Adventistas terraplanistas?! Pode uma coisa dessas?

espanto 12Aconteceu de novo. Recentemente participei de um encontro de líderes adventistas e, no intervalo entre uma palestra e outra, um irmão me procurou e disse: “Sei que você já escreveu sobre a teoria da Terra plana e até gravou vídeos sobre isso, mas a Terra redonda não contradiz a Bíblia?” Perguntei-lhe: “Como?” Ele respondeu: “O livro de Josué diz que o Sol parou no céu.” Fiz uma pausa, respirei fundo e pensei: “Ok, vamos lá, mais uma vez.”

Provavelmente essa será a última vez que falo aqui sobre a mirabolante teoria da Terra plana. Há assuntos muito mais importantes e sérios sobre os quais falar e pouco tempo para ficar desperdiçando com ideias absurdas e pessoas que não querem abandoná-las. Alguns parece que têm um prazer, uma vontade imensa de ficar caçando teorias da conspiração na internet e acreditam em quase tudo o que veem e leem por aí. Gastam horas e horas estudando essas coisas, assistindo a milhares de vídeos, enquanto a Bíblia e livros importantes ficam esquecidos na estante. Depois de adquirir todo esse conhecimento não se contentam em guardar para si e saem espalhando por aí, como verdadeiros evangelistas da anticiência, atraindo desnecessariamente desprezo e deboche.

Os adventistas já têm motivos de sobra para serem olhados com certa estranheza pelos outros. São praticamente os únicos cristãos que guardam o sábado como os judeus. Acreditam que os mortos estão inconscientes até o dia da ressurreição corporal, por ocasião da volta de Jesus. Aliás, acreditam que Jesus voltará em glória! Não comem uma série de alimentos por considerá-los impróprios para o consumo humano. E por aí vai. Embora essas crenças e esse estilo de vida dos adventistas contem com comprovações científicas que vêm se acumulando ao longo dos anos, ainda há pessoas que nos consideram meio… estranhos. Então pra que defender por aí coisas que não têm sentido, como a tal teoria da Terra plana? Querem ser estranhos ao quadrado?!

Já disse e reafirmo: essa ideia bizarra do terraplanismo tem como um de seus grandes defensores um evolucionista. Sim, exatamente: um evolucionista. Será que isso é por acaso? A verdade é que ateus militantes fizeram de tudo para associar com a igreja a ideia de que os religiosos teriam ensinado o terraplanismo, o que é uma tremenda mentira, e já publiquei um texto sobre isso. Aliás, vou deixar logo abaixo os links para todos os conteúdos que já divulguei sobre esse assunto. Por favor, leia e assista a tudo. Não precisamos morrer (de vergonha) por falta de conhecimento.

Um dos meus vídeos que até hoje teve mais deslikes foi justamente um em que estou na Argentina e faço uma simples experiência no Rio da Prata. Nele eu mostro como é impossível ver o que está do outro lado do rio, a 50 km de distância, justamente por causa da curvatura da Terra. Vários terraplanistas me chamaram de burro e afirmaram que a essa distância seria mesmo impossível ver algo, e que se eu usasse uma câmera com um bom zoom poderia ver os prédios do outro lado. Ok, só que imagens produzidas com boas lentes de aproximação revelam algo interessante.

Por exemplo, uma dessas filmagens foi feita no Lago Ontário, no Canadá, que tem uma largura máxima de 85 km. Com a aproximação da imagem, o que se pode ver do outro lado são os prédios de Toronto como que submersos na água, exatamente o que seria de esperar em uma Terra com curvatura. O fenômeno dos navios que vão “subindo” na linha do horizonte é conhecido há séculos e foi um dos que fizeram os mais atentos concluir que, de fato, a Terra é redonda e não plana. Na verdade, grandes navegadores como Colombo e outros e as pessoas mais cultas da época já sabiam disso.

Para tentar contornar esse fato observacional que demonstra a curvatura da Terra, os terraplanistas apelam para o tal “efeito de lente”. Vou comentar isso mais adiante.

