Perguntas interativas da Lição: o nobre Príncipe da Paz

Não teve outro jeito: o povo de Israel havia ido tão longe que Deus teve que permitir que a Assíria invadisse e destruísse a nação. No entanto, Deus prometeu que lhes enviaria uma grande Luz através de um poderoso governante davídico – o Príncipe da Paz. Esse Governante já veio uma vez, e efetivará Seu governo após Sua segunda vinda, quando finalmente “o lobo habitará com o cordeiro, o leopardo se deitará junto do cabrito, o bezerro, o leão novo e o novilho andarão junto, e um pequenino os guiará” (Is 11:6).

Perguntas interativas para discussão em grupo:

Coloque-se no lugar dos habitantes das cidades mencionadas em 2 Reis 15:29. Por que Deus às vezes usa o sofrimento para despertar as pessoas e afastá-las do mau caminho? (Ez 33:11; Ap 3:19)

Conforme Isaías 9:1, toda a região invadida pela Assíria ainda veria “uma grande luz”. Veja o cumprimento dessa profecia em Mateus 4:12-16; João 8:12; 12:46. Em sua opinião, por que tantas pessoas ainda não enxergam essa Luz? (ver 2Co 4:3, 4; Ap 3:18)

Como devemos entender a promessa referente ao Filho em Isaías 9:6? De que forma cada um desses cinco nomes proféticos se aplicam a Jesus?

Leia João 14:27. Conforme esse verso, a paz que Jesus nos dá não é igual à paz proposta pelo mundo. Em que sentido a paz de Jesus é superior à “paz” que o mundo oferece? (R.: Para o mundo, “paz” é simplesmente “não ter guerra”, mesmo que seja forçada por acordos econômicos e ameaças de sanções. Essa suposta “paz” – ou “não guerra” – não resolve as angústias e anseios da alma.)

Veja, em Isaías 9:9-11, a insistência do povo de Israel em continuar no pecado. Que lições podemos aprender de seus erros?

Apesar de Deus haver permitido que a nação de Israel fosse derrubada como uma árvore, em que sentido ainda nasceria um renovo (um broto) a partir do tronco cortado? (Is 11:1; Zc 3:8; 6:12; Ap 22:16)

Veja em Isaias 11:6-9 como seria o governo do Renovo, o Príncipe da Paz. Por que ainda não vemos o pleno cumprimento dessa profecia?

Em Isaías 11, as promessas da restauração do povo de Deus e de toda a Terra se referem tanto à primeira quanto à segunda vinda de Cristo. Por que as duas vindas aparecem unidas na mesma descrição? (R.: São duas partes de um todo, como os dois lados de um plano.)

É necessário estudar as Escrituras para compreender a importância das duas vindas de Jesus. Como a má compreensão sobre as duas vindas pode levar alguém a ser enganado? (Veja, por exemplo, os perigos do chamado “arrebatamento secreto”. Segundo essa teoria, desenvolvida a partir da década de 1830, quem perder o suposto arrebatamento e ficar para trás, na Terra, ainda terá uma “segunda chance” após sete anos, quando Jesus voltaria novamente para buscar os que tiverem se arrependido nesse período. Muitos se apegam a essa ideia e ficam tranquilos crendo que, se perderem a volta de Jesus [no suposto arrebatamento], é só esperar mais sete anos que “dessa vez” estarão esperando. É uma teoria perniciosa que tem conquistado cada vez mais crentes ao redor do mundo.)

Por que a obra de Cristo na primeira vinda nos dá tanta segurança sobre a segunda vinda?

(Natal Gardino é doutor em Ministério pela Andrews University e pastor distrital em Londrina, PR)