Não discuta com burros (fábula)

O burro disse ao tigre:

– A grama é azul.

O tigre respondeu:

– Não, a grama é verde.

A discussão aqueceu e os dois decidiram submetê-la a uma arbitragem, e para isso apelaram ao leão, o rei da selva. Antes de chegar à clareira da floresta, onde o leão estava sentado em seu trono, o burro começou a gritar:

– Alteza, é verdade que a grama é azul?

O leão respondeu:

– Certo, a grama é azul.

O burro se apressou e continuou:

– O tigre discorda de mim e me contradiz e incomoda; por favor, castigue-o.

O rei então declarou:

– O tigre será punido com cinco anos de silêncio.

O burro pulou alegremente e seguiu seu caminho, contente e repetindo:

– A grama é azul!

O tigre aceitou a punição, mas antes perguntou ao leão:

– Vossa majestade, por que me castigou? Afinal, a relva é verde.

O leão respondeu:

– Na verdade, a grama é verde.

O tigre voltou a perguntar:

– Então, por que você me pune?

O leão respondeu:

– Isso não tem nada a ver com a pergunta sobre se a grama é azul ou verde. O castigo é porque não é possível que uma criatura corajosa e inteligente como você perca tempo discutindo com um burro, e ainda por cima venha me incomodar com essa pergunta.

A pior perda de tempo é discutir com o tolo que não se importa com a verdade ou realidade, mas apenas com a vitória de suas crenças e ilusões. Jamais perca tempo em discussões que não fazem sentido. Há pessoas que por muitas evidências e provas que lhes apresentemos não têm a capacidade de compreender, e outras estão cegas pelo ego, ódio e ressentimento, e a única coisa que desejam ter é razão, mesmo que não tenham.

Quando a ignorância grita, a inteligência cala. A paz e a tranquilidade valem mais.

(Autor desconhecido)