A Igreja Adventista é uma seita? Resposta a um evangélico

iasd logoRecentemente meu amigo cientista e defensor da Teoria do Design Inteligente Dr. Marcos Eberlin postou em sua página no Facebook minha resposta a uma pergunta que ele me fez em privado: “Michelson, vou para o inferno por não guardar o sábado?” (Você pode ler esse post aqui.) Essa simples pergunta sincera acabou gerando uma discussão interminável, com vários ataques e críticas aos adventistas. De certa forma, serviu até de “laboratório” do que os guardadores do sábado enfrentarão no futuro… Um dos debatedores acusou a Igreja Adventista de ser uma seita e me fez algumas perguntas com o intuito de provar sua acusação. Leia abaixo o que respondi a cada um dos questionamentos dele e tire suas próprias conclusões:

Prezado J., aqui vão as respostas. Não pude me limitar a um “sim” ou “não” por três motivos: (1) em benefício dos que estarão lendo isto é preciso explicar algumas coisas, (2) algumas perguntas são claramente capciosas e não quero deixar mal-entendidos, e (3) algumas das suas perguntas não refletem a realidade do pensamento adventista nem bíblico. Vamos lá:

1. Você crê no Espírito de Profecia (Ellen White)?

Sim, eu creio no Espírito de Profecia manifestado ao longo da Bíblia na vida e obra dos profetas. Creio que esse foi um dos dons dados à igreja até a volta de Jesus (Ef 4:11-14), algo anunciado em Joel 2:28-32, por exemplo (por favor, leia os textos bíblicos). Creio que esse dom continuará com o povo de Deus até o fim, conforme assegura João no Apocalipse (Ap 12:17; 19:10). Por ter o dom profético é que João foi preso na ilha de Patmos (Ap 1:9).

Ellen White não é o Espírito de Profecia; ela teve o dom de profecia como outros profetas ao longo da história. O dom profético dela foi aceito por evidenciar as características que a Bíblia apresenta de um profeta verdadeiro. Ellen não inventou nenhuma das doutrinas adventistas, pois essa não era a função dela. Creio na Bíblia como fonte de normas e práticas (doutrinas).

É importante reconhecer um profeta verdadeiro (2Cr 20:20), mas não se trata necessariamente de ponto de salvação aceitá-lo ou não. O Antigo Testamento está repleto de casos em que os verdadeiros profetas não foram aceitos pelo povo de Deus. Mas, quando o povo aceita, os benefícios são grandes.

Portanto, para os adventistas, os escritos de Ellen White não são uma “segunda Bíblia” (e ela mesma diz isso), mas os ajudam na caminhada cristã. Os adventistas a consideram uma profetisa não canônica. Aos que duvidam resta-me deixar o conselho de 1 João 4:1: façam prova. Leiam e comparem tudo com a Bíblia. Depois retenham, se for bom (1Ts 5:21). Recomendo também este estudo que eu preparei.

2. Você acredita que a Igreja Adventista do Sétimo Dia é a igreja remanescente?

Acredito que Deus despertou a Igreja Adventista no século 19 com uma missão muito especial: anunciar a breve volta de Jesus e a mensagem dos três anjos de Apocalipse 14, dentro da qual está o criacionismo. Mais ou menos como creio que alguns séculos antes Deus despertou os reformadores protestantes para dar ênfase a aspectos esquecidos da pregação cristã. Isso não significa que a Igreja Adventista seja melhor ou pior que qualquer outra. Não significa que só os adventistas serão salvos (e qualquer adventista sabe disso). Significa que temos uma missão especial e vamos levá-la avante até o fim, mesmo sob forte oposição dos que não compreendem isso.

Jesus disse que haveria um só rebanho e um só Pastor, reunidos em torno da verdade eterna, do evangelho eterno de Apocalipse 14 – um evangelho que, por ser eterno, nunca mudou. As verdades são as mesmas desde o Éden. Os mandamentos são os mesmos desde o Céu. E Deus espera que esse povo (os remanescentes da igreja cristã ao longo da História) continue pregando as mesmas verdades, a mesma mensagem que os patriarcas, os profetas, Jesus e os discípulos pregaram. Isso é ser remanescente.

Os adventistas acreditam que existe uma igreja de Deus “invisível”, formada por pessoas sinceras de todas as religiões. Esse é o povo de Deus, o genuíno povo de Deus. Os adventistas também acreditam que em todas as épocas existiu a igreja de Deus “visível”. A exemplo das sucessivas reformas, cada etapa passou o bastão à próxima, e cremos que na atualidade a igreja visível está descrita em Apocalipse 12:17, um povo que está sendo perseguido pelo dragão por duas razões especiais: (1) guarda os mandamentos de Deus e (2) tem o dom profético (Espírito da Profecia).

