Trump concede aos religiosos mais voz no governo

trump“Em frente a uma pequena multidão de membros do gabinete e líderes religiosos no Jardim das Rosas da Casa Branca, o presidente Donald Trump anunciou e assinou uma ordem executiva que dá aos grupos religiosos uma voz mais forte no governo federal. “É um grande dia”, disse, após assinar o pedido e distribuir canetas para os líderes religiosos que o cercaram na manhã de primavera para o evento do Dia Nacional de Oração. Nenhum detalhe sobre a ordem foi dado na cerimônia, mas os líderes religiosos foram lembrados do trabalho que fazem para cuidar dos necessitados e foi assegurado pelo presidente que a liberdade religiosa continuaria a ser protegida pelo governo federal.

Um documento da Casa Branca publicado online após a assinatura da ordem dizia que o objetivo era garantir que as organizações religiosas e comunitárias “tivessem fortes defensores” na Casa Branca e no governo federal. Ele disse que a “Iniciativa de Fé e Oportunidade da Casa Branca” forneceria recomendações sobre programas e políticas em que organizações religiosas e comunitárias poderiam estabelecer parcerias com o governo para “oferecer soluções mais eficazes para a pobreza”.

Também apontou que o novo gabinete permitiria à administração Trump saber das falhas, dentro do poder executivo, cumprir as proteções à liberdade religiosa e garantir que as organizações de fé tenham “igual acesso ao financiamento do governo e igual direito ao exercício das suas crenças profundas”.

A iniciativa será liderada pelo recém-criado cargo de conselheiro da “Iniciativa de Fé e Oportunidade da Casa Branca” e será apoiada por líderes comunitários e religiosos fora do governo federal. Terá contatos designados de departamentos executivos e agências federais.

Um gabinete baseado na religião não é novo para a Casa Branca. Administrações anteriores, incluindo as dos presidentes Barack Obama e George W. Bush, tinham escritórios semelhantes. [Mike] Pence [vice-presidente dos EUA] disse à multidão que “crentes de todos os antecedentes têm um campeão no presidente Trump”, e lembrou-os da ordem executiva de Trump assinada um ano atrás, também numa cerimônia no Jardim das Rosas, que assegurou às pessoas de fé que “ninguém seria penalizado pelas suas crenças religiosas”. A nova ordem executiva leva isso um passo adiante, acrescentou ele.

O cardeal de Washington, Donald W. Wuerl, um dos vários líderes religiosos que fizeram uma oração a partir de uma plataforma no gramado da Casa Branca, rezou para que as pessoas tivessem a graça de ficar perto de Deus e do outro. Ele também orou pelos líderes do governo e pelos crentes para terem força e coragem para defender sua fé.

Trump disse que a oração “criou a identidade desta nação” e também a sustentou. Ele disse ao grupo que o novo gabinete era um passo necessário porque, ao resolver muitos dos problemas e desafios de hoje, “a fé é mais poderosa que o governo e nada é mais poderoso que Deus” (Catholic News Service).

Reforçando que esse tipo de iniciativa não é algo de novo, podemos afirmar que os laços entre as comunidades religiosas, essencialmente cristãs, e o governo americano estão sendo fortalecidos desde que Donald Trump assumiu a presidência. Nas palavras de Mike Pence, agora até se foi um pouco mais além do que antes; nas palavras de Trump, a fé tem mais força do que o próprio governo – assim, por que não ouvir cada vez mais o que os homens de fé têm a dizer?

(O Tempo Final)

Nota: Com Trump a aproximação entre religião e Estado tem sido cada vez maior, o que é perfeitamente esperado no cenário profético bíblico. Veja isto. [MB]

Anúncios