A cápsula do tempo foi aberta vinte anos depois

steve4Sábado passado foi como se abríssemos uma cápsula no tempo. Foi como abrir um baú enterrado havia vinte anos com as recordações das coisas daquele dia especial. Foi surpreendente ver quantos milagres e realizações Deus operou nestes vinte anos! Deus fez muito mais do que sonhávamos e muitas vezes por meio de caminhos que nós não queríamos ou não sabíamos percorrer. Ao testemunhar a história do Unasp Campus Engenheiro Coelho e ver como Deus foi bondoso e poderoso, prosperando tudo o que ali foi planejado e realizado, foi inevitável rever também nossas vidas e reconhecer esse mesmo cuidado nas ações poderosas e bondosas de Deus em nosso favor.

Durante o recital do cantor Steve Green, naquela noite de sábado, o espírito no ambiente era de enorme gratidão. Estar ali naquele templo magnífico já era em si motivo de grande louvor. Há vinte anos estávamos naquele mesmo local, em um gramado, com sonhos e projetos, nossos e do Unasp – aquele templo era um desses projetos! Duas décadas depois estávamos ali, dentro de uma oração respondida! Quando Steve começou a cantar, senti-me como o filho que dá um abraço apertado no pai e agradece tudo o que ele fez. As letras das músicas nos levaram a exaltar o poder e a soberania de Deus; nos inspiraram a permanecer fiéis e a fazer uma entrega completa de todo o nosso ser a esse Pai de amor.

Era como se eu pudesse sentir os braços do Pai retribuindo nosso abraço e dizendo que podemos sempre confiar nEle, porque Ele nunca vai deixar de nos amar e aceitar. As melodias casavam com a expressão das letras cantadas e nos enchiam de reverência e adoração a Deus. Havia um clima solene no ar e nosso pensamento estrava cativo na presença de Deus, como se naquele momento nada pudesse interromper nossa comunhão e não ousássemos desviar os olhos de Jesus e pensar em outra coisa qualquer.

As músicas que Steve cantou nos fizeram ir além dos vinte anos passados e nos transportaram para a redenção conquistada por Jesus na cruz do Calvário. Nosso maior agradecimento passou a ser pela preciosa salvação que Cristo nos oferece por meio de Seu grande sacrifício. Tudo o que passarmos nesses 20, 30, 40, 50, 60, 70 anos; toda a nossa existência é apenas uma pequena parte dessa história, e cada milagre é uma pequena amostra de coisas infinitamente maiores que Deus nos reserva.

Foi realmente um louvor para se guardar no coração.

Além das músicas, a própria vida do cantor e a maneira como ele canta são uma pregação. Nestes vinte anos, desde que esteve aqui na primeira vez, Steve permanece fiel à Palavra de Deus e tem uma vida abençoada. Continua exaltando o nome de Jesus, do nosso Criador e Redentor, sem se deixar influenciar por modismos musicais mundanos, feitos unicamente para agradar os sentidos. As músicas de Steve são concebidas para agradar a Deus e nos fazem querer ir logo para o Céu!

Muito obrigada, Unasp, por nos proporcionarem esses momentos tão especiais.

(Débora Tatiane Martins Borges é pedagoga e pós-graduada em Aconselhamento Familiar)