O fato é que, em razão da curvatura da superfície da Terra, nosso alcance visual é de cerca de cinco quilômetros. No entanto, a acuidade da visão humana se estende muito além do horizonte, tanto é que, quando o avião decolou da Argentina, imediatamente consegui ver o que há do outro lado do Rio da Prata. Se nosso planeta fosse plano, ou se estivéssemos em pé no topo de uma montanha, nosso alcance visual seria modificado. Isso porque, nessas condições, o olho humano seria capaz de ver centenas de quilômetros. Para se ter uma ideia, em uma noite escura, podemos ver a chama de uma vela, por exemplo, a 48 km de distância.

dia_longo_josueMas o sol não parou no céu, conforme me disse aquele irmão no encontro de líderes? Sim, para o observador na Terra, foi exatamente isso o que aconteceu. Note que ainda hoje, mesmo os astrônomos usam a expressão “pôr do sol”, embora eles saibam que o Sol não se põe, é a Terra que gira. Por que o autor bíblico teria que usar linguagem científica se nem os cientistas do nosso tempo fazem isso nesse caso? Alguns religiosos ainda apelam para Apocalipse 1:7, que diz que todo olho verá Jesus voltando nas nuvens do céu, portanto, a Terra tem que ser plana. O texto simplesmente não revela os detalhes de como isso vai acontecer – se as pessoas estarão reunidas numa das faces da Terra ou se haverá tempo suficiente para que Jesus seja visto por todos. Mas usar essa passagem para “provar” o terraplanismo é muita forçação de barra.

Assim agem os terraplanistas. Fazem uso de um punhado de textos bíblicos fora de contexto ou mal interpretados, apresentam alguns argumentos aparentemente científicos e divulgam seus vídeos na internet, convencendo os incautos que passam, depois, a divulgar a ideia. Muitos desses, como eu já disse, prestam um desserviço ao cristianismo e ao criacionismo, em específico, porque as pessoas passam a relacionar uma coisa com a outra, embora não haja qualquer relação. Criacionistas bem informados nunca defenderam o terraplanismo.

IMG_8071Mas o pior mesmo é encontrar adventistas abraçando essa ideia. A igreja adventista crê que Ellen White foi uma escritora inspirada por Deus, e em seus livros ela fala claramente da redondeza da Terra. (Confira nos links abaixo.) A Igreja Adventista valoriza a boa hermenêutica bíblica e nenhum de seus teólogos sustenta o terraplanismo. A Igreja Adventista mantém em Loma Linda, na Califórnia, um centro de pesquisas em geociências, e nenhum de seus cientistas jamais advogou algo tão absurdo quanto a teoria da Terra plana. Mas essas pessoas mal informadas preferem acreditar em vídeos do YouTube do que na revelação escrita de Deus e nos cientistas da igreja. É uma pena. Morrem (de vergonha) por falta de conhecimento. E ainda por cima representam mal a igreja a que dizem pertencer.

Em 2016 tive o privilégio de conhecer as instalações da Agência Espacial Americana, a Nasa, em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. Pude ver de perto o imenso edifício onde foram construídos os foguetes e os ônibus espaciais. Aliás, vi de perto o ônibus espacial Atlantis e pude conversar com astronautas. (Já sei: alguns vão dizer que estou sendo pago pela Nasa para escrever este texto. Quem me dera…)

Alguns anos atrás, entrevistei o primeiro astronauta brasileiro a ir ao espaço, o Marcos Pontes. Conversei com a esposa do navegador Amyr Klink, que circunavegou a Antártida, o que seria impossível numa Terra em forma de disco com a Antártida sendo um muro de gelo na borda. Será que o governo dos Estados Unidos gastaria milhões de dólares todos os anos para manter a megaestrutura da Nasa somente para enganar os seres humanos e impedir que eles saibam que a Terra é plana? Será que o Marcos Pontes foi financiado pelo governo brasileiro para participar da mesma mentira? E o Amyr Klink, arriscaria sua carreira consolidada de navegador e escritor divulgando a essas alturas da vida algo que seria impossível numa Terra plana? Pense um pouco.

Se a Nasa conspira com fotos e vídeos falsos para encobrir a verdade, todas as agências do mundo fazem parte dessa conspiração, inclusive as rivais. Então até o ditador da Coreia do Norte está aliado com o governo norte-americano para manter a farsa? A antiga União Soviética igualmente estaria compactuando com essa conspiração do governo americano? Isso não faz sentido algum.

