Apocalipse: O Evangelho de Patmos

leao[Pelos próximos três meses, os adventistas do sétimo dia em todo o mundo estarão estudando novamente e com mais atenção o importante livro do Apocalipse, com a ajuda da Lição da Escola Sabatina, desta vez escrita por um dos maiores especialistas da igreja no tema, o Dr. Ranko Stefanovic. Para ajudar nesse estudo e fornecer um material de apoio especialmente aos professores da Escola Sabatina, estarei postando todas as semanas um pequeno texto e as perguntas para discussão e aplicação preparados pelo pastor Natal Gardino. Ele é doutor em Ministério pela Andrews University, foi aluno do Dr. Ranko e é distrital em Jardim Iguaçu, Maringá, PR. Faça bom proveito deste material. – MB]

Professores da Escola Sabatina, lembrem-se de que o “muito falar” não é tão efetivo para que a sua classe possa aprender. O melhor meio é o de fazer perguntas reflexivas, pois elas levam os membros a pensar, interagir e aplicar os princípios à vida prática. Há alguns pontos da lição desta semana que exigem explicação, mas tente ser o mais breve e objetivo possível. Uma dessas explicações necessárias é o fato de que existem basicamente três tipos de interpretação para as profecias do Apocalipse:

  1. Preterista – Essa interpretação ensina que tudo já aconteceu e João estaria apenas “relatando” a história passada em forma de símbolos para que os romanos não entendessem. Nós, adventistas, não aceitamos essa forma de interpretação.
  2. Futurista – Essa interpretação ensina que a maior parte dos eventos ainda vai acontecer no futuro, logo após um suposto “arrebatamento secreto” da igreja. Obviamente, nós não aceitamos essa ideia também.
  3. Historicista – Essa interpretação é a que defendemos por ser a mais coerente e bíblica. De acordo com essa forma de interpretação, as profecias acontecem ao longo da história, desde o tempo do profeta até a volta de Jesus e além (ex.: as sete igrejas, os sete selos, as sete trombetas, etc.). Assim, o livro faria sentido para os leitores cristãos de todos os séculos, não apenas para os do tempo do fim.

Detalhe: Daniel era historicista (Dn 9:2); o anjo Gabriel usou a interpretação historicista (Dn 8:20, 21). João também (1Jo 4:3). Assim como Jesus igualmente a usou (Mc 13:14). Por isso nós também a usamos.

As visões do Apocalipse foram escritas para os “servos de Deus” (1:1), por isso os símbolos só podem ser entendidos por eles, pois são baseados na própria Bíblia, especialmente no Antigo Testamento. Quem não é servo de Deus não estuda a Bíblia e, consequentemente, não pode decifrar os símbolos do Apocalipse.

Perguntas para discussão e aplicação:

[As perguntas a seguir serão muito mais proveitosas se você tiver antes estudado sua Lição da Escola Sabatina.]

Que tipos de ideias e sentimentos a palavra “Apocalipse” provoca nas pessoas? Por que geralmente são ideias negativas? Como isso pode ser mudado?

Se a palavra “Apocalipse” significa “Revelação”, por que o livro está em forma de símbolos? Por outro lado, o que aconteceria com esse livro se, ao invés de usar figuras como Babilônia ou bestas-feras, João escrevesse claramente sobre o caráter e as ações de Roma?

De acordo com 1:1, por que o livro do Apocalipse foi direcionado especificamente para “os servos de Deus” e com que propósito? O que isso tem a ver com o fato de que a própria Bíblia é a chave para a interpretação dos seus símbolos?

Quais são os perigos quando as pessoas dão suas próprias interpretações aos símbolos do Apocalipse?

Conforme Mateus 24:25; João 14:29 e Apocalipse 22:7, qual é (ou quais são) o(s) propósito(s) de Deus aos nos revelar o futuro? Entretanto, de acordo com Deuteronômio 29:29, por que algumas coisas não nos são reveladas?

De que forma o livro do Apocalipse é uma continuação dos quatro Evangelhos? O que Jesus está fazendo agora no Céu? Como esse conhecimento nos traz conforto e segurança?

De acordo com 1:7 e 8, qual é a nota tônica do livro do Apocalipse? Por que isso é tão importante?

Leia 22:7, 12, 20. Em sua opinião, por que Jesus é tão enfático na expressão “venho sem demora”? Qual o significado dessa expressão, sendo que já se passaram cerca de 2.000 anos?

Se Jesus é o personagem central do livro, qual é o grande problema dos filmes e das explicações modernas sobre o Apocalipse em que Ele não aparece ou em que Ele é apenas um “figurante”?

Note que a típica saudação “graça e paz”, dada no início das cartas da época, neste livro (1:4, 5) é dada pelas três pessoas da Trindade. O que isso significa para você ao iniciar esta jornada de estudo?