Congresso MV: mentiras e acusações

dedo apontadoDepois que eu postei um texto do meu amigo jornalista Davi Boechat com uma análise crítica da chamada “Bíblia White” (leia aqui a nota oficial da Divisão Sul-Americana ) e mostrei a falta de ética de seus organizadores (MV e IAGE) ao publicar um material dessa natureza sem o aval dos Depositários do Patrimônio White (encarregados pela própria autora de zelar por seus escritos), o líder do Congresso MV* passou a dirigir críticas e acusações à minha pessoa. Vinha ignorando esses comentários dele (até porque repudio o ad hominem e não gosto de alimentar controvérsias), só que desta vez ele se superou.

O líder do Congresso MV está promovendo uma campanha pública exigindo algo que não está em meu poder e propagando mentiras e acusações injustas. Ele afirma que eu estaria impedindo ou retardando a publicação de um livro escrito pelo ex-satanista e hoje adventista Gabriel Guilherme Estêvão, de Angola. Leia o texto acusatório:

“Michelson Borges está, há anos, na posse de um manuscrito elaborado pelo ex-satanista Gabriel (também conhecido como Roger Morneau de Angola), cujo depoimento em vídeo já superou os dois milhões de visualizações. Porém nos alcançou a notícia de que Gabriel está decepcionado porque seu manuscrito não só está sofrendo alterações substanciais, como também está demorando para avançar para o prelo. Queremos pedir ao Michelson e à comissão de avaliação de livros, que não façam cortes ou supressões, mas somente correções ortográficas e de sintaxe (construção de frase, formulação).”

Vamos aos verdadeiros fatos:

1. Não estou “há anos” com o manuscrito do Gabriel. Eu o conheci e publiquei seu testemunho em meu canal há menos de dois anos (veja o vídeo abaixo). De lá para cá, venho mantendo um diálogo construtivo e amigável com o Gabriel, orando por ele e apoiando-o no preparo desse material. O texto já passou por duas atualizações feitas pelo autor. Eu lhe expliquei como são os trâmites para submeter um original para a avaliação de uma editora, e ele está seguindo esse caminho.

2. Como assim o “manuscrito está sofrendo alterações substanciais”?! Eu jamais faria uma coisa dessas sem autorização do autor, nem me compete isso. Nenhuma editora poderia alterar o texto de um autor sem o consentimento e a aprovação dele. O líder do Congresso MV ou desconhece os caminhos para a publicação de um livro por uma editora séria (o que inclui a assinatura de contrato e outras formalidades), ou simplesmente quis adicionar “veneno” ao seu texto acusatório, o que é realmente lamentável.

3. Tenho registrada toda a conversa que mantive com o Gabriel neste um ano e pouco. Em abril deste ano, o Gabriel me enviou a última versão (atualizada) do original do livro dele, e eu o orientei a encaminhá-lo para avaliação editorial. Menos de uma semana depois, Gabriel recebeu resposta de uma editora com a orientação de que ele preenchesse um cadastro no site próprio para isso, a fim de submeter o livro à avaliação de uma comissão. Os trâmites estão seguindo, ninguém está atrasando nada, muito menos cortando partes do texto original.

4. Conversei no dia 11 de agosto com o Gabriel e coloquei-o a par da petição pública criada pelo líder do Congresso MV. Gabriel ficou chocado e me disse que em Angola isso seria considerado crime.

5. Em um áudio ao qual tive acesso (postado em um grupo de Telegram), o líder do Congresso MV fala de um “informante” que lhe disse que Gabriel estaria triste pela demora na publicação do livro (não foi isso o que Gabriel me disse). Alimentando um clima de conspiração e de suspeita, o editor da “Bíblia White” se diz temeroso de que os cortes no livro possam suprimir coisas importantes, e pede “que não se façam supressões que poderiam comprometer a instituição”. Isso é um absurdo! Em nenhum momento Gabriel fala contra a “instituição”, sendo membro fiel e atuante na Igreja Adventista em Angola.

