Imoralidade sexual é pecado

Cristo está comprometido com Sua Palavra. Esteja você também!

imoralidade

A Bíblia nos dá muitos títulos para Jesus. Sexólogo não é um deles. Mas, se considerarmos a mensagem da Escritura, é adequado pensar nessa qualificação para o Mestre. Se levarmos a sério as palavras de Jesus em Mateus 15:19, precisamos reconhecer Sua preocupação com a moralidade sexual. Disse Ele: “Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias.”

Do coração se originam os ímpetos ruins. Não só o que é combatido pela justiça humana, como o assassinato e o roubo, mas também pecados que a sociedade passou a aceitar, como a mentira e a imoralidade sexual.

Se, de um lado, nosso mundo pensa que “da cintura para baixo não existe pecado”, como disse a artista Elke Maravilha em um programa de TV, de outro, o Deus da Bíblia consistentemente Se importa com o sexo. Entretanto, hoje, surpreendentemente, mesmo no âmbito da igreja, pode ser desafiador não se curvar às pressões da cultura.

À revelia da teologia Adventista do Sétimo Dia sobre ética sexual, presente em seus documentos e confissão de fé, muitos membros estão assimilando novos valores. O resultado é que princípios passam a ser remodelados por outras fontes de autoridade que não a Bíblia.

Em 1 Tessalonicenses 4:1-8, encontramos a afirmação: “Porque vocês sabem quantas instruções demos a vocês da parte do Senhor Jesus” (v. 2). Questões de ética sexual estavam inseridas entre o ensino de Jesus.

John Stott dizia que cristãos devem aprender a ler a cultura e a Escritura. Precisamos ter o cuidado de que o meio onde estamos inseridos não dite a forma como lemos a realidade. Ainda que o casamento seja banalizado pelo adultério, assim como a pornografia e outros pecados aceitáveis na atualidade, Deus não se calou a respeito.

Cristo está comprometido com Sua Palavra. Esteja você também!

(Davi Boechat é estudante de Direito)