Mulher de pastor posa nua com dois homens recém-casados

Após publicar fotos ousadas em que aparece completamente nua ao lado de um casal gay [sic], Simone Poncio, mãe de Saulo e Sarah Poncio, foi reprovada nas redes sociais. Pastora e esposa de Márcio Poncio, vice-presidente da Igreja Pentecostal Anabatista, Simone precisou lidar com críticas. “Essa é mulher de pastor?”, “A Bíblia fala de tudo, inclusive de falsos profetas”, “É um pouco estranho a senhora postar foto nua. Tá, o corpo é seu, mas tá estranho” e “Alguém me explica o porquê das fotos?”, foram algumas das reações. Na publicação, porém, Simone justificou a atitude. “O quê? Pode isso, Arnaldo? Sim, a regra é clara. E qual é a regra? Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: amarás o teu próximo como a ti mesmo”, começou. “Mas, peraí… quem é o meu próximo? Já fizeram essa pergunta pra Jesus e Ele respondeu lindamente (Lucas 10:25-37). Então, meus amores Geraldo e Hugo, eu amo vocês e nem a religião, nem as regras serão maiores do que o amor que eu sinto por vocês. Abro mão de tudo isso. Quero aprender cada vez mais com Jesus esse lindo ensinamento”, escreveu.

Nesta quarta-feira (20/11/2019), Márcio realizou o primeiro casamento gay de sua igreja. Pelas redes sociais, ele, que é pastor, se mostrou feliz por celebrar uma união homoafetiva. “Hoje terei a honra de celebrar o primeiro casamento entre duas pessoas do mesmo sexo na minha vida. Estou muito feliz, me sinto honrado, me sinto em paz”, declarou Márcio no Instagram, mais cedo.

Momentos após a celebração, Simone Poncio atualizou seu perfil nas redes sociais com cliques sensuais. Neles, ela surge completamente nua ao lado dos recém-casados. “Que dia tão especial! Que casamento! Já está de tirar o fôlego”, escreveu ela. Em um dos cliques, Simone aparece vestida de branco, abençoando o casal, que é amigo da família.

(Metrópoles)

Nota do humorista cristão Jonathan Nemer: “Muitas pessoas comentando e repercutindo esse ensaio fotográfico… Se trata da Simone Poncio, esposa do pastor da Igreja Pentecostal Anabatista da Barra, no RJ. Ela postou uma sequência de fotos, digamos, ousadas, para celebrar que sua igreja faria o primeiro casamento gay [sic]. A repercussão era previsível e alcançou o resultado desejado. ‘Igreja evangélica fazendo casamento gay? Como assim?’ ‘A esposa do pastor fazendo fotos pelada? Whatahell?’ Na verdade essas coisas não deveriam nos surpreender, pois a Palavra já nos alertava para o fim dos tempos. Vez ou outra aparecerão igrejas católicas e evangélicas celebrando casamento gay [sic], praticando coisas que vão contra a Palavra. Nossa parte? Nos entristecermos (pois a partir do dia que não nos entristecermos teremos perdido a sensibilidade) e orar. Orar para que o Espírito Santo convença do pecado… Orar para que as escamas caiam dos olhos… Orar para que o Senhor livre as pessoas do engano do falso evangelho… Orar para que as pessoas conheçam a Palavra e interpretem a mesma como um todo, e não em trechos isolados fora do contexto. Sigamos, pois, fazendo nossa parte… Pregando o evangelho genuíno, que diz para matarmos nossa carne, lutarmos contra o pecado, não nos conformarmos com este mundo… Que o nosso maldito EU desapareça e que o Senhor cresça em nossas vidas. Abaixemos nossos dedos de julgamento, e ergamos nossas vozes em oração.”

Nota MB: O relativismo e a desconsideração dos valores e princípios bíblicos têm criado muitas distorções no meio cristão. Se cristãos já relativizavam o dia de guarda, por exemplo, afirmando equivocadamente que o dia sagrado do sábado passou a ser o domingo, relativizar a outra instituição edênica (o casamento) seria uma questão de tempo. Deus estabeleceu o sábado do sétimo dia como memorial da criação realizada em uma semana literal. O casamento heteromonogâmico, assim como o sábado, foi criado antes do pecado e celebrado lá no Éden, pelo próprio Deus. Ao unir Adão e sua esposa Eva pelos laços sagrados do matrimônio, o Criador estava estabelecendo a norma para a humanidade; o tipo de relação que possibilitaria a continuidade da espécie humana sobre a Terra. Deus é o Criador e dotou homem e mulher da capacidade procriadora – iguais, mas diferentes, e por isso mesmo complementares.

O primeiro capítulo da Bíblia apresenta o padrão divino para vários aspectos da vida, incluindo, como já disse, o casamento. Por isso interessa tanto a Satanás atacar o criacionismo e fazer parecer que o relato da criação se trata apenas de um mito, uma alegoria, história da carochinha. Espalhando esse engano relativista entre os cristãos, o inimigo de Deus conseguiu desfigurar o alicerce de muitas doutrinas, entre elas o sábado e o casamento. É justamente por causa desse afastamento da crença na normatividade bíblica que temos visto cristãos darem as costas para textos tão claros como estes:

“Não descobrirás a nudez de teu pai e de tua mãe: ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez. Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez de teu pai” (Levítico 18:7, 8).

“Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é” (Levítico 18:22).

“Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro” (Romanos 1:26, 27).

Quanto mais a vontade humana se sobrepõe à Palavra de Deus, mais coisas estranhas serão vistas, afinal, “Deus nos fez simples e direitos, mas nós complicamos tudo” (Eclesiastes 7:29). [MB]