Carta inédita de Ellen White é descoberta nos EUA

pucSegundo matéria publicada no site do Pacific Union College (PUC, instituição de ensino adventista localizada nos Estados Unidos), uma carta inédita (não documentada nem catalogada) de Ellen G. White foi descoberta nos arquivos do colégio e confirmada como sendo autêntica. Trata-se de uma carta pessoal endereçada ao evangelista e missionário John Orr Corliss, e o conteúdo traz um desabafo da autora com respeito à incredulidade em relação aos testemunhos, principalmente por parte de alguns líderes.

Ao longo de seu profícuo ministério, Ellen White escreveu mais de cem mil páginas manuscritas. Muito desse material se constitui de cartas pessoais, enviadas a diversas pessoas. Tudo o que havia de conhecido escrito por ela foi sendo publicado ao longo do tempo pelos depositários do patrimônio literário White. Mas é possível que, como aconteceu no caso da carta descoberta no PUC, haja uma ou outra coisa da pena de Ellen White que tenha se perdido (mais ou menos como aconteceu também com uma das cartas do apóstolo Paulo).

E antes que algum adepto de teorias conspiratórias se levante para afirmar que a Igreja Adventista teria escondido algum material escrito por Ellen White, é bom repetir para frisar: todos os textos conhecidos da Sra. White estão disponíveis e acessíveis, quer na forma digital, quer na forma física, guardados em uma caixa-forte na sede mundial da igreja, em Maryland, nos Estados Unidos.

A carta a Corliss, datada de 9 de maio de 1882, estava em um pequeno armário de metal usado para guardar mapas e não tinha a assinatura da autora, o que fez com que não tenha atraído muita atenção. Mas no começo deste ano especialistas a analisaram e atestaram a autenticidade do documento.

Na carta, White diz que nosso trabalho consiste em falar bastante sobre a piedade prática, e que o povo de Deus corre perigo ao não apreciar a grande luz e os grandes privilégios que tem. Especialmente a bênção de termos os testemunhos como uma luz na escuridão. Ela diz que os líderes devem estar à frente do povo dando exemplo e importância ao que Deus tem revelado por meio de Seus profetas. Alguns desses homens têm orgulhosamente dado prioridade a suas ideias em detrimento da luz que Deus lhes deu, prejudicando e influenciando para o mal aqueles a quem eles lideram. Grave coisa é espalhar sementes de incredulidade, diz a autora. Outros minimizam a importância dos testemunhos a fim de continuar nos erros que esses escritos condenam. Segundo ela, se a confiança das pessoas nos testemunhos do Espírito de Deus for destruída, presenciaremos uma situação grandemente desmoralizante.

Que esses apelos da Sra. White (também presentes em outras obras dela, já conhecidas) encontrem corações e mentes receptivos à voz do Senhor. [MB]