Pessoas fortemente religiosas têm vida sexual melhor

A desaprovação do sexo sem amor e do sexo casual está ligada a uma maior satisfação com a vida sexual entre homens e mulheres.

Pessoas que vão à igreja são mais propensas a ter uma vida sexual muito satisfatória, revela um novo estudo. Pesquisadores do Reino Unido descobriram que indivíduos fortemente religiosos são tipicamente mais satisfeitos com suas atividades no quarto do que aqueles que não são religiosos ou praticam sexo casual. Uma equipe da Universidade de Exeter acrescenta que realmente há alguma verdade no ditado “qualidade sobre quantidade”. Embora as pessoas religiosas no estudo normalmente tenham feito menos sexo do que outras, o sexo que estão fazendo as está deixando mais satisfeitas do que aquelas que se envolvem em encontros casuais com várias pessoas.

De acordo com os resultados da terceira Pesquisa Nacional Britânica de Atitudes Sexuais e Estilos de Vida, homens e mulheres que praticam o sexo casual ou sexo sem amor relataram ter menos satisfação sexual. […] “Como pessoas religiosas são menos propensas a se envolver em sexo casual e são mais propensas a limitar a atividade sexual a um relacionamento baseado em amor, isso pode levar a menores expectativas de atividade sexual fora de uma união formal, bem como maior satisfação com a vida sexual em geral. No entanto, é possível que os sentimentos religiosos sobre a santidade do sexo conjugal, bem como a desaprovação do sexo fora do casamento, sejam mais importantes para a satisfação sexual das mulheres do que para os homens”, acrescenta o Dr. Vegard Skirbekk, do Instituto Norueguês de Saúde Pública e da Universidade de Columbia. […]

“A desaprovação do sexo sem amor e do sexo casual está ligada a uma maior satisfação com a vida sexual entre homens e mulheres. Enquanto a satisfação sexual aumenta inicialmente com a frequência sexual, ela diminui novamente em um número maior de ocasiões sexuais. Portanto, fazer sexo ‘demais’ pode levar a um menor nível de satisfação com a vida sexual”, conclui o pesquisador.

(Study Finds)