O pai da eternidade no corpinho de um bebê

Jesus bebê“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os Seus ombros. E Ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.” Isaías 9:6

Me espanta e me encanta pensar que naquele corpinho de bebê habitava a plenitude da Divindade. Esse texto do profeta Isaías, escrito cerca de 700 anos antes de Jesus nascer como ser humano, é muito profundo e revela de modo maravilhoso algumas facetas da identidade do Salvador. Jesus Se tornou humano; incompreensivelmente mesclou Sua divindade com a natureza humana, identificando-Se para sempre com aqueles a quem ama e veio salvar. Era humano, mas, acima de tudo e antes de tudo, é o governador do Universo, aquele que Se assenta sobre o trono eterno e conduz os rumos da história. Portanto, podemos entregar a Ele a condução da nossa vida, da nossa história (na verdade, não fazer isso é correr um risco eterno).

Jesus também é o nosso Maravilhoso Conselheiro. Como Deus onisciente Ele sabe de tudo, Ele conhece tudo. Quer melhor conselheiro do que esse? Leia a Bíblia todos os dias e você terá acesso aos melhores conselhos para que possa ter uma vida plena aqui e uma existência eterna com Deus e os salvos. Faça da oração uma prática constante; ela é nossa via de acesso ao Céu.

Jesus é Deus Poderoso. Ao olhar para a manjedoura, não podemos nos esquecer desse “detalhe”. Ele é Deus, o todo-poderoso Criador, eterno e imortal. E aqui está outro paradoxo do nosso Deus paradoxal: Ele é imortal, mas decidiu morrer! O Deus imortal entregou a vida por nossa causa, por amor de nós (João 3:16).

Nesse texto messiânico de Isaías, Jesus, o Filho, também é identificado como Pai (na verdade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo são tão íntimos que a função dEles quase se confunde); Ele é o Pai Eterno ou o Pai da Eternidade, como traz a versão de Almeida. Jesus não tem começo nem fim, mas igualmente por amor aos seres finitos que Ele criou Ele Se colocou na dimensão tempo e interagiu e interage conosco.

Finalmente, na descrição do profeta, Jesus Cristo é o Príncipe da Paz. A paz que Ele concede é a verdadeira, não aquela da mera ausência de guerras; a paz de um canhão carregado. A paz de Cristo habita no interior daqueles em quem Ele vive. A paz de Jesus acalma o coração atribulado e enche de esperança os desanimados.

Você quer ser governado pelo Todo-poderoso? Quer receber conselhos diários dAquele que tudo sabe? Quer viver na companhia do Deus infinito? Quer viver para sempre em um mundo recriado à semelhança do Éden perdido? Quer ter paz real na vida? Aceite o presente de Deus: “Um filho nos foi dado.”

Me espanta e me encanta pensar que naquele corpinho de bebê habitava a plenitude da Divindade. Eu aceito esse bebê. Eu aceito meu Jesus!

Michelson Borges

Anúncios