O garoto que usava o portão da igreja como trave de futebol

IMG_0484Quando era criança, Matheus Farias Soares costumava jogar bola na rua com seus amiguinhos, na cidade de Tatuí, interior do Estado de São Paulo. Como ele morava em frente à igreja adventista de seu bairro, fazia do portão do templo a trave de futebol. Várias vezes seus chutes certeiros acabavam disparando o alarme da igreja. O tempo passou e Matheus acabou descobrindo o canal de TV Novo Tempo. Gostava especialmente do programa “Está Escrito”, apresentado pelo pastor Ivan Saraiva. Depois de fazer uma oração pedindo orientação a Deus (ele sempre foi um menino religioso), Matheus teve a clara impressão de que deveria pedir aos pais que o matriculassem no colégio adventista da cidade. E seu pedido foi atendido. Ali, Matheus demonstrou interesse pelas aulas de religião e chegou a ser convidado para apresentar uma reflexão durante uma das capelas (cultos) semanais. Nesse dia, minha filha Giovanna o convidou para fazer parte do pequeno grupo de adolescentes que se reunia em nossa casa às sextas-feiras à noite. Matheus gostava desses encontros e era bastante participativo. Só que depois de alguns meses ele teve que se mudar com a mãe para São Paulo e não mais pôde participar do nosso pequeno grupo. Mantive contato com ele pelo WhatsApp e procurei tirar dúvidas e enviar materiais de estudo.

O tempo passou e mais de um ano depois recebi a mensagem de um amigo colportor a quem não via fazia muitos anos: “Pastor Michelson, você poderia vir a São Paulo fazer o batismo de um amigo seu?” “Quem?”, perguntei. “O Matheus”, respondeu meu amigo Tiarlhes. Depois fiquei sabendo que ele havia visitado o Matheus e a mãe dele e continuado os estudos bíblicos que minha esposa e eu havíamos iniciado em nossa casa. Que notícia feliz! Quando o Matheus me convidou para ir ao seu batismo, procurei desconversar. Queria fazer surpresa. E aquele sábado foi realmente muito feliz! Tive o privilégio de batizar o Matheus e a mãe dele, a Alessandra, e percebi mais uma vez que, quando a igreja e suas instituições trabalham unidas com o mesmo propósito (levar as pessoas a Jesus), os milagres acontecem. No caso do Matheus, o Espírito Santo trabalhou por meio da Novo Tempo, da Educação Adventista, do evangelismo pessoal de uma colega de classe e até da colportagem, por meio do trabalho de um ministro da página impressa.

Quando era criança, Matheus Farias Soares fazia do portão da igreja adventista de seu bairro a trave de futebol, e não imaginava que um dia encontraria o caminho da salvação nas páginas da Bíblia Sagrada e entraria pelos portões de uma igreja adventista de outra cidade, preparando-se desde já para um dia entrar pelos portões de ouro da cidade celestial.

Michelson Borges

IMG_0483
Matheus, o colportor Tiarlhes e Alessandra
Anúncios