Controvérsia no Twitter: um laboratório para a perseguição

hatersOntem um dos assuntos que mais “bombaram” no Twitter foi Levítico 18, especificamente o verso 22, que diz: “Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.” Foi uma enxurrada de comentários, a maioria dos quais negativos, condenatórios e/ou jocosos. Ateus criticando a Bíblia e dizendo que os que levam esse verso a sério deveriam também evitar roupas com dois tipos de tecidos e não aparar a barba, conforme orientam outros textos do mesmo livro bíblico. Outros ainda chamaram atenção para o fato de que a maioria dos cristãos que usam o verso 22 não se preocupam com as recomendações dietéticas de Levítico 11 e comem de tudo – e nisso estão certos os críticos.

Como sempre, o contexto é importante para se avaliar um texto. Muitas ordens contidas no Pentateuco eram direcionadas para um povo que vivia cercado pela idolatria e que havia pouco tempo tinha sido libertado de uma nação pagã com costumes idolátricos e ocultistas. É nesse cenário que os livros de Moisés devem ser analisados e seus princípios permanentes identificados. Por isso, pergunto: No que diz respeito à alimentação, o que mudou? O porco, por exemplo, deixou de ser porco? O corpo humano e seu sistema digestório mudaram também? E no quesito sexualidade, o que mudou? O verso 23 de Levítico também condena o sexo com animais? Isso mudou? Agora pode? O incesto igualmente é condenado na Bíblia? Um dia será aceitável? É bom lembrar que as práticas homossexuais também são reprovadas no Novo Testamento e que a Bíblia sempre faz separação entre pecado e pecador, pois Deus odeia o primeiro e ama o segundo.

Dito isto, a controvérsia de ontem serviu de laboratório para o que vem por aí. Pessoas que levam a Bíblia a sério e procuram se pautar por seus ensinos são facilmente hostilizadas e tachadas de fundamentalistas, retrógradas e preconceituosas. O espírito do tempo é que determina como a Bíblia deve ser lida e interpretada, e não o contrário. O cúmulo da contradição foram algumas pessoas que se disseram cristãs, mas que desprezam abertamente a Palavra de Deus. Esquecem-se de que só são cristãs porque a Bíblia existe…

Num futuro próximo, o sábado será o ponto de controvérsia. O assunto estará na boca do povo e nas redes sociais. Estaremos prontos para responder no espírito de 1 Pedro 3:15? “Na peleja a ser travada nos últimos dias estarão unidos, em oposição ao povo de Deus, todos os poderes corruptos que apostataram da lealdade à lei de Jeová. Nessa peleja, o sábado do quarto mandamento será o grande ponto em litígio, pois no mandamento do sábado o grande Legislador Se identifica como o Criador dos céus e da Terra” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 392). “Como o sábado se tornou o ponto especial de controvérsia por toda a cristandade, e as autoridades religiosas e seculares se combinaram para impor a observância do domingo, a recusa persistente de uma pequena minoria em ceder à exigência popular, fará com que essa minoria seja objeto de ódio universal” (Ellen White, O Grande Conflito, p. 615).

Aliás, recentemente experimentei uma amostra grátis disso no Facebook (confira aqui).

Deus nos ajude a estar preparados para os tsunamis de oposição reais e virtuais que vêm por aí, afinal, o dragão está irado contra a mulher (quem lê entenda)!

Michelson Borges

Anúncios