Feminista diz que falta de aborto causou aquecimento global

gloria-steinemEm uma ampla entrevista na última terça-feira, a ícone feminista Gloria Steinem disse à Refinery29 que a mudança climática pode estar diretamente relacionada à falta de aborto. Steinem, de 83 anos, que ajudou a popularizar a controversa camiseta “Eu fiz um aborto”, disse ao site que a mudança climática é uma “questão feminista” porque a superpopulação mundial poderia ter sido evitada se os abortos fossem mais facilmente acessíveis às mulheres. “Ouça, o que causa a mudança do clima é a população”, disse ela. “Se não estivéssemos forçando sistematicamente mulheres a ter filhos que não querem ou não podem cuidar durante os 500 anos de patriarcado, não teríamos os problemas climáticos que temos. Essa é a causa fundamental da mudança climática. Mesmo que o Vaticano não nos diga isso. Além disso, porque as mulheres são as principais trabalhadoras agrícolas no mundo, e também as portadoras de água e as alimentadoras de famílias e assim por diante, é um fardo desproporcional.”

Durante a entrevista, Steinem também aproveitou a oportunidade para atacar Ivanka Trump, filha do presidente norte-americano. Quando perguntada pelo entrevistador se ela achava que Ivanka era uma feminista, Steinem disse: “Ninguém na Terra acha que ela é uma feminista, você está brincando comigo?” E observou que Ivanka nem sequer tenta defender o feminismo. “Eu não a vi levantando e dizendo que as mulheres deveriam ter o direito de controlar seus próprios corpos e decidir quando e se ter filhos, não”, disse Steinem.

“Eu a vi sendo entrevistada pela Cosmopolitan, e ela foi perguntada sobre sua política de licença de maternidade, mas é só se você fisicamente der à luz. Não é para pais adotivos, não é para pais. Essa é a mesma política de qualquer regime autoritário na Terra que conheço, incluindo a Alemanha de Hitler”, disse Steinem. “Eu não estou dizendo que ela sabe disso, mas estavam pagando mulheres para ter filhos. Por acidente, talvez, essa é a sua política.”

Eu concordo com Steinem: Ivanka não é feminista. E isso é um ótimo sinal de que recebeu uma boa educação! Vejam no que se transformou a ícone do feminismo. Se não estiver gagá – o que não parece ser o caso, pois é o mesmo discurso maluco e radical de várias outras da espécie –, acha que a solução para o “problema climático” é mulheres saírem abortando por aí, e chama qualquer incentivo à maternidade de “prática nazista”. É caso de hospício mesmo…

(Rodrigo Constantino, Gazeta do Povo)

Nota: O nome disso é “espiral do delírio” (militância esquerdista em seu estado da arte). Ideias como essas derivam do conceito darwinista dos marxistas e das feministas, de que a vida não passa de um amontoado de células. Se duvida, assista aos vídeos abaixo. Ideias têm consequências, e a ideia dessa senhora me fez lembrar a viagem que um amigo missionário português chamado Filipe Reis fez aos Estados Unidos, recentemente. Quando esteve no estado da Georgia, ele visitou um monumento erguido pela Ordem Rosacruz, onde estão expostos os dez mandamentos da Nova Ordem Mundial. O primeiro desses mandamentos diz: “Reduzir a população mundial a 500 milhões de habitantes”, e o segundo: “Orientar a reprodução de forma sábia.” Confira na foto abaixo, tirada pelo Filipe:

pedra rosacruz

No livro O Outro Lado do Feminismo, de Suzanne Venker e Phyllis Schlafly, na página 185 (da edição em inglês), estão os Dez Mandamentos Feministas:

  1. Faça muito sexo com muitos homens diferentes.
  2. Você é livre para fazer um aborto a qualquer hora por qualquer razão.
  3. Ignore seu relógio biológico e, se necessário, crie novos métodos de concepção.
  4. Invista em carreiras que exijam bastante e pague outras mulheres para criar/educar seus filhos.
  5. Não se sinta culpada por investir em carreiras que exijam bastante e por pagar outras mulheres para criar/educar seus filhos.
  6. Você é livre para se divorciar a qualquer hora e manter a custódia dos filhos.
  7. Faça inseminação artificial se você não se casar, mas ainda assim quiser ter filhos.
  8. Deprecie os homens até que a masculinidade deles desapareça.
  9. Não tome o sobrenome de seu marido.
  10. Menospreze todas as donas de casa e mulheres conservadoras.