Vou terminar este vídeo com algumas considerações do meu amigo astrofísico e engenheiro de softwares Eduardo Lütz.

Cada argumento terraplanista que ele viu até o momento baseia-se em pelo menos um erro técnico grave. Um exemplo é o erro exegético de se basear no significado de uma palavra usada em um texto poético ou expressão idiomática para tirar conclusões sobre a realidade física. Outro exemplo é o de usar o “efeito de lente” como se ele funcionasse ao contrário do que se observa. Resumindo: nem a Bíblia nem os dados do mundo físico apoiam o terraplanismo, quando eliminamos todos os erros técnicos de leitura.

Outro ponto: existem noite e dia. Isso seria impossível se a Terra fosse plana e o Sol e a Lua ficassem circulando acima dela. Em particular, não haveria pôr do sol nessas condições.

O livro de Gênesis chama o Sol de “luminar maior” e a Lua de “luminar menor”. Mas quando observamos ambos os astros, seu tamanho aparente (o ângulo formado pelo diâmetro deles com nossos olhos) é aproximadamente o mesmo, o que significa que a Lua está muito mais perto, ao contrário dos modelos terraplanistas.

Outro ponto: é possível medir a atração gravitacional entre objetos do cotidiano. É algo pequeno, mas mensurável. Se calcularmos o valor resultante dessa atração gravitacional do que existe na superfície da Terra e a Terra fosse plana, isso mudaria completamente nossa noção de vertical. Quanto mais nos afastássemos do pólo norte, mais inclinado pareceria o terreno. Na Antártida, o declive seria vertical. Toda a água dos oceanos escorreria para o pólo norte e nada restaria no Hemisfério Sul.

Mais detalhes sobre o “efeito de lente” (tecnicamente chamado de refração da luz): é possível medir a densidade e o índice de refração do ar a diferentes altitudes. Quanto maior a altitude, menor o índice de refração. Isso cria uma coisa que os terraplanistas chamam de “efeito de lente”. Só que ele funciona ao contrário do que eles dizem, como é possível constatar com um experimento simples. Quando a luz parte de uma parte menos densa da atmosfera e vai em direção a uma parte mais densa, ela se aproxima da vertical. Esse efeito pode ser visto de forma mais nítida em pouco espaço se substituirmos ar mais denso por água, para ver o efeito da densidade mais acentuado. Mergulhe em uma piscina e veja se as pessoas do lado de fora parecem estar mais acima ou mais abaixo do que realmente estão. Elas parecem estar mais acima. Esse é o mesmo efeito que acontece na atmosfera: coisas mais próximas ao horizonte parecem estar mais altas do que realmente estão.

Refraction-light-1024x576

Mais: a rotação aparente da esfera celeste é invertida no Hemisfério Sul em relação ao Hemisfério Norte. Basta fazer uma filmagem de time-lapse em ambos os hemisférios para constatar isso. Isso não faria sentido algum em uma Terra plana, mas é exatamente o que se espera se a Terra é esférica.

Na Antártida, no verão do Hemisfério Sul, se observa o Sol girando ao redor do observador e dando uma volta completa ao longo de cada dia. Pelo modelo da Terra plana, isso só seria possível no Pólo Norte, jamais na Antártida. Mas isso é exatamente o que se espera em uma Terra esferóide.

Voos que partem do sul da América do Sul para a Ásia passando próximos ao Pólo Sul chegam mais rápido do que voos que passam pela Europa, ao contrário do previsto pelos terraplanistas, mas de acordo com o modelo da Terra aproximadamente esférica. O “Aviões e Músicas”, um canal do YouTube especializado em aviação, mostra isso muito bem.

eclipseNo dia em que eu vir um eclipse da Lua com esta sombra aí ao lado talvez eu me torne um terraplanista. Por enquanto, prefiro continuar sendo um adventista do sétimo dia criacionista e gastar meu tempo e minhas energias pregando a mensagem dos três anjos de Apocalipse 14, o evangelho eterno e a breve volta de Jesus. O resto é perda de tempo ou perda de foco. Do jeito que o diabo gosta.

