Onze cristãos são decapitados na Nigéria

cristaos

O atentado foi reclamado pelo Boko Haram, autodeclarado braço do Estado Islâmico na região Norte da Nigéria

Na quinta-feira (26), o grupo extremista Província do Estado Islâmico na África Ocidental (ISWAP) divulgou um vídeo, no qual mostrou 11 reféns cristãos sendo mortos. As vítimas foram decapitadas pelos terroristas após terem pedido, em um vídeo anterior, que a Associação Cristã da Nigéria (CAN) negociasse sua libertação. Segundo o Estado Islâmico (EI), a ação fez parte de sua campanha, lançada no último domingo, para vingar as mortes do líder, Abu Bakr al-Baghdadi, e do porta-voz, ocorridas em outubro, na Síria. Desde então, vários ataques foram reivindicados pelo grupo extremista. A agência de notícias do Estado Islâmico divulgou um vídeo de 56 segundos mostrando os assassinatos brutais e reivindicando vingança por seu líder caído Abu Bakr al-Baghdadi. O vídeo mostrou homens de uniforme bege e máscaras atrás dos reféns, que estavam vendados. Um deles foi alvejado com um tiro e os outros foram decapitados. Tudo indica que o vídeo foi lançado em 26 de dezembro e analistas dizem que foi claramente cronometrado para coincidir com as celebrações de Natal.

Um pastor nigeriano que é parceiro da Portas Abertas, organização que apoia cristãos perseguidos no mundo, descreveu o ambiente atual na região norte como uma cultura de sobrevivência. “Você deita a cabeça à noite, sem saber se vai acordar”, diz ele. No entanto, mesmo durante a violência e a ameaça de futuros ataques do Estado Islâmico, a esperança em Cristo ainda está presente na igreja.

O pastor Marco, outro parceiro da Portas Abertas em campo na Nigéria, está ajudando a reconstruir uma igreja e restaurar uma vila que foi atacada pelo Boko Haram. Suas palavras para a igreja são inspiradoras e encorajadoras – lembrando que viver é Cristo e morrer é ganho.

A Portas Abertas faz parceria com a igreja local para fortalecer, apoiar e equipar os cristãos perseguidos no norte da Nigéria. O país ocupa o 12° lugar na Lista Mundial da Perseguição 2019, que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo.

Nota: Oremos pela igreja perseguida e por nossos irmãos que têm sido mortos pelo simples fato de declarar a fé em Jesus. Lembremo-nos deles todas as vezes que sentirmos preguiça de ir à igreja, falta de entusiasmo missionário e apatia espiritual, que se manifesta na “falta de tempo” para ler a Bíblia e orar. Agradeçamos a Deus a liberdade religiosa de que desfrutamos em nosso país e não nos esqueçamos, também, de que isso está com os dias contados. Aproveitemos cada minuto que temos para nos achegar a Deus e cumprir nossa missão. [MB]