Bastidores da lei que beneficia guardadores do sábado

aulaÉ importante um esclarecimento neste momento com relação a esta proposição. Essa lei, agora sancionada pelo presidente (Lei 13.796 de 03/1/2018), foi tramitada e aprovada na Câmara dos Deputados no fim dos trabalhos legislativos do ano passado (2018). E a relatora foi a deputada do Partido dos Trabalhadores (PT) Maria do Rosário, que julgou essa tarefa como honrosa. Observe-se que a atuação dela foi fundamental para a aprovação da lei. Li o Projeto quando estava em tramitação. A autoria desse projeto que virou lei facilitando a guarda do sábado dos estudantes adventistas de sétimo dia também é de um deputado do PT, Rubens Otoni.

Verdade é que muitos líderes adventistas batalharam por esse projeto e cada um deles têm o seu mérito. A lei foi feita porque, embora a maioria das instituições educacionais e professores agissem com flexibilidade propondo atividades alternativas e avaliações em outros dias, outros se mostravam irredutíveis. Muitos adventistas, a despeito de em tempos passados e no presente enfrentarem dificuldades e discriminação por esse motivo, nunca viram a necessidade de uma lei, pois sempre acreditaram que essa prova seria vencida com fé, oração, diálogo e a negociação entre docentes e discentes, e mesmo entre pessoas e instituições. Outros adventistas achavam melhor uma lei mesmo.

A “ironia do destino”, nesse caso, foi justamente os protagonistas serem Maria do Rosário e Jair Bolsonaro. Ela do PT, um partido que é visto por alguns evangélicos como um adversário da fé, e Jair Bolsonaro, um católico da direita tido como radical (PSL).

(Dr. Frank Carvalho, professor no Instituto Federal de São Paulo e autor de livros sobre liberdade religiosa)

Nota: Embora, como cristãos, não devamos ignorar as ideologias por trás de pessoas e partidos, essa é mais uma amostra do porquê não devemos nos meter em política partidária. Assim como Deus usou para o benefício de Seu povo no passado impérios pagãos como a Babilônia, a Assíria e o Egito (para citar apenas três), hoje Ele pode usar soberanamente qualquer um que Ele julgar útil para levar avante decisões que facilitarão a pregação do evangelho ou que estiverem alinhadas com algum outro propósito divino. Conforme escreveu o pastor Edemilson Alves Cardoso (Jimmy), “nosso Pai sempre é capaz de transformar situações adversas ou líderes que não O temam em bênçãos para o Seu povo. Oro para que o povo adventista faça bom uso da liberdade para testemunhar de Jesus enquanto a porta da graça está aberta para todos”. Os fatos relacionados com os bastidores da aprovação dessa nova lei nos ensinam a confiar em Deus e a perceber uma vez mais que Ele tem as rédeas da história do mundo em Suas mãos santas e misericordiosas. Continuemos orando pelos nossos governantes e façamos o nosso melhor para preparar o caminho para a vinda de Cristo. [MB]

Anúncios