Michelson Borges

Clique aqui é leia tudo o que já postei no blog Criacionismo sobre a teoria da Terra plana.

O dia longo de Josué.

Anúncios

Big Brother tem até incesto, agora? O que mais falta?

bbb18Na manhã desta terça-feira (23), as redes sociais “ferveram” com a notícia e o vídeo com uma cena aparentemente incestuosa em que o pai aparece deitado sobre a filha fazendo movimentos com o quadril. A cena foi protagonizada durante a 18ª edição do reality show da Globo “Big Brother Brasil”. Segundo o jornal O Povo , muitos internautas se mostraram revoltados e pediram a saída do pai. Só que esse é o tipo de situação que mais ajuda a promover o programa e alavancar audiência do que qualquer outra coisa. O BBB já teve de tudo. O que mais fazer para chamar a atenção? Eis aí a resposta: incesto.

Quando foi exibido o primeiro beijo gay numa novela também houve repúdio e reprovação. Na segunda vez em que uma cena do tipo foi ao ar, já não houve revolta. A terceira arrancou aplausos. Assim a TV vai “fazendo a cabeça” das pessoas, tornando natural o que não é.

O script já está escrito. Neste primeiro momento-teste do BBB18, o incesto aparentemente foi reprovado (e duvido que os reclamantes deixarão de assistir ao programa). Nas próximas vezes em que cenas incestuosas aparecerem na programação, a dessensibilização já terá feito seu papel, até que a aceitação seja o resultado. No futuro, o mesmo processo (que começou com a aprovação do casamento gay, do poliamor e com a erotização das crianças) poderá ocorrer também com a naturalização da pedofilia e a legalização da necrofilia e da zoofilia. Duvida? Eu não duvido de mais nada. Quando a “porteira” moral é aberta, os bichos (todo tipo de bichos) começam a passar. E nossa dívida com Sodoma só vai aumentando…

Essa situação ajuda até a ilustrar o efeito do pecado em nossa vida. Num primeiro momento, ele nos causa repulsa. Só que, à medida que vamos brincando com o pecado, o que antes nos repelia passa a se tornar aceitável, para, finalmente, ficar desejável. Por isso, quando o assunto é pecado, imoralidade e maldade, a atitude mais segura é nunca dar o primeiro passo.

Não se esqueça de que vivemos num Big Brother cósmico. Segundo o apóstolo Paulo, somos espetáculo ao universo (1Co 4:9). Que papel assumiremos nessa peça?

Michelson Borges

Isaac & Charles: Mamma mia!

ic005cor Mamma mia! RGB

Falta de sono, excesso de açúcar e doenças emocionais

couplesA falta de sono não vai deixar você apenas irritado e mais suscetível a entrar em discussões – também irá deixar seu corpo com maior risco de uma inflamação relacionada ao estresse. A surpresa é que esse tipo de inflamação, que está associado a um maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes, artrite e outras doenças, também pode atrapalhar seu casamento. “Sabemos que os problemas do sono também estão associados à inflamação e muitas das mesmas doenças crônicas. Então, estávamos interessados em ver como o sono se relaciona à inflamação entre casais, e se o sono de um parceiro afetaria a inflamação do outro”, explicou a Dra. Stephanie Wilson, da Universidade Estadual de Ohio (EUA).

Ela então recrutou 43 casais que, em duas ocasiões, forneceram amostras de sangue e relataram quantas horas haviam dormido nas duas noites anteriores. Depois disso, os casais tinham que resolver juntos um tópico pensado para gerar um conflito entre os dois. Amostras de sangue foram retiradas novamente após a discussão. “Descobrimos que as pessoas que dormiram menos nas últimas noites não acordam com uma inflamação mais elevada, mas tiveram uma maior resposta inflamatória ao conflito. Então, isso nos diz que menos sono aumenta a vulnerabilidade a um elemento estressor”, interpretou Wilson.

Quando os dois parceiros tinham dormido menos de sete horas nas duas noites anteriores, o casal era mais propenso a discutir ou tornar-se hostil durante a solução do conflito hipotético. Para cada hora de sono perdida, os níveis de dois marcadores inflamatórios aumentaram 6% na segunda coleta de sangue, feita após a discussão.

