O tempo está passando mais rápido?

Será que a profecia de Mateus 24:22 se refere ao aumento de velocidade de rotação da Terra, algo que tem sido noticiado recentemente?

relogio

Vejamos o que diz o texto bíblico, a começar pelo verso 20: “Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno nem no sábado; porque haverá então uma tribulação tão grande, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá. E se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.”

O contexto dessa declaração de Jesus é uma pergunta feita pelos discípulos no versículo 3: “E estando Ele sentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a Ele os Seus discípulos em particular, dizendo: Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da Tua vinda e do fim do mundo.”

O motivo dessa pergunta foi o comentário de Cristo de que, no futuro, não restaria pedra sobre pedra do templo do qual eles haviam acabado de sair. Como a pergunta dos discípulos misturava o evento da destruição do tempo com eventos finais deste mundo, Cristo também deu uma resposta que incluía a destruição do tempo e os sinais de Sua segunda vinda.

No versículo 20, o contexto sugere que o assunto local seja o cerco de Jerusalém, que ocorreu no ano 70 d.C. Entretanto, o texto parece fazer um paralelo também com uma perseguição em mais larga escala, que ocorreria ainda mais no futuro.

Por essas considerações, não é absurdo aplicar a ideia de “dias abreviados” a perseguições que ocorreriam em épocas futuras do ponto de vista dos discípulos. Mas o que significa “dias abreviados”? Não temos indicações no texto de que essa expressão idiomática signifique que os dias realmente terão menos horas, mas que o período de tribulação seria abreviado para que nem todos perecessem. Essa finalidade está explícita no texto. Apenas termos dias mais curtos durante um mesmo intervalo de tempo não ajuda no propósito de encurtar o período de sofrimento.

Mas e o que dizer das notícias sobre dias mais curtos? Vejamos alguns pontos de que precisamos tratar para entender o fenômeno.

Primeiro, inicialmente, definimos um segundo como sendo 1/86400 de um dia. Como sabemos que a rotação da Terra pode variar ligeiramente, passou-se a definir o segundo a partir de grandezas físicas universais. Essa nova definição ainda corresponde ao período de um dia dividido em 86400 partes, mas agora de maneira estável. Se a Terra mudar sua velocidade de rotação, isso não afeta o valor da unidade de tempo.

Segundo, a Terra não é um corpo rígido, mas algo maleável com partes móveis (núcleo, manto, crosta e assim por diante). Além disso, a Terra interage principalmente com o Sol e a Lua. Um dos efeitos disso são as marés. Terremotos e erupções vulcânicas também causam algum deslocamento de matéria. Essas alterações causam modificações minúsculas na velocidade de rotação da Terra.

Durante as últimas décadas, a Terra vinha girando mais lentamente, mas acelerou um pouco recentemente. Isso significa que os dias ficaram mais curtos agora? Sim, mas o recorde foi de 1,59 milésimo de segundo por dia.

Agora pensemos um pouco: quanto 1,59 milésimo de segundo em um dia afeta nossa vida? Vamos ter a impressão de que os dias estão mais curtos? Claro que não. Perceberemos exatamente a mesma coisa que perceberíamos se o dia ficasse 5 milissegundos mais lento. Essas coisas simplesmente estão fora do alcance de nossa percepção.

E como isso ajudaria a abreviar os tempos de tribulação mencionados em Mateus 24:22? Não faria diferença perceptível; não ajudaria a encerrar o sofrimento mais rápido para que pessoas pudessem escapar.

Por fim, é importante tirar uma lição disso: sensacionalismo é uma armadilha. Atrai leitores e seguidores mas tende a induzir ideias equivocadas. Em um mundo em que vemos muito mais “fake news” do que fatos reais, precisamos sempre conferir as fontes.

Nesse caso do dia mais curto, devemos perguntar: Quanto mais curto? Chega a fazer diferença na prática? Essas variações são comuns ou não?

Feitas as perguntas, devemos procurar os dados para respondê-las cruzando todas as informações de fontes primárias a que tivermos acesso (o que é fácil hoje em dia). Infelizmente, muitos se limitam a repassar boatos que circulam nas redes sociais e na literatura não especializada, e muitos chegam a conclusões mirabolantes em função disso.

