Lourenço Gonzalez: descansa o missionário da página impressa

Ele criou uma editora para ajudar a espalhar material missionário no Brasil

lourenço

Durante mais de três décadas, Lourenço Gonzalez ajudou a produzir e espalhar pelo Brasil milhões de páginas de livros e folhetos que ele imprimiu nas máquinas da editora que fundou como parte de um sonho e muita oração. A Editora Ados (Assim Diz o Senhor) teve seu início na garagem da casa de Lourenço, um ex-batista que se tornou adventista depois de estudar profundamente a Bíblia Sagrada. Ele criou a Ados para poder imprimir a um preço mais em conta o livro pelo qual ficaria conhecido, o Assim Diz o Senhor, que alcançou uma tiragem superior a cem mil exemplares em treze edições. O livro é um verdadeiro manual apologético que tem servido de auxílio para instrutores bíblicos e levado à conversão milhares de pessoas.

Sempre nutri profunda admiração e respeito pelo irmão Lourenço, um homem de fé e ação. Em 1993, quando eu estava no segundo ano da minha faculdade de jornalismo e tinha apenas dois anos de batizado na Igreja Adventista, enviei para ele o original de um livreto missionário que eu escrevi, com o título A Verdadeira Igreja Católica Apostólica. Eu não tinha dinheiro para imprimir a obra e o irmão Lourenço decidiu produzir o livro assim mesmo, dando-me uma quantidade de exemplares que eu distribuí durante algum tempo. Foi meu primeiro livro publicado como adventista. O segundo livro também saiu pela Editora Ados; foi o meu trabalho de conclusão de curso, intitulado A Mensagem – um livro-reportagem sobre a chegada do adventismo ao Brasil, posteriormente ampliado e impresso pela Casa Publicadora Brasileira, com o título A Chegada do Adventismo ao Brasil.

fumaca1

Antes de o e-mail ser popularizado, Lourenço e eu trocamos muitas cartas, nas quais compartilhávamos sonhos e projetos (veja ao lado uma página da história em quadrinhos antitabagista que produzi para ele). Ele sempre assinava essas missivas assim: “Lolô com muito amor e sem terror.” Tinha ótimo senso de humor.

Enviei-lhe um áudio com palavras de apreço e com uma oração. No dia da unção dele, já debilitado por causa do câncer, puseram o celular próximo para que ele pudesse ouvir minhas palavras (foto abaixo). Lourenço é uma das pessoas que espero abraçar em breve, quando Jesus voltar. Mas sei que terei que esperar um pouco, pois haverá uma fila enorme de pessoas que desejarão fazer o mesmo.

Michelson Borges

uncao