Seminarista católico muda de vida com programa da Novo Tempo e livros da CPB

Matheus

Sou de família católica, e, como alguns jovens católicos, sempre quis ser padre. Ao longo dos anos, envolvido em vários ministérios e amante da leitura que sou, mergulhei nos estudos. A Filosofia e a Patrística já me atraíam antes da entrada formal no Seminário, portanto, foi um caminho natural. Aos 24 anos já tinha opiniões supostamente muito bem embasadas. Conseguia, por exemplo (por incrível que pareça), conciliar o relato de Gênesis com a teoria da evolução. Debatia Mariologia, Cristologia tendo como base a autoridade da igreja, inclusive sobre a interpretação das Escrituras.

No Seminário, a partir de 2005, iniciei minha formação em Filosofia. Permaneci durante alguns anos, até chegar a 2010, e aqui entra o conflito. Uma noite em meu quarto, recebi o link de um vídeo que contrastava o sábado e o domingo no contexto bíblico. Aquilo me incomodou muito, e decidi procurar mais daqueles vídeos e produzir, de alguma forma, material voltado à defesa do primeiro dia da semana como dia de guarda. Escrevi um texto no site em que era um dos cooperadores. Qual não foi minha surpresa, quando, poucos dias depois, ao abrir outro site, me deparei com um artigo que praticamente respondia biblicamente tudo aquilo que eu havia questionado.

Aquele artigo havia sido escrito pelo jornalista Leandro Quadros. “Quanta ignorância e arrogância”, eu pensei. Quem é esse rapaz para questionar séculos de tradição e ensinos, e, principalmente, a autoridade da igreja fundada sobre Pedro?

Resolvi procurar o autor daquele artigo. Era apresentador do programa “Na Mira da Verdade”, da TV Novo Tempo. Lembro-me de que procurei até o endereço, se era pastor, qual igreja frequentava, e consegui, por incrível que pareça, seu número de celular e e-mail. A partir daí passei a me comunicar, no intuito de derrubar aquela “plataforma teológica” e provar que eu estava certo. Fui sincero, não escondi minha formação. Abro aqui um parêntese. Nesse tempo em que iniciei com o Leandro um diálogo, enviei uma pergunta ao “Na mira”, com um nome falso (isso me envergonha hoje), e fiz uma oração. Pedi a Deus que colocasse a pergunta no ar, para que o programa fosse desmascarado e não conseguissem responder. Incrivelmente, a pergunta foi ao ar no bloco seguinte e… respondida biblicamente. Não me contentei e na semana seguinte enviei outra questão e, pasme, ela foi mais uma vez levada ao ar.

Quem conhece o programa, sabe o quão difícil é ter o questionamento respondido, por conta das inúmeras perguntas que lá chegam. Mas, como disse, nesse tempo já conversava com o Leandro. Não sei explicar com palavras o que de fato estava ocorrendo. Lembro-me de que em uma segunda feira de março de 2010, após ouvir uma homilia a respeito da lei de Deus (na verdade, os mandamentos do Catecismo), subi para o quarto e chorei. Quando meus amigos subiram, tentei esconder aquilo que para mim naquele momento era constrangedor. Havia lido um material enviado pelo Leandro e, pouco depois, estava ali, questionando minhas crenças.

Matheus 2Aquele conflito em minha mente só se intensificou; foram alguns meses de diálogos, estudos, até que enfim, pela graça de Deus, tomei a decisão que definitivamente mudaria minha vida. Hoje sou um adventista do sétimo dia (desde 2011). Ancião, casado e pai de um menino lindo. Olho para trás e percebo claramente Deus conduzindo cada passo e colocando em meu caminho pessoas especiais. Qual não foi minha surpresa quando recebi em 2012 o livro A História da Vida, e poucos dias depois o Por Que Creio, do pastor e jornalista Michelson Borges (ambos os livros da Casa Publicadora Brasileira).

Foi um marco, pois tudo aquilo que sempre acreditei (era evolucionista teísta), agora passava pelo crivo não apenas das Escrituras, mas pela própria ciência, e não se sustentava. Não havia conformidade entre Genesis e o evolucionismo, e agora conseguia reunir argumentos racionais e objetivos. Enfim, tudo mudou, ou melhor, Deus tudo mudou. Tive o privilégio de posteriormente conhecer tanto o Leandro quanto o Michelson, e partilhar um pouco daquilo que Deus misericordiosamente fez em minha vida. Ainda tenho, sim, amigos do Seminário; pessoas inclusive extremamente sinceras e dedicadas à sua fé. E exatamente por isso creio que serão alcançados pelo poder maravilhoso que emana da Palavra do Senhor.

(Matheus Amaral é formado em Logística e licenciado em Filosofia)