Papa insiste na importância do descanso dominical

papaO papa Francisco defendeu o repouso aos domingos, que permite aos cristãos “fazer as pazes” com a própria vida, mas criticou a sociedade de “diversão” e “evasão”. O domingo permite “fazer as pazes com a vida”, disse Francisco diante de milhares de fiéis reunidos na praça São Pedro do Vaticano para a tradicional audiência de quarta-feira. “A verdadeira paz não é mudar a própria história, e sim acolhê-la e valorizá-la”, disse o pontífice. “O homem nunca descansou tanto como hoje e, no entanto, nunca sentiu tanto vazio como hoje.” Francisco fez um apelo por uma distinção entre o verdadeiro repouso e o falso descanso em um mundo que estabelece a sociedade como “um grande parque de diversões”. “O conceito de vida que domina atualmente não se baseia na atividade, e sim na evasão. Essa mentalidade leva a uma vida anestesiada pela diversão, que não é repouso”, advertiu.

(IstoÉ)

Nota: O site Vatican News traz mais detalhes sobre essa notícia e transcreve a fala do papa, segundo o qual “o dia do repouso” de que fala o livro do Êxodo “parece um mandamento fácil de ser cumprido, mas é uma impressão errada”, pois “existe o repouso falso e o repouso verdadeiro”. O falso, segundo ele, é mera diversão; o verdadeiro é o conceito bíblico de repouso.

No sétimo dia, disse o papa, “inicia o dia do repouso, que é a alegria de Deus por aquilo que criou. É o dia da contemplação e da bênção. […] Decálogo opõe o repouso como bênção da realidade”. Embora Francisco mencione o sétimo dia e o Decálogo (Dez Mandamentos), na fala seguinte ele reafirma qual é o sétimo dia para o catolicismo e as igrejas que lhe seguem o exemplo: “Para nós, cristãos, o centro do Dia do Senhor, o domingo, é a Eucaristia, que significa ‘ação de graças’. É o dia para dizer a Deus: obrigado, obrigado Senhor, obrigado pela vida, pela sua misericórdia, por todos os seus dons. O domingo não é o dia para esquecer os outros dias, mas para recordá-los, abençoá-los e fazer as pazes com a vida, fazer as pazes com a vida.”

Respeitosa e firmemente discordo do papa. O dia de repouso dos cristãos nunca foi o domingo, por mais que Francisco insista nisso. O dos católicos, sim. Uma leitura atenta da Bíblia revela que em nenhuma linha de suas páginas há qualquer sugestão de que Jesus teria substituído o sábado pelo domingo. (Assista ao vídeo abaixo e clique aqui para ter mais informações.) O dia de descanso no Êxodo (assim como em Gênesis, nos profetas, nos Salmos, nos Evangelhos, nas cartas de Paulo e no Apocalipse) é o sábado do sétimo dia. E nada nem ninguém nunca mudou isso.

Não é de hoje que o papa atual e o anterior vêm usando argumentos ecológicos e pró-família para defender a importância do descanso dominical. Estão preparando o caminho para a aceitação quase geral de uma ideia apresentada como possível solução para muitos problemas humanos, de forma que, quando os Estados Unidos impuserem uma lei dominical, a maioria das pessoas estará preparada para não rejeitá-la. Aí veremos quem realmente é fiel a Deus e a Seus mandamentos ou seguirá a contrafação e obedecerá a mandamentos meramente humanos. Anote aí: quem viver verá isso acontecer. Na verdade, nem precisa anotar, pois já está anunciado na Bíblia e em livros como O Grande Conflito, os quais você precisa muito ler e estudar. [MB]

Anúncios