimmy Kimmel Live, em 2016. Além de Noah, outros filhos de famosos também já mostraram suas preferências com relação aos gêneros. É o caso de Shiloh, filha de Angelina Jolie e Brad Pitt, e Jackson, filho de Charlize Theron.

(Quem)

Nota: Aí vem Richard Dawkins, o ateu militante devoto de Darwin, e afirma que criar os filhos no cristianismo equivale a abuso sexual… Cada vez mais os pais estão abrindo mão da função de orientadores, disciplinadores, aqueles que “ensinam a criança no caminho em que devem andar” (Pv 22:6), deixando-as livres para dar vazão a qualquer impulso ou desejo, ainda que estes contrariem a natureza e mesmo o bom senso. No futuro, essas crianças “livres” poderão se ressentir de não lhes terem imposto limites e poderão, inclusive, questionar o amor condescendente desses pais “amiguinhos”, como aconteceu com muitos filhos de pais oriundos da revolução comportamental dos anos 1960. Pessoas que, quando se tornaram adultas, reconheceram que a liberdade irrestrita na infância lhes fez mal. Li uma entrevista na revista Veja, anos atrás, em que uma psicóloga afirmava justamente isso. Pena que não anotei a edição nem o mês/ano. [MB]

Leia também: “Transracialismo, identidade de gênero e outras palhaçadas que negam a biologia”

 

Anúncios