3. Você acredita que Jesus é o Arcanjo Miguel?

Assim como acredito que Jesus era cem por cento humano, e que se me perguntassem: “Você acredita que Jesus é homem”, eu responderia “sim”; acredito, sim, que Jesus é o Arcanjo Miguel. Mas isso não significa que estou rebaixando Jesus de Sua divindade. Assim como, ao dizer que Ele é homem (é e não apenas foi, porque conserva Seu corpo humano), não estou deixando de reconhecer que Ele é também cem por cento Deus. Deus-homem, homem-Deus. Um homem perfeito, não moralmente caído, sem pecado. O único que nunca pecou, por isso mesmo digno de ser nosso redentor e de nos conceder Sua graça e Seus méritos salvíficos.

Jesus é o Verbo de Deus, aquele que Se manifesta e Se comunica com a humanidade. Antes de encarnar como ser humano, Ele aparecia como o Anjo de Jeová. Isso aconteceu diversas vezes na Bíblia, e os textos deixam claro que esse Anjo era divino (Js 5:13-15, comparar com Dn 12:1 – anjos não aceitam adoração [Ap 19:10]; Gn 16:7-11; 21:17; 22:11, 15; 24:7, 40; 28:12-15; 31:3, 11, 13; 32:22-30 [Os 12:3, 4]; 48:15; Êx 3:2, 4, 7; 3:16-4:17; 14:19; 15:11; 23:20, 21; 32:34; Nm 22:22-36; Js 6:1-4; Jz 2:1, 2; 6:11, 14, 22; 13:3, 13, 22; 2Rs 1:3-6; 1Cr 21:16; Zc 3:1, 2; etc. – compare com 1Co 10:1-4; Gênesis 22 e João 8:56 e 57 falam que Abraão viu o Anjo do Senhor/Jesus e O adorou [pois é Deus] [aliás, nesse texto de João, Jesus é o “Eu Sou”, o mesmo Anjo que em Êxodo 3:2, 13 e 14 tem nome igual]; Juízes 13 conta a história da anunciação de Sansão e em todo o capítulo é o Anjo do Senhor falando, até que no fim [Jz 13:21, 22] o pai de Sansão na verdade diz que eles viram a Deus; Gênesis 35:7 diz que o Anjo do Senhor que lutou com Jacó na verdade foi uma manifestação de Deus [pois era Deus ali]; repito: é importante ler os textos em sua Bíblia).

A palavra “Miguel”, como você deve saber, significa “aquele que é como Deus”. Quem unicamente é assim? Quem é esse Arcanjo Miguel que aparece lutando com Satanás no Apocalipse (Ap 12:7) e sob cuja voz os mortos despertam (1Ts 4:16)? Aliás, de quem é a voz de João 5:28, 29? Jesus pode ser comparado a um anjo, pois anjos não têm natureza caída; assim como pode ser moralmente comparado a Adão antes da queda. Quer “anjo”, quer “homem”, um ser perfeito que Se identifica maravilhosamente com Suas criaturas a ponto de Se comunicar com elas assumindo a forma delas. Esse é o eterno Verbo de Deus! Para quem quiser mais informação, sugiro isto.

Para concluir: Jesus não foi criado; Ele é Deus tanto quanto o Pai e o Espírito Santo. Cremos que Arcanjo seja “apenas” uma designação dada a Jesus nos momentos de batalha, uma espécie de “nome de guerra”. A Bíblia apresenta diversos nomes para Deus Pai, pois um único nome seria limitador demais para representá-Lo. De igual modo, Jesus possui muitos nomes, dentre eles o de Miguel, que retrata justamente Seu caráter divino.

4. Você acredita que Jesus foi completar Sua obra em 1844?

Acredito que Jesus cumpriu todo o ritual prefigurado no santuário terrestre (Hb 8:5-7). Jesus é nosso sumo sacerdote, como deixa claro o livro de Hebreus. Ele é o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Na cruz Jesus foi imolado como nosso substituto, à semelhança do que ocorria com os animais no ritual judaico. Por isso mesmo a cortina do templo se rasgou de alto a baixo (Mt 27:51, 52), indicando que o santuário terrestre e as cerimônias realizadas ali não mais teriam validade, já que o verdadeiro Cordeiro havia morrido no altar chamado cruz.

No ritual judaico, uma vez por ano havia a purificação do santuário dos pecados simbolicamente acumulados ali. Quando, no verdadeiro santuário (o celestial: Hb 9:24; Ap 11:19), isso aconteceu? Quando o santuário celestial começou a ser purificado? Aqui seria importante um estudo de Daniel 8 e 9, de uma profecia surpreendente que indica esse “quando” (clique aqui).