(Eduardo Lütz é bacharel em Física e mestre em Astrofísica Nuclear pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul)

Perguntas interativas da Lição: Uma vida de louvor

“Louvor é fé em ação” (lição de sábado). Isso significa que não louvamos a Deus apenas nos momentos bons, mas especialmente nos ruins. Tal atitude pode parecer loucura para as pessoas secularizadas, mas é justamente essa a que devemos ter nas condições mais difíceis. Assim temos mais força durante a prova e testemunhamos a outros sobre nossa fé;podendo conduzi-los também a Cristo.

Perguntas para reflexão e discussão em grupo:

O que significa “louvar”? Por que louvamos a Deus?

Em sua opinião, por que os anjos do Céu “não se cansam” de louvar a Deus?

Leia Atos 16:22-33. O que levou Paulo e Silas a cantarem hinos de louvor em alta voz, apesar de todo o sofrimento que experimentavam naquela noite? Se fosse você, nos dias de hoje, que hino cantaria? Por quê?

Que efeitos positivos nosso louvor pode causar sobre as pessoas ao nosso redor?

Leia Filipenses 4:4-5 tendo em mente que quando Paulo escreveu esta epístola ele estava novamente preso e algemado (1:7,13,14). De que maneira isso potencializa as palavras dele?

Que verdades específicas que conhecemos sobre Deus devem nos levar a louvá-Lo em qualquer situação? Como podemos fortalecer essa verdade em nossa mente?

Leia novamente Atos 16:25, 26. Que “muralhas” ou “cadeias” de nossa vida podem começar a ruir em consequência de nosso louvor a Deus? E se não forem derrubadas, por que devemos continuar sempre louvando mesmo assim?

De que modo o nosso louvor pode se tornar um estilo de vida, em vez de ser apenas uma atitude pontual?

(Pastor Natal Gardino, professor de Teologia no Instituto Adventista Paranaense)

Expedição revive trilha dos pioneiros adventistas no Brasil

historiaadventismo1-1

Natural de Criciúma, em Santa Catarina, Michela Borges Nunes é apaixonada por viagens. Ela criou o blog Mapa na Mão porque muitas pessoas a procuravam para pedir informações, conselhos e dicas de viagem. Então veio a ideia: “Por que não passar essas informações a outros? Por que não ajudar mais pessoas a viajar? Por que não inspirar pessoas a sair de sua ‘bolha’ e colocar os pés na estrada?” Assim o blog, suas redes sociais e o canal no YouTube nasceram em 2016. Além de viajar, que é algo que ela, o esposo e as filhas apreciam muito, Michela preenche um pouco do tempo descrevendo lugares, inspirando e ajudando pessoas a realizar sonhos.

Em conversa com a Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN), ela contou sobre a expedição que foi montada para reviver locais históricos importantes para o adventismo no Estado de Santa Catarina. O primeiro grupo, formado por 20 pessoas, percorreu o roteiro no início do mês de agosto. Veja os detalhes na entrevista a seguir.

[Continue lendo.]

Perguntas interativas da Lição: Vendo o invisível

O conhecimento sobre o caráter de Deus pode nos ajudar a permanecer firmes mesmo nas condições mais difíceis. Ao meditar não só sobre a morte de Jesus por nós, mas também sobre Sua ressurreição, entendemos que, mesmo nas piores situações, “nada poderá nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8:38, 39).

Perguntas para reflexão e discussão em grupo:

Leia Hebreus 11:1, 27. Como podemos ter certeza daquilo que não vemos? Como manter essa certeza mesmo quando tudo vai mal?

Quais verdades a respeito de Deus devemos considerar para nos manter firmes mesmo nas piores situações? Por quê?

Leia Romanos 8:31, 32. Como esse pensamento pode causar maior impacto em nosso pensamento do que todas as dúvidas?

