Peppa Pig traz primeiro casal de personagens do mesmo sexo no programa infantil

pepa

Famosa mundialmente, a personagem Peppa Pig conheceu em um novo episódio exibido na terça-feira (6/9) um casal homoafetivo, o primeiro a aparecer no programa infantil britânico em seus 18 anos de exibição. No episódio intitulado Families, exibido no Canal 5 no Reino Unido, Peppa Pig conheceu as mães da personagem Penny Polar Bear. Enquanto desenhava um retrato da família, Penny Polar Bear explicou: “Eu moro com minha mamãe e com minha outra mamãe. Uma mamãe é médica e outra mamãe cozinha espaguete.” O programa Peppa Pig, criado pelos animadores britânicos Mark Baker e Neville Astley, está no ar desde 2004.

O novo episódio foi exibido dois anos depois que uma petição online foi criada pedindo que fosse exibida uma “família de pais do mesmo sexo na Peppa Pig“. A petição teve mais de 24 mil assinaturas. “As crianças que assistem Peppa Pig estão em uma idade influenciável”, escreveram os criadores da petição. “Excluir famílias do mesmo sexo vai ensiná-las que apenas famílias com um pai ou mãe ou dois pais de sexos diferentes são normais.”

Robbie de Santos, diretor de comunicações e assuntos externos da organização de direitos LGBT Stonewall, disse que ver uma família homoafetiva na ficcional cidade de Peppatown foi “fantástico”. […]

(BBC Brasil)

Nota 1: “Desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso o homem deixará o seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, que ninguém separe o que Deus ajuntou” (Jesus Cristo, em Marcos 10:6-9).

Nota 2: Na noite desta quinta-feira, a jogadora da Seleção Brasileira Tandara Caixeta se manifestou nas redes sociais acerca do desenho Peppa Pig, recomendado para crianças de até quatro anos de idade, que incluiu em seus personagens um casal homossexual. Com a repercussão, a jogadora criticou a iniciativa do desenho:

“Nossos filhos não estão mais seguros. Essa ideologia que vem sendo implantada através de histórias em quadrinhos, desenhos, filmes e vídeos na internet, influenciam em nossas crianças os valores inversos aos que Cristo ensina. Nós realmente não temos um dia de paz. Portanto, pais, fiscalizem seus filhos. Prestem atenção no que eles vêm assistindo todos os dias”, disse em um vídeo no Instagram.

A comunidade LGBTQIA+ se manifestou contra a jogadora. E já havia feito isso, pois Tandara se posicionou desfavorável à participação de “mulheres” trans (homens biológicos) em esportes femininos.

“Não existe nenhum problema se a pessoa quiser tomar a decisão de ser homossexual, desde que ela tenha idade suficiente para decidir. O que não podemos permitir é que elas sejam influenciadas desde a infância, que é o momento da formação da personalidade. A Palavra de Deus não muda, por mais que tentem adaptá-la aos tempos. O que a Bíblia condena, eu não quero que nossos filhos vivam. Se, por acaso, eles tomarem essa decisão, que sejam conscientes, não influenciados”, finalizou a atleta.