A sacudidura

O que determina sua permanência ou não na peneira são o amor a Deus e à Sua Palavra, e a comunhão que você nutre diariamente com Jesus.

sacudidura

A palavra “sacudidura” (“peneiramento” ou “joeiramento”) vem do contexto agrário, e se refere ao ato de sacudir uma peneira cheia de sementes a fim de que a palha e outros “elementos estranhos” possam ser eliminados. Resumindo, a sujeira sai e o grão fica. Conforme se pode ler em Amós 9:8 e 9, a promessa de Deus é de que nenhum grão cairá no chão, ou seja, todo bom grão ficará na peneira.

Outros textos bíblicos que tratam de peneiramento, joeiramento ou sacudidura são, por exemplo, Mateus 13:24-33, Lucas 22:31, 32; Hebreus 12:26-29; Apocalipse 7:9-17; e 1 Coríntios 10:12. O que fica claro sempre é que Deus dirige o processo, os justos são o trigo e os ímpios são a palha levada pelo vento.

Em dezembro de 1844, a jovem Ellen Gould Harmon (depois White) teve sua primeira visão profética: a do caminho estreito. Um grupo permanecia no caminho, outro caía. Um claro processo de sacudidura; de seleção determinada pelas próprias escolhas dos caminhantes. Na verdade, sacudidura é um tema recorrente nos escritos de Ellen.

No livro Testemunhos Para a Igreja, volume 5, página 136, está escrito que “permanecer em defesa da verdade e da justiça quando a maioria nos abandona, participar das batalhas do Senhor quando são poucos os campeões – essa será nossa prova. Naquele tempo, devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia e lealdade de sua traição”. Em Mensagens Escolhidas, volume 2, página 380, ela diz que “a igreja talvez pareça como se estivesse prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no peneiramento – quando a palha for separada do trigo precioso”. Portanto, o recado inspirado é claro: permaneçamos ao lado da verdade e da justiça, e jamais pulemos para fora da peneira!

Causas da sacudidura

– Pregação da mentira. Em Colossenses 2:8, o apóstolo Paulo adverte: “Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.” Em 1 Timóteo 4:1 e 2, ele prevê: “O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada.” E arremata em 2 Timóteo 4:3 e 4: “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos.Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.” Assim fica claro que uma das causas da sacudidura são as heresias, as mentiras, o engano. Como resistir a isso? Pelo conhecimento da verdade bíblica; pelo uso diário das águas cristalinas da Palavra de Deus.

– Perseguição e sofrimento. Onde o engano e as heresias não terão sucesso, a perseguição e o sofrimento darão conta de desviar alguns. Pessoas que não dão o devido valor à verdade e não estão firmemente alicerçadas na Palavra de Deus cederão às pressões sociais e à ameaça de prisão e morte. Somente suportarão essa prova aqueles que descobriram a “pérola de grande preço”; aqueles para quem Jesus é tudo, o mais importante, a maior prioridade. Quem tem a vida “escondida em Cristo” não teme ameaças humanas nem demoníacas.

– Rejeição do testemunho da testemunha verdadeira. Em Apocalipse 3:14-22, Jesus apela a Seu povo para que “compre” dEle ouro refinado (fé), vestes brancas (justiça de Cristo) e colírio (capacidade de visão concedida pelo Espírito Santo). Sem esses “remédios”, nossa condição laodiceana é desesperadora. O apelo da testemunha fiel fica claro nestas palavras: “Repreendo e disciplino aqueles que Eu amo [NVI]. Portanto, levem as coisas a sério e se arrependam. Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, Eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos [NTLH]” (Apocalipse 3:19). Rejeitar apelo tão veemente, firme e amoroso é como comprar uma passagem para fora da peneira.

– Decreto dominical. “Não está longe o tempo em que a prova sobrevirá a todos. A marca da besta nos será recomendada com insistência. Os que, passo a passo, cederam às exigências do mundo e se sujeitaram a costumes profanos não acharão difícil se submeter aos poderes dominantes, de preferência a se expor a escárnio, insultos, ameaças de prisão e morte. O conflito é entre os mandamentos de Deus e os mandamentos de homens. Nesse tempo, o ouro será separado da escória na igreja” (Ellen White, Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 81). O decreto dominical será também um divisor de águas. Nesse tempo, assim como a escória é separada do ouro, a palha será separada do trigo (2Tm 3:12).

– Enganos satânicos sobrenaturais. À medida que o grande conflito entre o bem e o mal se aproxima do fim, coisas espantosas acontecerão no mundo. Satanás intensificará sua atuação “sobrenatural” a fim de enganar aqueles que não fortaleceram a mente com as verdades da Palavra e não se deixaram guiar pela pessoa do Espírito Santo. Nessas horas probantes, teremos que confiar mais naquilo que sabemos e menos em nossos sentidos. O ato culminante do engano satânico será imitar a volta de Jesus.

Tempo da sacudidura

Quando estudamos a Bíblia e os escritos de Ellen White, percebemos que para a sacudidura há três tempos distintos e interconectados: (1) a sacudidura já começou, (2) está acontecendo e (3) ocorrerá. Para os adventistas/mileritas, o dia 22 de outubro de 1844 foi uma sacudidura. Milhões de pessoas estavam na expectativa da volta de Jesus. Como ele não veio, a maioria abandonou essa convicção. Do punhado de crentes fiéis que voltou às Escrituras Sagradas em busca de resposta e clamou ao Céu por esclarecimento Deus suscitou um movimento que, organizado, passaria a ter o nome de Igreja Adventista do Sétimo Dia. A sacudidura continua acontecendo em âmbitos coletivo e individual, e vai aumentar de intensidade (neste momento, mesmo, estamos no meio de uma “pestilência”). Finalmente, a sacudidura chegará ao ápice com o decreto dominical e a perseguição.

Conforme escreveu Ellen White, “começou a forte sacudidura e continuará, e todos os que não estiverem dispostos a assumir uma posição ousada e tenaz em prol da verdade, e a sacrificar-se por Deus e por Sua causa, serão joeirados” (Primeiros Escritos, p. 50).

Assim, fica claro que o tempo de preparo para a sacudidura – atual e futura – é agora. Sempre é agora. “Agora é tempo de mostrar-se o povo de Deus leal aos princípios. Quando a religião de Cristo for mais desprezada, quando Sua lei mais desprezada for, então deve nosso zelo ser mais ardoroso e nosso ânimo e firmeza mais inabaláveis. Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona, ferir as batalhas do Senhor quando são poucos os campeões – essa será nossa prova. Naquele tempo devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia, e lealdade de sua traição. A nação ficará do lado do grande líder rebelde” (Ellen White, Testemunhos Seletos, v. 1, p. 31).

O que determina sua permanência ou não na peneira são o amor a Deus e à Sua Palavra, e a comunhão que você nutre diariamente com Jesus. Se Ele estiver a bordo da sua vida e ao seu lado na peneira, podem vir os maiores terremotos espirituais, você permanecerá firme dentro dela.

Michelson Borges