Frase mágica para conseguir qualquer coisa

Reformulemos nossos conceitos e sigamos em frente, por favor.

Captura de Tela 2021-07-29 às 23.37.53

Lembram-se daquelas palavrinhas mágicas da infância: Por favor, com licença, obrigado, me desculpe? Foi assim que desbravamos os primeiros passos da civilidade, do relacionamento interpessoal, da boa educação. Para conseguir alguma coisa, seja com os pais, amigos ou professores, arriscávamos usar essas expressões.⁣

Mas o tempo passou e as gerações mudaram. Apesar de algumas coisas terem surgido para tornar o mundo um lugar mais propício ao convívio coletivo, outras – carregadas de exagero – fragilizaram o ser humano.⁣
Parece cada vez mais difícil lidar com frustrações, e isso afeta diretamente o entendimento de deveres e responsabilidades. Vivemos sob a convenção do meu, do seu, do nosso direito. Você pode tudo. Você deve reivindicar tudo. ⁣

Se por um lado é correto e legalmente aceitável ser tratado com dignidade; por outro, há quem tenha perdido a habilidade de diferenciar o que cabe a si, o que cabe ao outro, o que cabe à igreja, o que cabe à família, à escola e assim por diante. ⁣

Quando a gente só enxerga o próprio direito acaba deixando de assumir responsabilidades que são exclusivamente nossas, ou pior, passa a transferi-las, sobrecarregando os outros e assumindo uma postura autopiedosa e defensiva. ⁣

Fico pensando no apóstolo Paulo: “De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, 𝐦𝐚𝐬 𝐧ã𝐨 𝐝𝐞𝐬𝐞𝐬𝐩𝐞𝐫𝐚𝐝𝐨𝐬; somos perseguidos, 𝐦𝐚𝐬 𝐧ã𝐨 𝐚𝐛𝐚𝐧𝐝𝐨𝐧𝐚𝐝𝐨𝐬, abatidos, 𝐦𝐚𝐬 𝐧ã𝐨 𝐝𝐞𝐬𝐭𝐫𝐮í𝐝𝐨𝐬” (2Co 4:8-10). Se fosse hoje, ele diria: 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐫𝐚𝐫𝐢𝐚𝐝𝐨𝐬, 𝐦𝐚𝐬 𝐧ã𝐨 𝐨𝐟𝐞𝐧𝐝𝐢𝐝𝐨𝐬”, afinal a realidade da vida é bem maior do que a minha vontade, do que a minha opinião.⁣

E o que dizer de Jesus? “Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, 𝐧ã𝐨 𝐬𝐞𝐣𝐚 𝐜𝐨𝐦𝐨 𝐞𝐮 𝐪𝐮𝐞𝐫𝐨, mas sim como tu queres” (Mateus 26:39). O mais ofendido de todos não Se ofendeu quando precisou suar gotas de sangue para cumprir a vontade do Pai.⁣

E por falar em direito, Deus nos deu o maior de todos: liberdade de escolha. Sabe o que isso significa? Significa que viver entre exigências e ofensas, apesar de desperdício, é também uma opção. Porém, nem tudo é ofensa. Às vezes, é apenas um não. Não instrutivo, educativo, edificador. Então, reformulemos nossos conceitos e sigamos em frente, por favor.

(Adventismo Sólido)