11 de Setembro: 20 anos depois

Em novembro de 2014, estive em Nova York pela primeira vez. Aproveitei a oportunidade para, entre outros lugares, visitar o chamado Marco Zero, ou seja, o local onde ficavam as famosas Torres Gêmeas do World Trade Center, que vieram abaixo no maior ataque terrorista sofrido pelos Estados Unidos. Na manhã do dia 11 de setembro de 2001, exatamente 20 anos atrás, terroristas islâmicos da Al-Qaeda sequestraram aviões comerciais e lançaram dois deles contra as torres, criando uma cena de destruição antes só vista em filmes catastróficos hollywoodianos. Naquela manhã assustadora, eu estava com colegas editores da CPB na sala de reuniões da redação, assistindo ao vivo e tentando, junto com outros milhões de seres humanos, entender o que estava acontecendo no coração comercial da América. Ainda não tínhamos ideia de que aquele evento marcaria a história da humanidade para sempre (falo sobre isso aqui, aqui e aqui).

No Marco Zero, bem ao lado de onde ficavam as Torres Gêmeas, foi construído um belíssimo edifício envidraçado, ainda mais alto que os prédios destruídos (541,3 m): a Freedom Tower ou World Trade Center 1. No local em que estavam as torres foram feitos dois memoriais com o nome das milhares de vítimas do atentado. Ali perto fica o National September 11 Memorial Museum. Visitei o local, que reúne, além de fotos e gravações das últimas conversas das vítimas com seus familiares, partes resgatadas dos escombros dos prédios, como vigas retorcidas, um pedaço da enorme antena que ficava no topo de uma das torres, um caminhão do Corpo de Bombeiros destruído e várias outras lembranças tristes de um dia que nunca mais será esquecido.

Nas fotos abaixo, tiradas por mim, você pode ter uma ideia de como é o local (você pode clicar nelas para vê-las ampliadas). [MB]