Leia João 14:13, 14. Por que devemos orar “em nome de Jesus”? Em que sentido Ele nos dará “todas” as coisas? (R.: Ele nos dará todas as coisas que estiverem de acordo com Sua vontade, as quais contribuirão para o nosso crescimento espiritual e, finalmente, nossa salvação. Há coisas que temos certeza de que Ele quer nos dar, como a unção e direção do Espírito Santo, o arrependimento e o perdão, sabedoria, etc. Mas há outras que não sabemos se fazem parte de Seu melhor plano, e por isso devemos condicioná-las à vontade dEle, que é sempre a melhor)

Leia Romanos 8:34. Ao passarmos por dificuldades, qual é a importância de pensar não só na morte de Jesus, mas também em Sua ressurreição?

Como a afirmação de Paulo em Romanos 8:38 e 39 também pode ser a nossa?

Leia 1 Pedro 5:7. Como se lança “sobre Deus” as ansiedades?

Por que devemos crer que o caminho de Deus é o melhor, mesmo não sendo o que queremos?

Muitos enfrentam situações em que, apesar das orações e dos melhores esforços, o pior sempre acontece. Como entender isso à luz do que estamos estudando?

Como você descreveria Deus para as pessoas que sentem que Ele as abandonou? Como você as ensinaria a ver com os olhos da fé e a confiar mais em Seu amor a despeito da situação presente?

(Pastor Natal Gardino, professor de Teologia no Instituto Adventista Paranaense)

Cristãos perseguidos na Nicarágua

Entenda a crise que levou à prisão 22 cristãos no país e os coloca sob severa perseguição religiosa 

ortega

Membro da América latina, a Nicarágua foi incluída na 61ª posição na Lista de Países em Observação de 2022 por apresentar um contexto de forte opressão aos cristãos. O documento é editado todos os anos pela Portas Abertas e norteia o trabalho da organização para ajuda sistemática aos cristãos perseguidos em mais de 60 países onde atua. Desde 2018 sob a gestão do presidente Ortega (foto), o governo faz prisões e proibições de eventos cristãos com recorrência sob alegação de “desestabilizar o Estado”. Por causa dos protestos de 2018, contra as reformas sociais do governo Ortega, vários pastores passaram a ser fortemente vigiados e receberam restrições de deslocamento dentro e fora do país.  

O governo aprovou recentemente leis que impactaram as ONGs e centros de educação no país. Várias instituições cristãs foram interditadas por causa dessa lei. O Estado também aumentou a pressão contra os “inimigos do governo”. Ortega e sua esposa, Rosário Murillo, que ocupa o cargo de vice-presidente há dois mandatos, suspeitam de todas as pessoas ou organizações vinculadas aos protestos de 2018. Eles fecharam universidades, ONGs e outras instituições que em algum momento manifestaram a insatisfação com as políticas do casal.  

Pastores vigiados 

Muitos cristãos apoiaram as manifestações de 2018 contra ações do governo que eram incoerentes com o evangelho, consolaram os que perderam parentes nas manifestações e socorreram as vítimas feridas pelos polícias. Por isso, as igrejas estão muito prejudicadas e os líderes cristãos estão sob forte vigilância. Foram registrados casos de invasão e violência na casa de pastores. As famílias foram muito afetadas pelas falsas denúncias que pretendem limitar a liberdade dos pastores.  

Desde 2021 foi registrada a prisão de 22 líderes cristãos. Todos estavam ministrando os cultos no momento da detenção e não tiveram direito a julgamento. Um líder cristão foi sequestrado e está desaparecido desde a semana passada, e 12 cristãos foram agredidos fisicamente por causa da perseguição. 

Restrição às instituições cristãs 

Regularizar as igrejas têm sido um verdadeiro desafio também. Novos documentos são exigidos quase mensalmente e há rumores de uma nova lei que pretende colocar todas as igrejas do país sob a fiscalização de um novo órgão de vigilância. O governo afirma que essa medida procura evitar ações ilegais das igrejas contra a população, mas as burocracias na verdade só têm cooperado para fechar e confiscar os bens de igrejas que funcionavam regularmente há anos. 

 O governo pressiona também a relação com países estrangeiros. É proibido que cidadãos e instituições nicaraguenses tenham qualquer tipo de interação com o exterior, inclusive financiamentos, pois o governo afirma que isso traz riscos à segurança nacional. Muitas igrejas e ONGS que contam com a ajuda de organizações internacionais foram fechadas por esse motivo. Nos últimos quatro anos, 1.268 ONGs foram fechadas.   

