Centenário do adventismo no Maranhão

Uma história de fé e coragem que mostra a mão de Deus agindo nesse pedaço lindo do Brasil.

Ao que se sabe, o primeiro adventista chegou a São Luís em 1922. Firmo Marinho, barbeiro e adventista que fora batizado na cidade de Recife, em Pernambuco, chegou à capital maranhense nesse período e começou a pregar para seus clientes. Várias pessoas aceitaram a mensagem apresentada e logo um grupo de guardadores do sábado foi formado na cidade. Sérgio Vieira de Araújo foi um desses conversos (1888-1980) e, mais tarde, liderou um grupo de adventistas em São Luís.

Em 1923, Henrique Berg Correia chegou ao estado do Maranhão. Ele foi o primeiro colportor evangelista a trabalhar naquelas terras e promoveu o avanço da obra adventista no local através da página impressa. Percebendo as oportunidades evangelísticas na região, quatro anos depois, a Igreja Adventista enviou outros missionários para o norte do Brasil. Eram eles o Pastor John Lewis Brown e os colportores André Gedrath e Hans Mayr. Esse trio, com suas esposas e filhos, chegou a Belém, capital do Pará, em maio de 1927, quando a Divisão Sul-Americana organizou a Missão Baixo Amazonas (atua Associação Norte do Pará). No início, essa missão abrangia os estados do Amazonas, Pará, Ceará, Piauí e Maranhão.

Algum tempo depois, em dezembro de 1936, uma comissão da Divisão Sul-Americana aprovou a reorganização do campo missionário da União Este Brasileira (atual União Sudeste Brasileira), dando origem à União Norte Brasileira. Na mesma época, o campo também foi organizado em missões para melhor administrar o trabalho, e a Missão Costa Norte (atual Associação Cearense) foi estabelecida. A princípio, essa missão foi responsável por promover a obra adventista nos estados do Ceará, Piauí e Maranhão, com sede em Fortaleza (capital do Ceará). A Missão Costa Norte iniciou suas atividades em janeiro de 1937.

Em 1942, Gustavo S. Storch, evangelista da União Norte Brasileira, conduziu conferências evangelísticas em um lugar chamado “Cassino Maranhense,” na cidade de São Luís. Storch recebeu ajuda de Walter e Olga Streithorst (seu genro e sua filha, respectivamente) e batizou cerca de 60 pessoas naquele local. Na época, havia apenas dois distritos em toda a Missão Costa Norte. Nesse mesmo ano (1942), Walter Streithosrt tornou-se responsável pela gestão de um desses distritos que compreendia o vasto território dos estados do Maranhão e Piauí. O outro distrito, que abrangia o estado do Ceará, foi administrado por Aldo Carvalho. Após essa série de conferências de Storch, a congregação crescente alugou uma casa grande na Rua da Paz, no centro de São Luís. Esse grupo foi posteriormente organizado em uma igreja sob a liderança de Walter Streithorst. Além disso, naquela época, uma escola paroquial também foi organizada na casa que abrigava a igreja, tendo a jovem Elziária de Castro como primeira professora.

Em 1945, os membros da IASD de São Luís iniciaram um trabalho evangelístico no presídio da cidade. Os estudos bíblicos com os prisioneiros eram realizados aos domingos e, às sextas-feiras, havia conferências ilustradas com o uso de um projetor. Um ramo da Escola Sabatina também funcionava naquela prisão, com mais de 20 membros matriculados. Além dos estudos, os membros da Igreja de São Luís também ajudavam os prisioneiros com remédios, roupas, calçados, redes, revistas, cobertores, folhetos e livros. Algum tempo depois, devido ao crescimento constante, a congregação adventista de São Luís não pôde mais realizar suas reuniões na casa da Rua da Paz. Assim, em 1949, os membros da igreja adquiriram um terreno na Rua Celso Magalhães, onde iniciaram a construção da IASD Central de São Luís. Dois anos mais tarde, em outubro de 1951, o templo foi inaugurado.

Ainda em 1949, um grupo de adventistas que havia morado em Teresina, capital do estado do Piauí, mudou-se para Caxias e estabeleceu um centro adventista naquela região. Assim, a mensagem adventista chegou a outra cidade do estado do Maranhão. Alguns anos depois, em 1955, o Pastor Gustavo Storch iniciou uma série de conferências em Caxias, realizando reuniões evangelísticas às segundas, quartas e sextas-feiras. Dessa vez, ele teve como assistentes Américo Quispe e Emery Cohen, bem como Orlando Barreto e Orlando Queiroz. Como resultado das bênçãos divinas sobre esse trabalho, mais de 50 pessoas foram batizadas no que foi o primeiro batismo adventista da cidade. Em julho do ano seguinte (1956), foi organizada a Igreja Adventista Central de Caxias.

