Cientistas europeus tomam decisão conjunta contra homeopatia

homeoHá muitas curas medicinais antigas que já não usamos. Não consumimos mais pó de múmia, por exemplo – pedaços de cadáveres humanos mumificados triturados que costumavam ser vendidos como produtos curativos. Geralmente, não usamos sanguessugas – pelo menos a maioria de nós. Mas, de alguma forma, alguns médicos ainda estão empregando medicina homeopática, uma prática desacreditada do século 18. A homeopatia descreve todo um sistema de medicina alternativa elaborado pelo médico Samuel Hahnemann em 1796 com base em um princípio de que o “semelhante cura o semelhante”. Essencialmente, Hahnemann acreditava que uma doença pode ser curada utilizando-se a mesma substância que causa seus sintomas, mas diluída em proporções infinitesimais. Isso pode soar parecido com as vacinas – micróbios enfraquecidos usados ​​para treinar o sistema imunológico do corpo –, mas não é.

Basicamente, os homeopatas encontram uma substância a partir de uma lista de muitos remédios e, em seguida, o diluem muito bem em alguma solução, água ou alguma outra substância, e os pacientes ingerem para curar os sintomas. Isso é bom porque, em última análise, o efeito placebo pode curar muito, sintomaticamente. Mas quando os remédios homeopáticos são oferecidos no lugar do tratamento do câncer, as coisas mudam de figura. Na semana passada, o Conselho Consultivo de Ciências das Academias Europeias emitiu uma declaração: depois de analisar as pesquisas, determinaram que não há evidências robustas e reprodutíveis que respaldam a eficácia da homeopatia para qualquer das doenças que ela deveria tratar.

Os cientistas europeus não querem proibir os medicamentos homeopáticos de forma definitiva. Em vez disso, eles querem garantir que os consumidores estejam mais bem informados e que os fornecedores sejam abertos sobre as evidências que respaldam a eficácia dos produtos.

No entanto, a decisão do conselho não é a lei. “Não acho que vá haver diminuição no interesse em tratamentos homeopáticos”, diz Arthur Caplan, bioeticista da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York. “Especialmente considerando as alegações na internet em relação à sua eficácia.”

Obviamente, as misturas superdiluídas são seguras, e os sites de homeopatia enfatizam isso. Esse não é o caso se você tiver uma doença que ameace a vida – novamente, alguns sites suspeitos afirmam que os remédios homeopáticos podem tratar o câncer. Independentemente disso, o comitê deve ajudar a orientar os órgãos reguladores da União Europeia enquanto estes tomam decisões sobre a prática.

(Gizmodo, via Hypescience)

Leia mais sobre homeopatia aqui.

Anúncios