Casais que usaram táticas pouco saudáveis em seu desacordo tiveram uma resposta inflamatória ainda maior – um aumento de cerca de 10% com cada hora a menos de sono. “Qualquer aumento [na inflamação] não é bom, mas um aumento prolongado que não está sendo tratado é que pode se tornar um problema”, disse Wilson. “O que é preocupante é que tanto a falta de sono quanto o conflito conjugal são comuns na vida cotidiana. Cerca de metade dos casais do nosso estudo dormiram menos que as sete horas recomendadas.” (Diário da Saúde)

Um novo estudo mostrou que as dietas com alto teor de açúcar, ligadas ao consumo de refrigerantes e doces, podem estar associadas a um maior risco de problemas mentais comuns, como ansiedade e depressão leve. A pesquisa foi feita com homens. O trabalho, liderado por Anika Knüppel, do University College London (Reino Unido), foi publicada na revista Scientific Reports. “Os resultados mostram efeito adverso de longo prazo na saúde mental dos homens, ligado ao excessivo consumo de açúcar proveniente de alimentos e bebidas doces”, disse Anika ao Estado.

Altos níveis de consumo de açúcar já haviam sido relacionados a uma prevalência mais alta de depressão em diversos estudos anteriores. No entanto, até agora, cientistas não sabiam se a ocorrência do problema mental desencadeava um consumo maior de açúcar, ou se os doces é que levavam à depressão.

Para descobrir se a voracidade por açúcar é causa ou consequência dos problemas mentais, os cientistas analisaram os dados de 8.087 britânicos com idades entre 39 e 83 anos, coletados por 22 anos para um estudo de larga escala. As descobertas foram feitas com base em questionários sobre a dieta e a saúde mental de participantes. Para um terço dos homens – aqueles com maior consumo de açúcar -, houve alta de 23% da ocorrência de problemas mentais após cinco anos, independentemente de obesidade, comportamentos relacionados à saúde, do restante da dieta e de fatores sociodemográficos.

O consumo de açúcar foi medido por 15 itens que incluem refrigerantes, sucos industrializados, doces, bolos, biscoitos e açúcar adicionado ao café. Para homens, foi considerado alto consumo uma quantidade maior que 67 gramas por dia e, para mulheres, acima de 50. A Organização Mundial da Saúde recomenda uso máximo de 50 gramas por dia e aponta que o ideal é não passar dos 25.

Embora o estudo seja com homens e mulheres, a associação entre açúcar e doenças mentais apareceu apenas no grupo masculino. “Esse resultado foi bastante inesperado e não conseguimos encontrar boa explicação para isso. Mas não é impossível que os resultados também se apliquem a mulheres. Estudo americano em 2015, exclusivamente com mulheres, também encontrou associação entre alto consumo de açúcar e depressão”, disse Anika.

Segundo ela, há várias explicações biológicas plausíveis para a associação. A principal delas é que o açúcar reduz os níveis do chamado fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF, na sigla em inglês), que ajuda no desenvolvimento de tecidos cerebrais. “O BDNF tem sido discutido como um facilitador da atrofia do hipocampo em casos de depressão”, disse Anika.

Para Paulo Mattos, neurocientista do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, é preciso pesquisar mais para uma conclusão definitiva. “O estudo se refere a quadros de ansiedade e depressão bastante leves e gradativos. Mesmo em um estudo que abrange mais de 20 anos, é difícil dizer se antes desse recorte as pessoas já tinham sintomas.” (Estadão)

Capa6peqNota: A Igreja Adventista do Sétimo Dia está promovendo na América do Sul e em vários outros países uma campanha de distribuição gratuita em massa do livro O Poder da Esperança: Segredos do bem-estar emocional. Escrito pelo psicólogo espanhol Julián Melgosa e pelo jornalista Michelson Borges, o livro traz recursos úteis e comprovados para enfrentar o estresse, a depressão, a ansiedade, os vícios e vários outros problemas que têm relação com a saúde emocional. Um dos capítulos trata também do drama do suicídio e apresenta dicas importantes de como lidar com essa triste realidade. Saiba mais sobre esse livro no site www.opoderdaesperanca.com.br ou peça o seu na igreja adventista mais próxima.