Bem, parece que Gloria Steinem tem seguido de perto as diretrizes feministas e dos defensores da Nova Ordem Mundial.

O fato é que o feminismo tem DNA marxista/evolucionista e atenta contra a família patriarcal bíblica (o que não significa que as mulheres não tenham direitos legítimos que devam ser preservados e defendidos; essa é outra história). Mas é preciso que fique bem claro que esse tipo de família (patriarcalista) nada tem que ver com a visão do patriarcalismo descrita por sociólogas como Maria do Perpétuo Socorro Leite Barreto, por exemplo, que escreveu o seguinte: “Patriarcalismo pode ser definido como uma estrutura sobre a qual se assentam todas as sociedades contemporâneas. É caracterizado por uma autoridade imposta institucionalmente, do homem sobre mulheres e filhos, no ambiente familiar, permeando toda a organização da sociedade, da produção e do consumo, da política, à legislação e à cultura. Nesse sentido, o patriarcado funda a estrutura da sociedade e recebe reforço institucional; nesse contexto, relacionamentos interpessoais e personalidade são marcados pela dominação e violência.”

Se ela se refere ao patriarcalismo bíblico, está totalmente errada, pois a função bíblica do patriarca era justamente prover e proteger (responsabilidade que muitos homens já não querem assumir), jamais usar de dominação e violência. O modelo para essa posição masculina é o do próprio Deus, por isso o amor e o desejo de proteger devem ser a tônica desses relacionamentos. Graças às feministas e à inversão de valores e posições observada em nossa sociedade, as pessoas logo manifestam resistência à simples menção da palavra “patriarcalismo”, sem ao menos compreender o conceito bíblico dela.

Patriarcalismo, segundo Filipe, é a forma de ordenação da família e da sociedade em que o homem assume a autoridade e a responsabilidade as quais Deus lhe confiou. Ele assume a figura tutelar, cuja principal incumbência é a provisão e proteção do seu núcleo ou grupo, sendo que o mais elementar deles é a família, zelando incessantemente pelo seu bem-estar e seus interesses. Essa autoridade é diferente do autoritarismo, conceito no qual o líder exerce poder por imposição arbitrária determinada por ele mesmo, e que facilmente descamba para opressão. Isso resulta, finalmente, em machismo, ou a ideia de superioridade nata do gênero masculino sobre o feminino, que é outra proposta não aceitável ao patriarcalismo, transformando-se em uma forma doméstica de ditadura.

Assim, a mulher e os demais membros da família deveriam ser os primeiros e maiores interessados na manutenção e preservação da autoridade patriarcal do homem. A mulher não perde com isso sua identidade ou consciência, nem se sente de qualquer forma diminuída; pelo contrário, é valorizada em sua elevada posição dentro da família e da sociedade.

Lamentavelmente, há muitos homens faltando com seu compromisso, abandonando o lar, tratando com violência a quem deveriam proteger, colocando sobre os ombros das mulheres uma carga que aumenta em muito a que elas já têm. Mas isso é resultado de um mundo injusto, pecaminoso e cada vez mais distante do ideal do Criador, e não deveria mudar em nada o plano dEle para as famílias. [MB]

