“The Great Reset”, a nova ordem mundial e o substituto humano para a recriação de Deus

resetDesde o começo da rebelião no Céu, quando Lúcifer quis ocupar o lugar de Deus, esse anjo caído vem desenvolvendo contrafações ao que o Criador estabeleceu. Alguns exemplos: Deus criou no Éden o casamento heteromonogâmico e o sábado, quando concluiu a criação da vida em nosso planeta trazendo à existência o primeiro casal. O que fez o diabo? Bagunçou o conceito de casamento e usou poderes humanos para colocar em lugar do shabbat um dia que não conta com a bênção de Deus (Gn 2:2, 3), o domingo, 24 horas comuns de trabalho. Jesus salva os pecadores pela graça e realiza no santuário celestial uma obra intercessora em favor da humanidade caída. O que faz o inimigo? Desenvolve um sistema espúrio de salvação pelas obras e coloca seres humanos pecadores como intercessores em lugar de Cristo. A promessa de Deus presente em milhares de textos ao longo da Bíblia é a de que mil anos após a volta de Jesus Ele recriará este planeta, trazendo de volta a vida edênica num mundo de paz, justiça, bondade e eternidade (2Pd 3:10; Ap 21:1-3). Obviamente que Satanás não deixaria barato e tentaria contrafazer também essa bem-aventurada esperança (Tt 2:3). Por isso, faz com as pessoas creiam em reencarnação ou, então, no fim da vida, por exemplo. Ou as leva a crer na utopia de que poderão salvar o mundo com seus esforços. A mais recente campanha nesse sentido é conhecida como “The Great Reset”, e está ganhando corpo neste tempo de pandemia e crise econômica.

O site oficial do projeto liderado pelo World Economic Forum diz: “É urgente que as partes interessadas globais cooperem no gerenciamento simultâneo das consequências diretas da crise da Covid-19. Para melhorar o estado do mundo, o Fórum Econômico Mundial está dando origem à iniciativa ‘The Great Reset’. A crise da Covid-19 e as perturbações políticas, econômicas e sociais que ela causou estão mudando fundamentalmente o contexto tradicional da tomada de decisões. As inconsistências, inadequações e contradições de múltiplos sistemas – da saúde e financeiros à energia e educação – estão mais expostas do que nunca em meio a um contexto global de preocupação com vidas, meios de subsistência e o planeta. Os líderes se encontram em uma encruzilhada histórica, gerenciando pressões de curto prazo contra incertezas de médio e longo prazo.

“Ao entrarmos em uma janela única de oportunidade para moldar a recuperação, essa iniciativa oferecerá informações para ajudar a informar todos aqueles que determinam o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de um bem comum global. Partindo da visão e da vasta experiência dos líderes envolvidos nas comunidades do Fórum, a iniciativa ‘The Great Reset’ tem um conjunto de dimensões para construir um novo contrato social que honra a dignidade de todos os seres humanos.”

Embora a iniciativa foque na questão econômica, é preciso notar que a intenção é “resetar” a humanidade e promover uma nova ordem mundial, uma nova sociedade, “e construir um mundo mais estável, pacífico e próspero para todos”, como disse António Guterres, secretário-geral da ONU.

No vídeo disponível no site oficial, Charles, o príncipe de Gales, relaciona a pandemia causada pelo novo coronavírus com a crise ambiental, e diz que ambas são devastadoras. “Temos uma única janela de oportunidade que está se encolhendo rapidamente”, diz de maneira urgente o príncipe.

Segundo Klaus Schwab (foto acima), comissões de trabalho do World Economic Fórum apresentarão propostas em várias áreas para os delegados que se reunirão em janeiro de 2021 por ocasião do próximo encontro em Davos, na Suíça. A ideia é que haja uma mudança de mentalidade e estilo de vida que envolva todas as pessoas no mundo.

Como tenho dito em textos e vídeos em meu canal no YouTube, a crise desencadeada pelo novo coronavírus, pela consequente derrocada da economia e mesmo pelas revoltas oriundas do assassinato de George Floyd, nos Estados Unidos, está servindo de catalisador para acelerar uma série de medidas, decretos e decisões que favorecerão o cumprimento de profecias bíblicas há muito aguardadas. Isso tudo somado à crise ambiental cria o cenário perfeito para uma lei dominical proposta pelo papa Francisco e por outros papas antes dele. O mundo será preparado para parar um dia na semana. Deus tem um “reset” semanal. O diabo está preparando o caminho para o dele.

E “quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão” (1Ts 5:3).

Estejamos atentos e preparados!

Michelson Borges