“As mudanças que estão acontecendo rapidamente por causa das entidades do governo que têm sido enviadas pelo presidente para executar leis que penalizam e prendem pessoas suspeitas de oposição. ONGs cristãs que funcionavam havia anos no país foram fechadas e as igrejas enfrentam o desafio de manter os documentos atualizados, pois qualquer deslize resulta em igreja fechada e suspensão dos cultos”, comentou um pastor local. 

Pedidos de oração 

  • Ore pelos pastores e líderes que vivem sob intensa pressão na Nicarágua, para que a paz que excede todo o entendimento revista o coração deles. 
  • Interceda pelas ONGs e instituições administradas pelos cristãos, para que em breve voltem a abrir e demonstrar o amor de Deus aos nicaraguenses. 
  • Rogue pelas autoridades do país, para que tenham o coração alcançado pela sabedoria de Deus e tomem as decisões corretas em favor do povo. 

Primeira expedição Na Trilha dos Pioneiros

Grupo realiza expedição em lugares históricos do adventismo no Brasil.

8fe6072d-6d45-44dd-b1be-83e20be580c0

Nos dias 11 e 14 de agosto, um grupo de 20 pessoas vindas de vários estados do Brasil participou da primeira expedição intitulada Trilha dos Pioneiros. O destino: Santa Catarina. Organizada pelo blog Mapa na Mão, mantido pela criciumense Michela Borges Nunes, em parceria com a agência de viagens WJ Turismo, de Florianópolis, a expedição teve início na sede da Associação Catarinense (fundada em 1906) e foi guiada pelo pastor e jornalista Michelson Borges, autor do livro A Chegada do Adventismo ao Brasil.

Dali, o grupo foi para o Porto de Itajaí. Do alto do Morro da Cruz, Michelson contou a história da providencial chegada da mensagem adventista às terras catarinenses. Em seguida, a expedição passou por Brusque (Casarão Hort, onde foi aberto o primeiro pacote de literatura adventista no país, e rio Itajaí-Mirim, palco dos primeiros batismos), Blumenau e Gaspar Alto (localidade da primeira igreja adventista organizada no Brasil).

Em Gaspar Alto, no sábado, o pastor Michelson pregou durante o culto, quase três décadas depois de ter estado lá para realizar as primeiras pesquisas a fim de escrever o livro. Logo em seguida, o grupo se dirigiu até o riacho no qual, 127 anos antes, os pioneiros Guilherme e Johanna Belz (entre outros) foram batizados pelo pastor Frank Westphal. Ali, o pastor batizou seu aluno bíblico Marcelo Faceto. À tarde, o grupo visitou uma casa em estilo enxaimel construída com materiais do Colégio Superior de Gaspar Alto (embrião do atual Unasp) e concluiu o passeio do dia com um pequeno culto no Cemitério da Esperança, onde estão sepultados alguns dos pioneiros do adventismo. No domingo, a excursão seguiu para Pomerode, a cidade mais alemã do Brasil, onde os participantes puderam conhecer, entre outras coisas, a Rota do Enxaimel, maior concentração de casas nesse estilo fora da Alemanha.

[Continue lendo.]

DCIM100MEDIADJI_0216.JPG

Boliviano é enterrado vivo como sacrifício à Mãe Terra

O culto à Pachamama envolvia até sacrifícios de crianças. E tem muitos “cristãos” promovendo ideias oriundas da ecoteologia pagã.

boliviano

Um caso bizarro ocorrido na Bolívia vem causando espanto na web. Um homem foi oferecido como sacrifício humano e enterrado vivo. Segundo o jornal norte-americano New York Post, o incidente chocante supostamente ocorreu durante o festival da Mãe Terra em El Alto, Bolívia, em 1º de agosto. Víctor Hugo Mica Álvarez, de 30 anos, era um dos convidados do evento anual, que reúne grupos de indígenas para adoração à deusa Pachamama (típica dos povos andinos), fazendo oferendas a ela. De acordo com o jornal, Álvarez diz que bebeu muito durante o festival e, em certo momento, desmaiou devido ao excesso de álcool. Horas depois, acordou com vontade de fazer xixi, mas percebeu que estava dentro de um caixão de vidro, coberto de terra.

