Fumaça de incêndios na Austrália chega à América e detona a Terra plana

incêndio-austráliaLeia abaixo da matéria as notas que mostram minha estranheza com três aspectos relacionados com essa tragédia

A fumaça dos incêndios que atingem a Austrália foi vista hoje no Chile e na Argentina em uma nuvem que percorreu mais de 12 mil quilômetros até chegar à América do Sul. Segundo o Departamento Meteorológico de Santiago, o material não oferece risco à saúde da população. A nuvem está localizada a cerca de seis quilômetros de altura e não há na região nenhum fenômeno climático que possa fazer com que ela se aproxime da superfície. No Twitter, o Serviço Meteorológico Nacional da Argentina (SMN) mostrou imagens de satélite em que pode ser vista a fumaça sendo transportada pelos sistemas frontais que se deslocam de oeste para leste. […] O fenômeno ainda pode chegar ao Brasil, mais precisamente ao Rio Grande do Sul, e ao Uruguai amanhã.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, anunciou a liberação de dois bilhões de dólares australianos (cerca de R$ 5,6 bilhões) para as regiões atingidas pelos incêndios florestais, que deixaram 25 mortos e destruíram um território equivalente ao da Dinamarca. O dinheiro, segundo Morrison, será distribuído nos próximos dois anos e administrado por um novo órgão, a Agência Nacional de Recuperação de Incêndios Florestais, encarregada de reconstruir casas e prédios danificados pelo fogo.

“Os incêndios ainda estão queimando e vão queimar por meses”, disse o primeiro-ministro durante a entrevista coletiva. “Vai ser feito o que for preciso, custe o que custar”, garantiu. […]

Em mensagem publicada no Twitter, Morrison agradeceu “o apoio e a assistência” dados pelos “amigos internacionais” num “momento de necessidade”, e citou também o auxílio de países do Pacífico, como Vanuatu e Papua-Nova Guiné, que ofereceram dinheiro e pessoas para reforçar o combate às chamas. […]

(UOL Notícias)

Nota 1: Causa-me estranheza que as reações a essa tragédia na Austrália tenham sido bem menos fortes que as manifestadas em relação aos incêndios na Amazônia (os incêndios florestais na Austrália superam em seis vezes a área das queimadas que atingiram a Amazônia em 2019). Evidentemente que há diferenças significativas entre um evento e o outro; mesmo assim, onde está o presidente Macron neste momento? Onde estão os muitos atores e as atrizes com seus discursos inflamados (sem trocadilhos)? Incêndios florestais dessas dimensões são sempre uma catástrofe para o meio ambiente; mas catastrófica é também a manipulação da opinião pública para fins bem menos nobres que salvar as “girafas da Amazônia” e os coalas da Austrália. [MB]

wardNota 2: Falando em coalas… A modelo norte-americana Kaylen Ward resolveu “ajudar no combate aos incêndios” de um jeito inusitado: tirando a roupa e vendendo suas fotos nesse estado. Ela batizou essa “campanha” de “Naked Philanthropist” (Filantropa Nua), e passou a cobrar dez dólares por foto. Segundo Ward, foram arrecadados cerca de 1,2 milhão de dólares. Mas nem tudo deu certo: “Minha conta no Instagram foi deletada. Meus pais de deserdaram. O cara que eu gosto não fala mais comigo. Mas f******, salve os coalas”, escreveu no Twitter. A fala da modelo mostra o quão incoerentes podem ser os ambientalistas fanáticos, certos veganos e defensores de outras causas extremas: para defender o meio ambiente e os animais, eles estão dispostos a passar por cima de seres humanos. Esse tipo de mentalidade se presta bem aos interesses dos defensores do “império ecológico” ECOmênico. [MB]

Nota 3: Observe a imagem abaixo (o mapa adotado pelos defensores da ideia da Terra plana): se a Terra fosse mesmo plana, como pensam os terraplanistas, antes de chegar ao Brasil, a fumaça dos incêndios na Austrália teria passado pela Ásia, Europa, pelo Ártico e pela América do Norte. Na verdade, dificilmente teria percorrido toda essa distância até chegar à América do Sul. Teria se dissipado muitos quilômetros antes. Curiosamente, não há relato algum de fumaça passando pelos lugares mencionados, a não ser no Chile e na Argentina (neste momento, estou na América do Norte, e nada de fumaça por aqui). Se tiver um globo terrestre, veja como o cenário descrito na reportagem se torna perfeitamente possível via Oceano Pacífico. [MB]

terra.jpg