Durante live, advogada revela estratégia para se infiltrar em igrejas e doutrinar crianças

Os inimigos do cristianismo sabem que precisam perverter as novas gerações a fim de destruí-lo.

cavalo

A Revista Fórum promoveu no último domingo um encontro virtual para falar, segundo seus organizadores, “sobre as candidaturas de mulheres e as dificuldades em um país tomado pelo ódio bolsonarismo”. Na programação apresentada por Anderson Moraes um ponto em especial preocupou cristãos que lutam pela proteção de seus filhos contra ideologias contrárias à Palavra de Deus. A advogada Laura Astrolabio revelou parte de sua estratégia para alcançar crianças cristãs. Laura, que já foi evangélica e hoje se apresenta como candomblecista, compartilhou durante a Live que seu plano é se infiltrar em ministérios infantis.

“Outro dia eu encontrei uma amiga da época da igreja, porque eu fui cristã durante 30 anos… eu falei ‘amiga, vamos voltar pra igreja’… Ela disse que eles (fiéis) não iriam permitir. E eu disse ‘quem disse que a gente vai falar pra eles?’ O que mais a igreja quer é pegar uma irmãzinha pra tomar conta das crianças. Enquanto eles estão no culto, tem uma sala de aula cheia de crianças. Aí você pega a Bíblia e começa a falar que Jesus amava os pobres e que os ricos não entrarão no Reino dos céus…”, explicou a advogada que demonstrou interesse em desenvolver a estratégia.

Astrolabio também contou que, na época em que era cristã, fez uma viagem a Jerusalém.

“O dia que eu contar o que é essa viagem a Jerusalém. O dia que me botarem na televisão pra eu contar, eu acabo com o cristianismo no Brasil”, disse sem dar detalhes.

Laura também se apresenta como especialista em direito público, mestranda de políticas públicas em direitos humanos da UFRJ, co-fundadora e diretora d’A Tenda das Candidatas, membro da Comissão OAB Mulher do RJ e escritora. […]

(Melodia News)

Nota: Sem entrar em questões políticas, quero destacar o fato de que infiltração nas igrejas é uma tática antiga dos inimigos do cristianismo. No livro O Grande Conflito, Ellen White descreve como a igreja cristã deixou de ser perseguida para se tornar a igreja oficial do Império Romano, passando a perseguir os discordantes que decidiram se manter fiéis à Bíblia. Graças à ajuda do imperador Constantino e outros, o paganismo (via crenças como imortalidade da alma, inferno eterno, guarda do domingo, adoração de imagens, etc.) invadiu a igreja comprometendo a pureza doutrinária mantida por alguns séculos a custo de sangue. Dá mais certo infiltrar do que perseguir; minar por dentro do que combater abertamente. Antônio Gramsci também incentivou essa estratégia. Para ele, implantar o marxismo na sociedade pelas armas não daria certo, por isso era preciso se infiltrar na educação e na imprensa, fenômeno que alguns passaram a chamar de “marxismo cultural”; outros, de gramscismo mesmo.

Por outro lado, há aqueles que se deram conta de que, com produções culturais aparentemente insuspeitas, conseguiriam conduzir as pessoas ao catolicismo tradicional, como fazem os adeptos do chamado “olavismo cultural”, por exemplo. Promotores do dominionismo também se infiltraram nas igrejas, com suas pautas políticas.

O diabo é um mestre da infiltração. Ele sempre tentou e tenta invadir igrejas e vidas e mentes. Por isso a Bíblia insiste em que devemos cuidar dos nossos pensamentos (Rm 12:2) e vestir a armadura de Deus (Ef 6). Ellen White fala das “janelas da alma” ou “avenidas da alma”, das quais devemos cuidar bem. Por meio de filmes, músicas, séries, etc., o inimigo tem conseguido minar a fé de muitas pessoas, produzindo um cristianismo sem poder, relativista e sem graça.

Para a advogada da live, é preciso ensinar às crianças que Cristo amava os pobres e que os ricos não entrarão no reino dos céus. Errado. Cristo amava todas as pessoas, sem distinção. Deus amou o mundo (Jo 3:16), não essa ou aquela classe social, essa ou aquela etnia, esse ou aquele sexo. Criar divisões sociais com base nessas diferenças não é algo próprio do cristianismo, muito pelo contrário (Gl 3:28). Jesus ensinou que ricos apegados às suas riquezas se perderão, mas na Bíblia há vários exemplos de ricos salvos, a começar pelo pai da fé, Abraão (Gn 13:2). Por mais que os marxistas tentem transformar a Bíblia em uma espécie de cartilha comunista, isso não funciona (veja aqui).

Finalmente, fiquei muito curioso com esta fala dela: “O dia que eu contar o que é essa viagem a Jerusalém. O dia que me botarem na televisão pra eu contar, eu acabo com o cristianismo no Brasil.” Duas coisas: (1) o diabo tem tentado destruir o cristianismo há milênios; Voltaire disse que bastaria um francês ilustre para fazer isso (cadê ele?); portanto, não será uma jovem candomblecista não praticante que conseguirá esse feito. O verdadeiro cristianismo bíblico vai triunfar! (2) Milhões de pessoas passam por Israel todos os anos e aprendem lá sobre história, religião e arqueologia. Sabe qual tem sido o resultado disso? Voltam para casa com a fé renovada.

Em tempo: vamos cuidar das nossas crianças, das novas gerações de cristãos. Se não fizermos isso como família e como igreja, outros farão e do jeito errado. A fala dessa moça é outra evidência disso. [MB]