“Nós fomos dançar. A única coisa que me lembro é que pensei que estava na minha cama e me levantei para fazer xixi, e não conseguia me mexer. Quando empurrei o caixão, mal quebrei o vidro e a terra começou a entrar. Mas consegui sair. Eu tinha sido enterrado”, conta o boliviano, citado pelo New York Post.

Após recuperar a consciência, Víctor Àvarez percebeu que havia sido transportado para Achacachi, a cerca de 80 km de onde estava bebendo no início do festival. Apesar de ter relatado a situação a policiais, eles não acreditaram, considerando ser algo bizarro demais. Os agentes teriam dito que o rapaz aterrorizado ainda estava bêbado e ordenaram que voltasse para casa até melhorar e ficar sóbrio, revela o New York Post.

Mas o boliviano insiste que não é mentiroso e logo compartilhou sua história com a imprensa local. Imagens que circulam nas redes sociais mostram Víctor Álvarez aparentemente ensanguentado e machucado após a suposta fuga do caixão.

O rapaz não tem dúvidas de que foi oferecido como sacrifício humano a Pachamama e declara: “Eles queriam me usar como sullu.” Esse termo se refere a qualquer item oferecido à deusa, com doces, plantas medicinais, ovos e minerais comumente entregues.

(IstoÉ Dinheiro)

Nota: O site Oriundi entrevistou em 2021 um dos antropólogos mais conhecidos da América do Sul, o professor Antonino Colajanni de “La Sapienza”, e o professor Damián Galerón, teólogo e historiador da Universidade Católica de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia). Leia aqui alguns trechos da entrevista:

“[Pachamama] é uma divindade pré-colombiana que remonta aos cultos demoníacos dos povos indígenas andinos, principalmente Quechua, Aymara e Mapuches (Argentina). Na mitologia inca, simboliza a fertilidade, ligada às colheitas e à semeadura. A origem demoníaca é confirmada por representar o ‘espírito da Terra’, que vem substituir o Deus Criador revelado pelos textos bíblicos. […] É verdade que se oferecem a ela sacrifícios de animais, principalmente camelídeos, como as lhamas. Não podemos descartar o sacrifício humano, mas isso nunca é reconhecido publicamente. Alguns de meus alunos de origem quíchua e aimará me disseram em particular que, realmente, seres humanos eram sacrificados a Pachamama. […] As associações frequentes [e sincréticas] entre Pachamama e Maria partem da figura da ‘mãe generosa’ e protetora das mulheres trabalhadoras, mas para Maria as atitudes de proteção das plantas e plantações são bastante distantes e mal documentadas.” (Arqueólogos descobriram 192 locais de cerimônias de sacrifícios de crianças. Leia mais aqui.)

Justamente por isso causou grande estranheza o fato de uma escultura de Pachamama ter sido vista durante o Sínodo da Amazônia (veja o vídeo abaixo), o que, para muitos católicos, significou uma abominação acolhida pelo papa Francisco. Ainda mais absurdo é ver “evangélicos” e “protestantes” defendendo a chamada ecoteologia neopagã panenteísta, com seu conceito de mãe Terra, em oposição ao princípio da mordomia cristã e do sábado do quarto mandamento, que colocam o ser humano como administrador da criação e Deus/Yahweh como o Criador do Universo, da Terra e da vida. São duas cosmovisões distintas em conflito e muita gente confusa no meio de tudo isso. E confusa justamente porque não mais levam a sério a Bíblia Sagrada. O diabo sempre capricha em suas armadilhas… [MB]

pachamama

Neurociência: ser pai pode transformar um homem

O comportamento do pai, com o passar do tempo, passa a ser de maior zelo e cuidado em relação ao filho.

familia2

Muito se fala sobre tudo o que acontece com a mulher, seu corpo e sua personalidade no momento em que ela se torna mãe. Mas e os homens? Eles também se transformam com a paternidade? O PhD em Neurociências Dr. Fabiano de Abreu Agrela também é pai, e explicou o que acontece no organismo do homem após a paternidade, bem como o cérebro masculino reconhece o novo papel. 

