Testemunho do goleiro Vitor: “Eu só escolhi outro caminho”

1Goleiro vivia o auge da carreira e tinha proposta da Série A. Até que a religião mudou toda a história

Eu sei que poderia ter tido uma carreira de mais sucesso no futebol. Eu sei. As coisas não aconteceram da forma como eu esperei, como planejei, como eu quis, como era mais fácil para mim. O futebol era a minha zona de conforto desde os 14 anos, cara. Mas a vida não é matemática. Existe aquilo que você aprende no meio do caminho. Meu sonho de ganhar muito dinheiro e jogar na Série A estava me levando para a morte. Eu poderia não ver meus filhos crescerem. Não tem nada pior do que isso. Hoje eu tenho dois filhos educados e saudáveis, próximos de mim. Tenho um casamento de 13 anos. Tenho uma base espiritual forte na Igreja Adventista do Sétimo Dia.

[Clique aqui e leia o lindo testemunho de conversão do goleiro Vitor, publicado no portal UOL.]

Nota do Marco Dourado: “O testemunho do Vítor é exaltante porque autêntico, e também por contrastar com a maioria dos sedizentes jogadores cristãos. Cristianismo autêntico implica riscos e custos (Lc 14:28-32). É fácil tatuar ‘JESUS’ no braço, levantar as mãos pro céu ao comemorar o gol, dedicar a vitória a Deus durante a entrevista ou orar de joelhos no gramado. A única consequência dessas ações é um muxoxo de ironia do Juca Kfouri e sua patota. E nem podemos alegar que o ateu e extrema-esquerda Juquinha é preconceituoso; cansei de ver Atletas de Cristo cometer faltas violentas e desleais, xingar os próprios colegas ou o árbitro, simular pênaltis ou cavar a expulsão dos adversários inocentes. Cobrados por suas atitudes execráveis, vários deles dão risada e dizem: ‘Minha natureza é essa, fazer o quê?’ ou ‘Dentro de campo existe uma ética particular, que não tem nada a ver com o que a gente ensina pros nossos filhos no dia a dia.’ Deus está usando maravilhosamente o Vitor pra mostrar ao mundo que é incomparavelmente mais difícil viver por Cristo do que morrer por Ele.”