Terremotos, furacões e rumores de guerra

sinaisUm terremoto de 3,5 graus na escala Richter – que vai de 0 a 9 – sacudiu a região de Rio Branco do Sul, próximo a Curitiba, na madrugada da segunda-feira (18). De acordo com o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), o tremor foi sentido num raio de até 100 km do epicentro. Inicialmente a própria USP tinha relatado tremores ainda mais fortes em Itaperuçu, do lado de Rio Branco do Sul, e São Jerônimo da Serra, no Norte Pioneiro, mas após a revisão dos dados confirmou a ocorrência do fenômeno apenas em Rio Branco do Sul. Também foi revisada a profundidade do terremoto. “Antes o sistema apontava 50 km, mas pelo que pudemos constatar foi bem mais raso, algo em torno de 5 km. Só podemos confirmar com precisão após cruzarmos mais alguns dados”, explicou o professor de sismologia da USP, Marcelo Bianchi. […]

O bombeiro Jefferson Veloso, que estava de plantão desde o início da noite de domingo em Rio Branco do Sul, relata que o tremor foi sentido por todos no batalhão. “Foi uma sensação estranha. Durou uns dois segundos, mas como as paredes aqui são grossas não houve nenhum dano”, disse. Em grupos de WhatsApp da cidade os relatos são de incômodo e enjoo nas pessoas durante o tremor. […]

Um forte terremoto atingiu Cidade do México nesta terça-feira (19), sacudindo prédios e forçando milhares de moradores de capital a ocuparem as ruas [já foram contabilizados mais de cem mortos]. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), a magnitude do tremor foi de 7,1 na escala Richter, enquanto o Serviço Simológico Nacional mexicano indicou força de 6,8. O epicentro foi a 7 quilômetros a noroeste da cidade de Chiautla de Tapia, estado de Puebla. O tremor também foi sentido em Oaxacla, uma das zonas mais afetadas pelo terremoto que atingiu o país em 7 de setembro, de magnitude 8,2, deixando 90 mortos e 200 feridos. […]

mexico.jpg

O abalo sísmico ocorre no mesmo dia em que se relembra o 32º aniversário do violento terremoto que arrasou o México em 1985, com milhares de mortos. As autoridades mexicanas realizaram nesta terça-feira uma grande simulação de terremoto no país inteiro, uma ação realizada anualmente na data.

Enquanto isso, o furacão Maria, a segunda grande tempestade a atingir o Caribe neste mês, avançou em direção às Ilhas Virgens norte-americanas e Porto Rico, nesta terça-feira, depois de assolar a pequena nação-ilha de Dominica, causando devastação generalizada. Maria, uma tempestade “extremamente perigosa”, voltou à categoria 5, a mais elevada na escala de intensidade, ao passar cerca de 325 quilômetros a sudeste de St. Croix, nas Ilhas Virgens, com ventos constantes de 260 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

E para fechar a cota de sinais destes dois últimos dias, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que vai “destruir totalmente” a Coreia do Norte, caso não tenha outra escolha, em seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, também nesta terça-feira (19). “Os Estados Unidos têm grande força e paciência, mas se forem forçados a defender a si ou a seus aliados, não teremos outra escolha além de destruir totalmente a Coreia do Norte”, disse.

Trump, que chamou o regime de Kim Jong-Un de “depravado”, afirmou que “é hora de a Coreia do Norte aceitar que a desnuclearização é o único futuro possível”. [Trump chamou] o comportamento de Kim de “missão suicida”.

Em sua fala, que durou 41 minutos, Trump disse que o desenvolvimento de mísseis balísticos e armas nucleares por parte da Coreia do Norte “ameaça o mundo todo”.

(Gazeta do Povo, O Globo, G1 e G1)

Nota: Abra sua Bíblia, leia Mateus 24 e Lucas 21 e receba as notícias mais recentes, só que escritas há dois mil anos! Jesus deixou bem claro que a intensificação de cataclismos e guerras, além de doenças, violência, fomes, etc. seria um sinal que antecederia o fim. Ao mesmo tempo, a pregação do evangelho em todo o mundo marcaria a real proximidade da volta de Jesus, quando todas as mazelas humanas finalmente terão fim. Este é um mundo inseguro, agonizante, e devemos sempre nos lembrar disso a fim de evitar falsas expectativas. Tempos de crise – quer seja ambiental, econômica ou bélica – são catalisadores de mudanças rápidas. A aparente estabilidade que vemos em grande parte do mundo hoje pode ser subvertida em pouco tempo. As palavras do Salmo 121:1 e 2 devem estar sempre em nossa mente: “Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.” Sim, nossa única esperança está no Deus criador do universo. Tudo o mais é ilusão. [MB]

Anúncios