O santuário celestial precisa ser purificado porque há pecados registrados em livros ali (Ap 20:12) e cada pessoa precisa ser julgada com base nesses registros (Ec 12:14; Rm 14:10; 2Co 5:10). Creio que Jesus cumpriu na cruz Sua missão de redimir a humanidade, e que ao ascender ao santuário celestial (At 1:10, 11) Ele continua Sua obra intercessora em nosso favor, agora aplicando ao arrependido os méritos de Seu sangue derramado no Calvário. Em 1844, conforme a profecia de Daniel, Ele começou o chamado juízo investigativo e a purificação do santuário.

Resumindo: a obra expiatória de Cristo foi completa na cruz. Ele pagou o preço total e completo, não deixando nada para pagar depois. Lembre-se do que acontecia no Antigo Testamento, no santuário do deserto, quando o pecador arrependido ia até o santuário levando sua oferta pelo pecado. O pecador confessava o pecado com a mão na cabeça do animal e o sacrificava. A partir dali o pecador estava livre do pecado e ia embora tranquilo, pois havia feito o pagamento (expiação) pelo seu pecado.

A diferença na crença adventista é que entendemos o que o sacerdote fazia depois de o pecador ir para casa tranquilo. O sacerdote transferia o sangue simbolicamente contaminado com os pecados para o santuário, e no dia da expiação havia uma cerimônia especial em que o santuário era purificado. Entendemos que essas festas, assim como as demais, possuem uma aplicação escatológica. Elas eram sombras de realidades celestiais. Para o pecador arrependido, não muda nada; trata-se apenas uma compreensão mais profunda do que acontece em âmbito celestial.

5. Você acredita que Ele (Jesus) tinha uma natureza caída como a nossa; uma natureza pecaminosa?

Se Jesus tivesse uma natureza caída “como a nossa” não poderia ter sido nosso redentor. A Bíblia é clara em afirmar que Ele nasceu, viveu e morreu sem pecado. A concepção dEle foi milagrosa – já começa aí a diferença. Alguns confundem o fato de Ele ter vindo em uma forma humana “afetada” por quatro mil anos de pecado com a realidade de Ele ser moralmente perfeito e puro, portanto não “infectado” pelo pecado. Jesus sentia fome, frio, estava sujeito a doenças, como qualquer um de nós e diferentemente de Adão antes da queda. Mas, moralmente falando, Ele não tinha nada a ver com Satanás (Jo 14:30).

6. Você acredita que Ele (Jesus) não é o Todo-poderoso?

Se eu não acreditasse que Ele é o Todo-poderoso Deus (Jo 1:1-3) realmente seria um herege, já que essa crença é uma prova fundamental de que alguém é cristão (1Jo 4:3). Quando afirmamos que Miguel é um dos nomes de Jesus (e Ele tem vários), não estamos com isso dizendo que Ele seja um anjo criado ou algo assim, como creem os antitrinitarianos. Veja o que escrevi sobre a Trindade aqui; e sobre a divindade dEle aqui e aqui.

7. Você acredita que o selo de Deus na vida de um cristão é a guarda do sábado?

A Bíblia menciona pelo menos dois selos: o do Espírito, aplicado na vida do crente convertido, como penhor (2Co 1:22; 5:5; Ef 1:13, 14; 4:30), e o sábado, que identifica aqueles que reconhecem a Deus como Criador (Êx 20:12, 20; Êx 31:13-15; Is 8:16; Ap 7:3). Veja este vídeo.

O sábado aparece como selo de distinção, de sinal entre Deus e Seu povo (Ez 20:12, 20). O povo de Deus era diferenciado de todos os outros povos especialmente pela observância desse mandamento (que traz as características de um selo antigo: nome da autoridade que sela, cargo e jurisdição dela; leia Êxodo 20:8-11 e verá essas características ali). Mas o sábado só assumirá novamente o papel descrito em Ezequiel, de forma a mostrar quem é o povo de Deus, apenas nos dias dos 144 mil. Atualmente ele ainda não assumiu a característica decisiva de selo (Ap 7:1-3).

8. Você acredita que todos os que não guardarem o sábado vão receber a marca da besta?

Acredito que todos os que se rebelam conscientemente contra a lei de Deus terão que dar contas a Ele. Acredito que todos os que adulteram, mentem, roubam e adoram imagens, uma vez que tenham a consciência despertada para o seu pecado e não se arrependam, continuando obstinadamente no pecado, acabarão se perdendo. A salvação é pela graça, pela fé nos méritos de Cristo. Mas a forma como vivemos demonstra se valorizamos ou não essa salvação. “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15). “Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade” (Tg 2:12).