Durante a primeira metade da década seguinte, outras cidades do interior do estado do Maranhão também receberam a mensagem de esperança pregada pela Igreja Adventista e, como resultado, outras congregações foram estabelecidas. Em 1963, por exemplo, alguns adventistas chegaram à cidade de São José de Ribamar, na ilha de São Luís. Embora um grupo adventista já tivesse sido estabelecido na cidade no final da década de 1940 e início da década de 1950, seus membros haviam se mudado para a cidade de Paço do Lumiar. Portanto, o grupo adventista no local começou oficialmente suas atividades somente em 1964, quando foi realizada a primeira reunião.

Durante a década de 1960, o trabalho de assistência social adventista se intensificou no estado do Maranhão. Uma Sociedade Dorcas foi estabelecida na cidade de Caixas e, no final de 1963, essa frente missionária já havia servido cerca de 800 pessoas. Na época do Natal, no mesmo ano, leite, trigo e roupas foram distribuídos a algumas famílias carentes da cidade. Os adventistas de São Luís também estavam ativamente envolvidos na assistência social. Em 1966, a Sociedade Dorcas da igreja local realizou cursos sobre Arte Culinária e Corte e Costura. Além disso, foi criado um consultório médico, onde uma enfermeira e um médico prestavam cuidados semanalmente. Em outubro daquele ano, cerca de 140 consultas já haviam sido realizadas no consultório da igreja. Nesse mesmo ano, a Sociedade Dorcas de São Luís foi registrada oficialmente em cartório, ganhando o direito de receber recursos financeiros que ajudariam no trabalho filantrópico.

No ano seguinte (1967), um novo tipo de trabalho foi acrescentado às frentes missionárias adventistas na região. Por meio de uma doação da Companhia SC Johnson & Son, a Missão Costa Norte começou a oferecer assistência médica em seu campo através de uma clínica móvel. Até abril de 1967, 56 vilas e cidades foram visitadas, e mais de 21 mil visitas foram realizadas. A clínica tinha como sede Caxias, no interior do Maranhão, e era administrada por Luis Fuckner, um enfermeiro e pastor. Devido à influência do trabalho dessa clínica, em março do ano seguinte, 127 pessoas já haviam sido batizadas nos estados do Maranhão e Piauí.

Na primeira metade da década seguinte, o evangelismo continuou avançando no estado do Maranhão. No final da década de 1970, o campo missionário havia alcançado 440 membros batizados em uma época em que todo o estado do Maranhão ainda fazia parte de um único distrito pastoral. No ano seguinte, cerca de 200 alunos já estavam matriculados em uma escola adventista que havia sido previamente estabelecida na cidade de Coroatá. Assim, a mensagem adventista também foi pregada através do campo educacional. Em 1972, o Pastor Raimundo Lima realizou uma série de conferências em Codó e, ao final da sessão, cerca de 200 pessoas foram batizadas, dando origem a uma Igreja Adventista na região.

A pregação evangelística continuou avançando no ano seguinte (1973). Naquela época, Caxias estava entre as poucas cidades da União Norte Brasileira que recebiam o sinal de rádio do programa A Voz da Profecia, que era transmitido cinco vezes por semana. A transmissão desse programa denominacional ajudou a difundir a mensagem adventista por toda aquela região. Em 1974, a Codó também começou a receber essas transmissões. Como resultado, a filial do programa, coordenada pela Igreja Adventista da cidade, matriculou cerca de 700 alunos na Escola Radiopostal. Além dessas matrículas, através do trabalho da rádio, mais de 200 pessoas demonstraram interesse na mensagem adventista. Ainda em 1974, uma nova série evangelística foi realizada na cidade de Codó, e cerca de 1.200 pessoas compareceram às reuniões todas as noites. A maioria dos participantes eram estudantes do programa A Voz da Profecia.

Na primeira metade da década de 1980, alguns templos adventistas foram inaugurados, como por exemplo o do bairro de Monte Castelo, somando mais um templo à cidade de São Luís. Alguns anos depois, em 1984, o templo adventista São José de Ribamar, na ilha de São Luís, também foi estabelecido. Três anos depois, o grupo dessa cidade foi organizado em uma igreja. Com o constante aumento da pregação adventista na região, em 1987, a Missão Costa Norte já contava com 61 igrejas organizadas e 27.257 membros adventistas, indicando que o campo missionário precisava ser reorganizado.

(Enciclopédia Adventista)