Cristãos no Nepal enfrentam perseguição religiosa severa

Considerados cidadãos de segunda classe, cristãos são intimidados e vivem pressão intensa no país, principalmente os que abandonaram o hinduísmo.

A Portas Abertas calcula que, ao redor do mundo, mais de 360 milhões de cristãos sejam perseguidos por causa da fé.  O que poucos sabem é que o Nepal faz parte dos países onde cristãos enfrentam perseguição por causa da fé. Conhecido como destino turístico muito procurado por alpinistas e praticantes de montanhismo, o país abriga o Monte Everest, junto com as outras sete montanhas mais altas do mundo. Além dos maravilhosos cenários naturais, o Nepal também oferece aos turistas ocidentais um encontro com uma cultura exótica e diferente.

Porém, no Nepal, a pequena minoria cristã é fortemente discriminada.  Até 2006, o Nepal foi o único reino hindu da Terra. Por isso, até hoje os cristãos são vistos como ameaça às tradições hindus.  Principalmente os hindus antigos, que se tornam cristãos, passam por muitas dificuldades. Eles não podem evangelizar, podendo ser presos por isso.

O país ocupa a 48ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2022, documento da Portas Abertas que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos. As leis anticonversão do Nepal limitam a liberdade dos seguidores de Jesus e causam a destruição e o fechamento de igrejas. Os cristãos estrangeiros são tratados com mais tolerância, embora os membros de algumas igrejas protestantes enfrentem hostilidade.  

Os cristãos membros de grupos indígenas também enfrentam perseguição, pois rejeitam muitos valores, costumes e rituais da tradição dos antepassados. Eles são marginalizados e estão sujeitos a perseguição violenta. 

Assim como aconteceu com o sacerdote Dambar, que se tornou cristão por meio de uma experiência sobrenatural. Nascido em família hindu, Dambar dedicou sua vida aos estudos do hinduísmo e se tornou sacerdote assim que chegou à vida adulta. Fiel a 33 milhões de deuses, o então sacerdote não via sentido e procurava respostas para perguntas, que todos os seus deuses não respondiam.

Após uma experiência sobrenatural, em que viu a mãe definhar com uma doença fatal, Dambar se converteu ao cristianismo e, então, as dificuldades com sua família, seu pai e sua comunidade começaram e o levaram a conhecer a perseguição extrema.

“O tempo de perseguição foi muito difícil para mim”, revela o missionário cristão, ex-sacerdote hinduísta, Dambar. “A gente sofre, a gente experimenta a perseguição, mas quando uma pessoa luta pela sua fé, milhares de pessoas podem vir a crer”, conclui.