Por que só falo em volta de Jesus e criacionismo?

Se você encontrar um adventista que não fala em volta de Jesus, criacionismo e na benção de guardar o sábado, desconfie dessa pessoa.

Jesus criação

Recentemente recebi um e-mail em que a pessoa me perguntava por que só falo em volta de Jesus e criacionismo. Quem lê o que escrevo em meus blogs e assiste aos vídeos que posto em meu canal sabe que falo sobre muitos outros assuntos, além da segunda vinda de Cristo, de profecias e criacionismo. Mas devo admitir que esses dois temas atraem minha atenção de modo especial há mais de vinte anos, desde que entreguei minha vida a Jesus, meu Criador e Salvador, e me tornei adventista do sétimo dia. Aliás, se você prestou atenção, o nome da “minha” igreja já expressa resumidamente aquilo em que creio e reflete exatamente meus temas prediletos.

Sou adventista porque creio no advento de Cristo. Sou adventista porque amo a Jesus e tudo o que mais quero é morar com Ele para sempre em um mundo onde não mais haverá sofrimento, injustiças, dor nem morte. Sou adventista do sétimo dia porque guardo o sábado como o memorial da criação realizada por Deus em seis dias literais de 24 horas cada, há cerca de seis mil anos. Portanto, sou criacionista e reconheço a Deus como meu Criador, como o Criador do universo, da vida, do ser humano e das leis que regem tudo isso. E entendo que viver de acordo com essas leis é simplesmente viver como uma criatura deve viver.

Como adventista do sétimo dia compreendo que as três mensagens angélicas de Apocalipse 14:6-12 constituem uma advertência muito importante, especialmente para estes dias. O âmago dessas mensagens é a justificação pela fé, nossa dependência absoluta de Deus, especialmente no que diz respeito à salvação. Dependemos do Deus Criador do universo e da vida. Portanto, a mensagem dos três anjos é eminentemente criacionista. Mas é também restauradora, uma vez que envolve a reforma do nosso estilo de vida e nos convida a uma relação séria com Jesus e com a verdade expressa na Bíblia Sagrada. Como adventista quero me afastar cada vez mais de Babilônia e me aproximar cada vez mais do reino de Deus, da Jerusalém celestial.  

O logotipo da igreja que eu abracei resume graficamente tudo isso. O centro da nossa fé e da nossa esperança é a cruz de Cristo, ou seja, aquilo que Ele fez por nós quando entregou a vida pela nossa salvação. A base da nossa crença é a Bíblia, nossa única regra de fé e prática. O Espírito Santo está representado pela chama tripla que circunda um globo subentendido, o que mostra que sabemos que somente pela capacitação que vem do Alto, pelo poder do Deus triúno é que conseguiremos cumprir a missão de advertir um planeta perdido.

Não falo somente de volta de Jesus, profecias e criacionismo, mas admito que sou apaixonado por esses assuntos, porque no âmago deles está a pessoa que mais amo: meu Criador, meu Senhor e meu Salvador Jesus Cristo.

Se você encontrar um adventista que não fala em volta de Jesus, criacionismo e na benção de guardar o sábado, desconfie dessa pessoa.

Michelson Borges