Colômbia oficializa “casamento” entre três pessoas do mesmo sexo

tresO jornalista Manuel Bermúdez, de 50 anos; o personal trainer Alejandro Rodriguez, de 36; e o ator Víctor Hugo Prada, de 22, compartilham a casa, os gastos e o amor desde 2012. No início desse mês, os três passaram a formar, oficialmente, a primeira família poliamorosa da Colômbia. “Pretendemos validar a nossa casa, a nossa família, a nossa Constituição e os nossos direitos, porque não tínhamos nada legalmente sólido que nos constituía enquanto família”, declarou Prada, segundo o jornal local El Heraldo. O matrimônio [sic] foi oficializado no dia 3 de junho, num cartório em Medelín. O casamento gay [sic] é legal na Colômbia desde o ano passado, mas esta é a primeira união oficial entre três pessoas do mesmo sexo no país, e a segunda no mundo. “Muitas pessoas vivem em trisais, mas no armário”, disse o advogado e ativista LGBT Germán Rincón, em entrevista à AFP.

Segundo Rincón, o casamento entre os três tem implicações “cem por cento legais” para os três, como no caso de separação ou falecimento de um deles, com a divisão de bens ou recebimento de pensão. O trisal também passa a ter o direito de adotar crianças. “Este é um reconhecimento de que existem outros tipos de família”, pontuou o advogado.

A história da primeira família formada por três homens da Colômbia começou em 1999. Alejandro, na época um jovem universitário de 19 anos, sabia que sentia atração por outros homens, mas nunca havia tido uma relação homossexual. Numa festa em dezembro daquele ano, conheceu Manuel, mais experiente, e foi direto: “Eu gosto de homens, mas nunca tive nada com ninguém e esta noite quero ter sexo contigo, nada mais”, lembrou o personal trainer, em entrevista à revista Semana.

Quatro dias depois, os dois se encontraram novamente e deram início a um relacionamento. No ano seguinte, os dois conseguiram o reconhecimento oficial do primeiro casal homoafetivo da Colômbia. Os dois seguiram vivendo juntos até que, em 2004, Alejandro contou a Manuel que estava saindo com um outro homem, Alex Esnéider, que conhecera no coral da universidade. Em vez de terminarem o relacionamento, Manuel quis conhecer Alex. Eles almoçaram juntos, conversaram e acabaram se apaixonando.

Alex passou a viver junto com Manuel e Alejandro, e em 2012 surgiu o quarto elemento: Víctor. “Em 2012 já éramos quatro”, contou Manuel. “Ou seja, eu tinha três maridos.

Há dois anos, Alex morreu por causa de um câncer no estômago, mas deixou uma mensagem gravada que será apresentada numa cerimônia pública que o trisal pretende realizar nos próximos meses. Questionado se acredita que alguém pode amar mais de uma pessoa, Manuel foi direto: “O estranho é dizer que alguém só pode amar uma pessoa.”

(O Globo)

Nota: Um claro exemplo de que, quando se abrem as “porteiras”, onde passa um boi passa uma boiada. Um pecado sempre leva a outro. Note que a história acima começa com sexo gay e antes do “casamento”. Depois segue-se a união “conjugal” entre dois homens. Depois adultério (se se pode dizer assim) e, em seguida, a oficialização da união dos três, antes passando pelo quarto elemento. Tudo socialmente aceito. A destruição dos princípios judaico-cristãos e a dissolução do conceito de casamento heteromonogâmico está levando a esse tipo de coisa que está nos colocando em débito com Sodoma e Gomorra. Em breve creio que veremos a legalização do incesto e do bestialismo. E quem poderá dizer que essas coisas são erradas? [MB]

Anúncios