O rebelde consciente mostra que não ama seu senhor. Note que estou sempre enfatizando a consciência. Há pessoas sinceras em todas as religiões e fora delas. Creio que Deus julgará cada um segundo a compreensão que teve da verdade que lhe foi revelada ou que lhe esteve ao alcance. Haverá no Céu pessoas sinceras de todos os credos, salvas pela graça de Cristo. Mas pouco antes de Jesus voltar todas as pessoas terão a chance de conhecer mais claramente a vontade de Deus e Seus reclamos quanto à lei que Ele mesmo escreveu com Seu dedo (Êx 31:18).

9. Você acredita que Satanás é o bode emissário, conforme Levítico 16?

De novo temos que voltar ao ritual do santuário para compreender essa questão. Uma vez por ano (no Dia da Expiação) um bode era sacrificado pelos pecados de todo o povo e para a purificação dos pecados simbolicamente registrados no santuário. Depois desse sacrifício os israelitas eram declarados perdoados e o sumo sacerdote os abençoava (leia Levítico 16 em paralelo com Hebreus 9). O outro bode não era sacrificado. Os pecados do povo eram confessados sobre a cabeça dele e ele era enviado para morrer no deserto; repito: sem derramamento de sangue. Hebreus 9:22 diz que sem derramamento de sangue não há remissão de pecados e Levítico 16 deixa claro que o bode Azazel era enviado para morrer no deserto depois que a expiação (perdão) havia sido concluída.

A quem esse bode representa, então? (1) Um bode cujo sangue não era derramado, (2) que morria depois da expiação e (3) que “carregava” os pecados já perdoados, representando o culpado por eles, morrendo no deserto (Apocalipse 20 mostra quem estará acorrentado no deserto). Por tudo isso não posso acreditar que esse bode seja Jesus (seria até uma blasfêmia). Jesus é o bode que morre, que derrama o sangue para salvar os pecadores a quem Lúcifer tentou ao pecado.

Mais detalhes aqui.

Prezado J., quero aproveitar para comentar sua resposta à minha pergunta “O que caracteriza uma igreja cristã?” Você escreveu:

“Uma igreja cristã crê que a salvação está em Cristo e não em uma igreja. Ela crê que Jesus é Deus Todo-poderoso e não um anjo que tinha uma natureza caída como eu. Ela crê que Ele completou Sua obra na cruz do Calvário, quando disse ‘Está consumado!’ Ela é uma igreja centralizada na Bíblia como única regra de fé e pratica; não acredita que precisa de profetas para interpretar as Escrituras. Crê na doutrina da Trindade. Crê na humanidade de Jesus e em Sua ressurreição física. Crê no Espírito Santo como Deus e uma pessoa. Crê que somos salvos pela fé, por meio da graça de Cristo. Crê no sacrífico de Cristo como sendo suficiente para perdoar nossos pecados. Crê que o Espírito Santo é o selo de Deus na vida de um cristão e não a guarda de um dia. Esse é um resumo do que é uma igreja cristã.”

Bem, se você leu com atenção minhas respostas às suas perguntas acima, pode parar de considerar a Igreja Adventista uma seita e chamar os adventistas de seus irmãos, como eles o chamam. Mas, para ficar bem claro, aqui vão meus comentários:

“Uma igreja cristã crê que a salvação está em Cristo e não em uma igreja.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Ela crê que Jesus é Deus Todo-poderoso e não um anjo que tinha uma natureza caída como eu.” A Igreja Adventista crê exatamente assim. (Só um detalhe: anjos de Deus não têm natureza caída. Esses são os anjos rebeldes expulsos do Céu.)

“Ela crê que Ele completou Sua obra na cruz do Calvário, quando disse ‘Está consumado!’” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Ela é uma igreja centralizada na Bíblia como única regra de fé e pratica; não acredita que precisa de profetas para interpretar as Escrituras.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê na doutrina da Trindade. A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê na humanidade de Jesus e em Sua ressurreição física.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê no Espírito Santo como Deus e uma pessoa.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê que somos salvos pela fé, por meio da graça de Cristo.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê no sacrífico de Cristo como sendo suficiente para perdoar nossos pecados.” A Igreja Adventista crê exatamente assim.

“Crê que o Espírito Santo é o selo de Deus na vida de um cristão e não a guarda de um dia.” A Igreja Adventista crê que o Espírito Santo é o selo como penhor na vida do crente, e que o sábado do quarto mandamento será o selo de identificação dos crentes que decidirem não adorar a besta e seu sistema religioso corrompido. Um selamento que ainda está no futuro e que depende de uma compreensão mais ampla do assunto.

“Esse é um resumo do que é uma igreja cristã.” Em resumo: a Igreja Adventista do Sétimo Dia não é uma seita.

Michelson Borges

Anúncios