Filme faz paralelo entre história de Cristo e sequestro na Amazônia

Uma trama ambientada na região amazônica sobre tráfico humano traça um paralelo com o ministério de Jesus Cristo retratado na Bíblia. A produção Libertos – O Preço da Vida (com aproximadamente 1 hora e 25 minutos) será lançada em março deste ano e promete levar o espectador a uma reflexão sobre o conceito de liberdade.

O filme apresenta seres humanos negociados como mercadorias. Nesse contexto, Emanuel, um médico voluntário (vivido pelo ator André Ramiro, de Tropa de Elite), tem como missão pessoal atender à população ribeirinha e às tribos da Amazônia. Ele, no entanto, torna-se uma potencial ameaça para a quadrilha especializada em tráfico humano. Casimir, o líder do bando, é egoísta, manipulador e não aceita que ninguém cruze seu caminho.

A roteirista e produtora Luciana Costa explica que se trata de uma segunda produção nessa linha que estabelece um paralelo entre uma narrativa dramática e momentos da passagem de Jesus Cristo por este mundo. “Tivemos uma boa experiência com o filme O Resgate – Salvação ao Extremo e resolvemos fazer um novo material que vai emocionar e, principalmente, levar os espectadores a uma reflexão mais profunda sobre sua vida e seu futuro”, comenta.

O longa-metragem é uma produção da Seven Filmes para a Igreja Adventista do Sétimo Dia que se encarrega da distribuição do material não apenas no Brasil, mas em outros países sul-americanos. O diretor de Comunicação da Igreja, Rafael Rossi, explica que a organização religiosa investe em filmes “por entender que oferecem uma linguagem adaptada a uma sociedade que quer compreender aspectos dos evangelhos da Bíblia, mas que, ao mesmo tempo, demonstra forte interesse em conteúdos audiovisuais”.

Evo Morales volta atrás e suspende novo código penal na Bolívia

evoO presidente da Bolívia, Evo Morales, decidiu suspender a implantação do novo código penal. Alvo de diversos protestos, o código criminalizava a evangelização. O anúncio foi feito neste domingo (21). As lideranças cristãs fizeram pressão para que as leis não entrassem em vigor. Outros grupos, como os jornalistas, também se manifestaram contra, já que o código feria a liberdade de expressão. Apesar da medida, Morales deve elaborar outro documento para tentar ganhar o apoio dos movimentos sociais.

(Pleno News)

Nota: Há quem creia que a mudança de planos seja resultado das muitas orações feitas por cristãos de várias religiões (90% dos bolivianos se declaram cristãos). Em pronunciamento na TV, Morales disse que tomou essa decisão “para evitar que a direita use o Código para desestabilizar o Estado”. Mas há também quem creia que tudo não passe de uma cortina de fumaça, uma vez que, como explica o amigo Marco Dourado, um dos falsos dogmas do socialismo – seja de que tipo for (nazismo, fabianismo ou marxismo-leninismo) – é o Estado ser o Ente Categórico de Razão, ou seja, a instância primeira, última e suprema a partir da qual tudo deve ser avaliado, julgado e decidido. A Bíblia revela Deus como esse Ente, por isso o cristão jamais poderá aceitar as presunções ideológicas do socialismo e, assim, será sempre um rebelde potencial em relação a esse tipo de regime. Curiosa foi a atitude (ou falta de atitude, na verdade) do papa Francisco, que esteve na América do Sul e não disse uma palavra sequer sobre a situação dos cristãos na Bolívia, assim como também não se pronunciou sobre o momento deplorável pelo qual passam os venezuelanos sob o regime de Nicolás Maduro. Francisco condenou (com razão) o feminicídio no continente, mas nada disse quanto a outras barbaridades cometidas por aqui. Será que isso se deve ao fato de que Jorge Bergoglio já afirmou que os comunistas pensam como cristãos (confira) e tem simpatia pela Teologia da Libertação? Vai saber… [MB]

Métodos de crescimento de igreja