Projeto Blitz: a reação religiosa conservadora e o perigo disso

euaSegundo reportagem publicada no jornal The Guardian, desde que Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos, tem havido um esforço organizado no sentido de impor o que o jornal chama de “valores cristãos de linha dura” no país. Uma cartilha conhecida como Projeto Blitz, desenvolvida por grupos cristãos envolvidos com política, forneceu aos políticos em nível estadual um conjunto de projetos de lei favoráveis aos interesses desses religiosos, como proteger a liberdade religiosa, preservar a herança judaico-cristã dos EUA e promover a oração. Pelo menos 75 projetos foram apresentados em mais de 20 estados em 2017 e 2018, e que parecem estar de acordo com essa “agenda religiosa” que, de alguma forma, acaba enfraquecendo a separação entre igreja e Estado. Opositores advertem que essas pessoas estão usando a bandeira da liberdade religiosa para impor o cristianismo à vida pública, política e cultural norte-americana.

Segundo o The Guardian, nas estratégias do Projeto Blitz essas leis simbólicas seriam o primeiro estágio no caminho para “leis mais rígidas”. “Elas são apresentadas como medidas para preservar a liberdade religiosa, mas destinam-se a dar às empresas, aos pastores e aos provedores de cuidados infantis o direito de discriminar pessoas LGBT, de acordo com suas ‘crenças religiosas sinceras’”, diz a matéria.

Uma das categorias de ações inclui projetos de lei para uma série de proclamações ou resoluções – declarando um dia de liberdade religiosa ou uma semana de herança cristã, que pode ser usada para levar o ensino religioso às escolas.

O jornal cita Andrew Whitehead, professor assistente de sociologia na Clemson University, que publicou recentemente um estudo intitulado “Make America Christian Again”, em que concluiu que quanto mais alguém acreditasse que os Estados Unidos eram e deveriam continuar a ser uma nação cristã, maior a probabilidade de essa pessoa votar em Trump em 2016. Whitehead descreveu a chamada busca pelo “domínio” como o objetivo dos nacionalistas cristãos que consideram que a fé cristã e sua interpretação particular devem ser impostas.

trumpBem, se você ainda não percebeu, estamos assistindo ao movimento do pêndulo da História (leia mais sobre isso aqui). Os movimentos esquerdistas (feministas, LGBTistas, marxistas, abortistas) têm levado certas situações a tal extremo que acabarão por promover uma onda conservadora religiosa em sentido contrário, cujo objetivo aparente será o de recuperar os “valores cristãos”. Essa onda na verdade já está se agigantando…

Assim como se propõe um dia de liberdade religiosa ou uma semana de herança cristã, o que impede que logo mais seja proposta uma lei dominical, uma vez que tanto católicos quanto evangélicos conservadores veem com bons olhos esse tipo de iniciativa para a qual o terreno vem sendo aplainado faz tempo, com argumentos pró-família e pró-meio ambiente?

O cenário continua sendo preparado. Tudo de acordo com o script. [MB]