Conforme Fabiano, “diferentemente das mães, os pais não carregam os filhos por meses na barriga, nem têm a oportunidade de amamentá-los. No entanto, quando existe a responsabilidade que deveria ser inerente a todos os homens, o novo pai aprende que tem uma nova posição no mundo: a de cuidar de outro ser e amá-lo assim que o conhecer”. 

A partir do fim da gestação até os primeiros meses de vida da criança, uma substância chamada ocitocina será produzida e liberada em maior quantidade no organismo masculino. Conforme o professor, o comportamento do pai, com o passar do tempo, passa a ser de maior zelo e cuidado em relação ao filho. Há também o aumento de dois neurotransmissores: a serotonina e a dopamina.

O professor também explicou que os aspectos socioculturais do “aborto paterno” também podem prejudicar essa relação, já que o índice de crianças com pais ausentes ou que nem conhecem seus pais é altíssimo no Brasil. 

O percentual de pais ausentes no Brasil vem crescendo desde 2018. Os quatro primeiros meses de 2022 já conseguiram ultrapassar o índice de recusa à paternidade, se comparados ao mesmo período nos anos anteriores.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Arpen Brasil em seu Portal de Transparência, entre janeiro e abril de 2018, aproximadamente 5,3% dos registros de nascimentos foram feitos apenas com o nome da mãe. Em 2020 e 2021, esse índice passou para a casa dos 5,8% e 5,9%. No mesmo período em 2022, o percentual de pais que renegaram a paternidade saltou para 6,6%, o maior até agora.

Em sua experiência pessoal, Fabiano descreveu a paternidade como sendo “um estado diferente, um sentimento intermitente, só se sabe quando se é pai. Ser pai é ser responsável, ter medo de morrer e se preocupar com o futuro do filho. Também é cumprir um ciclo, viver atento e sentir a dor do outro como sua, porque realmente é; e, sobretudo, ter certeza de que sua vida já valeu e que nada foi em vão”.

Perguntas interativas da Lição: Esperança indestrutível

Não é fácil manter o ânimo e a esperança quando não conseguimos ver o quadro completo da situação pela qual passamos. Nessas horas precisamos nos lembrar do caráter de Deus, e assim – por reconhecer Quem Ele é – nos apegar firmemente às Suas promessas. Desta forma desenvolvemos uma esperança segura, a qual não pode ser destruída pelos crisóis da vida.

Perguntas para reflexão e discussão em grupo:

Por que a compreensão do caráter de Deus nos ajuda a manter a esperança em meio ao crisol?

Em Habacuque 1:1-4 o profeta reclama para Deus da situação caótica do país e do povo. Então em 1:5-11 Deus lhe responde dizendo que isso iria piorar muito, pois os babilônios ainda atacariam a nação e levariam uma grande parte do povo em cativeiro por 70 anos. Com esse quadro em mente, discuta:

Por que Deus permitiu que isso acontecesse com o Seu povo? (veja Hb 12:7-11)

Como a atitude de Habacuque relatada em 3:17-19 pode ser a nossa também?

Leia Jeremias 29:10. De que forma essa promessa deveria encher o povo de esperança apesar de estarem sendo enviados para Babilônia? Como podemos comparar essa situação do povo de Israel com a nossa na atualidade? (R.: Deus estaria com o povo durante o exílio na Babilônia, e lhes prometeu que, no tempo certo, essa situação teria um fim)

Leia Isaías 41:8-10. Quais são os motivos de esperança nesta passagem? Como essas palavras podem nos ajudar enquanto aguardamos a volta de Jesus?

Quando Deus apareceu a Jó (cap. 38 em diante), não lhe explicou nada sobre os motivos de seu sofrimento. Apenas lhe revelou Sua gloriosa grandeza. E Jó ficou tão impressionado que não precisou de respostas (42:3,5,6). Por que o conhecimento da majestade de Deus deve ser suficiente para nós quando não sabemos todos os porquês?

Em quais promessas divinas podemos nos basear para desenvolver uma esperança indestrutível?

Como podemos ajudar as pessoas que perderam a esperança?

(Pastor Natal Gardino, professor de Teologia no Instituto Adventista Paranaense)

LAMED: paternidade na Bíblia