As 45 metas do comunismo – quase todas cumpridas

comunismo2Publicadas pela primeira vez na 8ª edição de O Comunista Exposto, em 1961, as 45 metas do comunismo foram recolhidas de depoimentos dados ao Congresso norte-americano por vários estudiosos e dos escritos comunistas da época. A orientação geral dessas metas era atacar os fundamentos judaico-cristãos. Para os que acreditam que o “marxismo cultural” promovido por Gramsci é uma lenda, deixo a pergunta: Por que quase todas as metas do comunismo foram cumpridas debaixo do nosso nariz e as poucas que faltam ser alcançadas estão sendo exatamente agora? Coincidência? Destaco aqui algumas dessas metas para você ver com os próprios olhos. Mesmo que a expressão “marxismo cultural” seja questionável (talvez a melhor fosse “gramscismo”), negar a realidade que ela descreve é agir como aqueles que pensam que o diabo não existe, o que lhe permite atuar livremente. É como escreveu o filósofo alemão Schopenhauer: “Quem espera que o diabo ande pelo mundo com chifres será sempre sua presa.”

(Fica aqui a recomendação de leitura de O Comunista Exposto, de W. Cleon Skousen, e dos conteúdos listados neste link e neste também.)

Vamos às metas:

17. Controlar as escolas. Usá-las como meios de transmissão do socialismo e da propaganda comunista vigente. Suavizar o currículo. Controlar as associações de professores. Impor a linha do partido nos livros didáticos.

20. Infiltrar a imprensa. Controlar as resenhas literárias e as redações editoriais e ocupar os cargos diretivos.

21. Ocupar as posições-chave no rádio, na televisão e no cinema.

24. Eliminar todas as leis sobre obscenidade, dando a elas o rótulo de “censura” e violação da liberdade de expressão e imprensa.

25. Quebrar os padrões culturais de moralidade através da promoção de pornografia e obscenidade em livros, revistas, filmes, rádio e TV.

26. Apresentar a homossexualidade, a degenerescência e a promiscuidade como algo normal, natural e saudável.

27. Infiltrar as igrejas e substituir a religião revelada pela religião “social”. Descreditar a Bíblia e dar ênfase à necessidade de maturidade intelectual, a qual prescinde de uma “muleta religiosa”.

28. Eliminar a oração ou qualquer faceta da expressão religiosa nas escolas com base na alegação de que violam o princípio da separação entre igreja e Estado.

40. Descreditar a família como instituição. Encorajar a promiscuidade e o divórcio facilitado.

O vídeo abaixo mostra mais uma peça sendo movida no tabuleiro desses interesses:

Só pra lembrar (e acordar!), esses senhores de preto, em sua maioria, foram indicados por governos alinhados com a ideologia comunista e estão levando avante as metas citadas acima. Querem acabar com os valores cristãos que são um empecilho para seu projeto de poder. E agora estão usando justamente os influenciadores amados por esta geração ingênua. Estão desvirtuando nossos filhos. Estão colocando nossos filhos contra nós. E isso é muito triste. Muito revoltante.

AGORA PRESTE ATENÇÃO, POR FAVOR:

Antes de afirmar que sou defensor da direita ou “bolsominion”, coisas que não sou; e antes de me acusar de estar promovendo discussões políticas (o que também é um erro, pois nunca falei de política partidária ou algo parecido em minhas redes sociais – falo de ideologias que têm implicações religiosas e escatológicas, coisa que os bons entendedores compreendem), permita-me dizer-lhe que nunca deixei de apontar também o perigo que vem da direita, justamente em reação às pautas da esquerda. A direita conservadora é alinhada com as religiões hegemônicas, tanto protestantes quanto católica, e promoverá cada vez mais a nefasta aproximação entre a igreja e o Estado (veja isto e isto), permitindo que a religião se intrometa mais e mais em assuntos políticos, chegando ao ponto de, como sabemos, apoiar uma legislação opressora conhecida como “decreto dominical”. Se será um governo de direita ou de esquerda que assinará essa lei nos Estados Unidos, isso pouco importa (na verdade, já têm havido alguns alinhamentos de agendas). Quem moveu o pêndulo de lá para cá e de cá para lá, promovendo ações e reações, foi Satanás em pessoa. Os verdadeiros ingênuos são aqueles que incentivam a polarização e se alinham fanaticamente à esquerda ou à direita, ignorando o cenário maior, a realidade mais ampla do grande conflito e os verdadeiros senhores deste mundo de pecado (Efésios 6:12), para os quais as figuras políticas e os influenciadores desse ou daquele lado são apenas marionetes.

Pautas LGBT+, de combate ao racismo, feministas, etc., por mais que contenham elementos válidos, provenientes de uma preocupação genuína oriunda de problemas reais (como o preconceito e a desigualdade), vêm sendo instrumentalizadas por elementos e poderes que as veem apenas como peças úteis num projeto subversivo muito maior. E justamente por amor aos sinceros e, como dizia Lênin, “idiotas úteis”, vale a pena continuar orando e erguendo a voz, apresentando a única solução real para este mundo perdido: o evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo, a verdade que liberta (João 8:32) e a promessa de Sua breve volta a este mundo.

Adventistas deviam saber de tudo isso, pois sabem que a primeira subversão rebelde começou no Céu e se estendeu para a Terra. Adventistas não deviam ser presa fácil dessa rede diabólica, mas acabam sendo. Adventistas não deviam se desviar nem para a esquerda nem para a direita, mas olhar apenas para o Alto. Mas sabe por que muitos deles estão se perdendo pelo caminho? Leia Oseias 4:6.

Michelson Borges