Imagino que o líder do Congresso MV deva ter colocado meu e-mail profissional na petição, pois já recebi uma dezena de mensagens de pessoas que assinaram o tal abaixo-assinado. Pessoas que nada sabem dos bastidores dessa mentira e que agora estão enchendo minha caixa postal de maneira indevida e injusta, pensando mal a meu respeito, quando, na verdade, tenho procurado ajudar o Gabriel como posso.

A Bíblia nos diz que o pai da mentira e o acusador dos irmãos é Satanás. E toda pessoa que lhe segue os passos e imita a conduta, por mais que pregue sobre reavivamento, reforma de vida, perfeição cristã, etc., está muito longe disso. Depois, quando a igreja passa a desaprovar as atitudes de líderes e simpatizantes do Congresso MV, eles se fazem de vítimas e alimentam ainda mais o clima de discórdia e desconfiança.

A história de conversão do irmão Gabriel, arrancado por Deus das garras de Satanás, é uma inspiração e um poderoso testemunho. Era de se esperar que o inimigo não “deixaria barato” e fizesse de tudo para atrapalhar a vida dele e, também, o trabalho da igreja remanescente, alvo do ódio do dragão.

Como desta vez o líder do Congresso MV extrapolou os limites do bom senso e do cristianismo, expondo indevidamente a minha pessoa, o irmão Gabriel e a igreja, faço também o meu pedido: que ele apague a petição pública e mentirosa e que publique um texto se retratando. Se ele realmente se pauta pela verdade e pelos princípios cristãos (como afirma), fará isso o mais rapidamente possível.

Michelson Borges

NOTA DO GABRIEL GUILHERME ESTÊVÃO, DE ANGOLA:

“Graça e paz da parte do nosso bom Deus e Pai Eterno. Eu sou Gabriel Estêvão, o jovem angolano que foi resgatado pela maravilhosa graça de nosso Senhor Jesus Cristo das mãos de Satanás e dos seus demônios. Venho por este meio esclarecer a informação incorreta do meu amado irmão Daniel Silveira. Meu amado irmão Daniel, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo nos diz que devemos nos amar uns aos outros e perdoar uns aos outros. Na verdade, eu não disse nada a qualquer pessoa a respeito do preparo do meu livro envolvendo o amado irmão pastor Michelson Borges. Eu não disse a ninguém que meu livro estaria a sofrer alterações.

“1. O amado pastor Michelson não tem editora para editar meu livro, mas ele está me ajudando a entrar em contato com editoras no Brasil.

“2. O livro ainda está em minha posse e estou entrando em contato com uma editora para que passe pelo processo seletivo, e estou esperando que seja feita a vontade de Deus, o nosso bom Pai.

“3. O segundo grupo dos anjos caídos, chamados “guerreiros”, é especialista em criar difamações, dissensões, calúnias, conflitos, inimizades entre famílias, irmãos, amigos, sociedades, e colocar nação contra nação. Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo não quer que sejamos presas deles. Meu amado irmão Daniel Silveira, eu amo você como amo o meu amado irmão pastor Michelson Borges. O mundo não precisa saber que os que dizem ser filhos de Deus estão em conflito. A melhor forma de tratar um assunto é chamar a pessoa e conversar.

“Estou a pedir um grande favor ao meu amado irmão Daniel: que apague a informação incorreta das redes sociais. Lembre-se de que o Céu é para os humildes e mansos de coração. A difamação é um crime jurídico e um pecado diante de um Deus Santo (Êxodo 20:16).”

(*) A sigla MV vem de “Missionários Voluntários”, o antigo nome oficial dado ao Departamento dos Jovens Adventistas da IASD; portanto, ao adotar esse nome, o Congresso MV se apropriou de algo que pertence à IASD e à sua história.