Perguntas interativas da Lição: Lutando com toda a energia

É certo que nossos esforços pessoais não contribuem em nada para nossa salvação. Ela se dá inteiramente pela graça de Deus. Porém, isso não significa que devemos ficar parados. A vida cristã não é só de contemplação, mas de escolhas contínuas para permanecer com Cristo, mesmo que soframos por isso. O esforço humano, nesde caso, não tem o objetivo de conquistar a salvação, mas de não largar a mão do Pai, que nos conduz. “Aquele que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt 24:13).

Perguntas para reflexão e discussão em grupo:

Leia João 16:13. De que forma o Espírito Santo nos guia a toda a verdade? De que modo podemos impedi-Lo de realizar esse processo em nós? Mesmo sendo todo-poderoso, por que Ele não nos obriga?

Para que o Espírito Santo possa efetivamente nos guiar à Verdade e nos santificar a cada dia, de que modo podemos colaborar abrindo conscientemente as portas do coração? Por que não fazemos isso de modo mais intencional e frequente?

Leia Colossenses 1:29. Apesar de que a salvação não pode ser conquistada por nossos esforços pessoais, em que sentido temos que nos “esforçar”? (R.: Temos que nos esforçar para continuar escolhendo o “caminho estreito” [Lc 13:24]; para permanecer em Cristo [2Co 13:5; Jo 15:4]; para não impedir o trabalho do Espírito Santo em nós por causa de escolhas erradas ou por falta de tempo; para abandonar coisas das quais gostamos muito mas que nos afastam de Deus e entristecem o Espírito Santo [Ef 4:30]; etc. Porém, todo esse esforço é inútil se não for habilitado e fortalecido pela graça e pelo poder de Deus em nós [Jo 15:5].)

Muitos pregadores ensinam que se você “apenas crer” o Espírito Santo fará tudo por você. Por que essa é uma meia-verdade perigosa? (R.: É Ele quem faz tudo se permitirmos que Ele aja em nós. Precisamos abrir-Lhe o acesso ao coração nos entregando completamente e nos mantendo em comunhão através do estudo da Palavra e da oração.)

Leia Jeremias 17:9. Por que não podemos confiar em nossos sentimentos em relação à vida espiritual? Qual é o perigo de uma religião baseada nos sentimentos?

Como podemos disciplinar a nossa vontade, que é corrupta, para que todas as nossas escolhas sejam de acordo com a vontade de Deus?

Leia 1 Pedro 1:13. O que significa “cingir o entendimento” e “ser sóbrio” na vida espiritual? Por que cuidar da mente é tão importante no contexto do Grande Conflito? (ver Pv 4:23; 23:26; Rm 12:2)

O que Jesus quis dizer com Sua declaração radical em Mateus 5:29,30? Por que Ele coloca sobre nós a responsabilidade de abandonarmos o que nos afasta dEle? Como podemos conseguir nos desvencilhar de coisas que amamos mas que atrapalham a nossa comunhão com Deus?

Leia Mateus 24:13 e Apocalipse 14:12. O que significa “perseverar até o fim”? Como podemos desenvolver perseverança e paciência em nossa jornada de luta espiritual?

(Pastor Natal Gardino, professor de Teologia no Instituto Adventista Paranaense)