O dinossauro mais bem preservado do mundo

dinossauroGeólogos revelaram nesta semana o que é, provavelmente, o dinossauro mais bem conservado da história. O animal provavelmente morreu como vivia – desafiando predadores com sua armadura pesada e seu tamanho – e depois de 110 milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista], seu rosto permanece congelado em um feroz resplendor reptiliano. Não se sabe como ele, um herbívoro de uma espécie chamada nodossauro, morreu, mas, de alguma forma, seu corpo acabou no fundo de um mar antigo. Minerais mantiveram seus restos mortais incrivelmente intactos, gradualmente transformando o corpo em um fóssil. E quando foi descoberto em 2011, os cientistas rapidamente perceberam que era o espécime mais bem preservado de seu tipo. “É basicamente uma múmia de dinossauro – é realmente excepcional”, diz Don Brinkman, diretor de preservação e pesquisa no Royal Tyrrell Museum, em Alberta, no Canadá. O dinossauro, com conteúdo de pele e intestino fossilizados intactos, veio de uma escavação nas areias do norte de Alberta, que no passado foi o fundo de um mar, há seis anos.

[Continue lendo.]

Como detectar e lidar com o risco de suicídio entre adolescentes

suicideA nova série do Netflix “13 Reasons Why” segue uma estudante colegial que acaba com a própria vida, através do suicídio, após uma série de eventos adolescentes traumáticos, mas comuns. O personagem principal, uma jovem de 17 anos, libera uma série de gravações de áudio que detalham as circunstâncias que antecederam sua morte. A série de ficção, baseada em um romance adulto jovem de 2007, foi amplamente criticada e discutida nos meios de comunicação, entre pais e profissionais de saúde mental e pelos jovens. Alguns dizem que o programa glorifica o suicídio. A cantora e atriz Selena Gomez, produtora executiva do show, que tem ela própria lutado contra a depressão, diz que a série era mesmo para provocar uma discussão realista. Ainda assim, “é difícil evitar o sensacionalismo sobre o suicídio”, diz Meg Jennings, da Universidade de Michigan (EUA), que é especialista em suicídios de adolescentes. Ela explicou alguns dos sinais de alerta para que os pais e amigos fiquem atentos.

Sentimentos de desesperança podem surgir em conversas, então considere que o adolescente possa estar falando sobre sua vida. Se perceber que o jovem está se sentindo sobrecarregado só de pensar em viver, é hora de buscar ajuda, diz Jennings. Outro sinal sugestivo é o pensamento polarizado ou distorcido – em outras palavras, a crença de que as coisas são apenas preto ou branco, bom ou ruim, tudo ou nada. O interesse em atividades favoritas pode desaparecer. Esses adolescentes também passam a sofrer de insônia, bem como ansiedade ou pânico.

Outros sinais incluem comportamento imprudente, agressividade, aumento do uso de álcool ou drogas, visitas a entes queridos para se despedir, ou dar fim em objetos pessoais de valor. “Ao avaliar o risco, é importante saber quão impulsiva essa pessoa é. Ela está se comportando irresponsavelmente? Por exemplo, alguém chateado com os pais pode abrir a porta do carro e tentar sair do veículo, enquanto está em movimento”, diz Jennings.

Alguém que é potencialmente suicida vai falar sobre a morte e sobre não ter razões para viver. O indivíduo pode se ver como um fardo enorme, fazendo comentários como: “Quando eu me for, as coisas vão melhorar para todo mundo.” A pessoa pode ter uma dor tão insuportável, que não vê esperança para o futuro. Muitas vezes, aqueles que pensam em suicídio sentem que continuar a viver é uma realidade esmagadora ou insuportável. Mas essa perspectiva também pode mudar.

“Às vezes, se alguém com esse perfil está de bom humor pode ser porque já decidiu se suicidar”, alerta Jennings. “É uma boa ideia ficar atento se você interagiu com alguém que estava se sentindo profundamente inútil apenas alguns dias antes.” É preciso agir imediatamente se a pessoa está falando sobre um plano específico para acabar com a própria vida, acrescenta Jennings.

Não ignore os sinais. Isso não é o comportamento normal de um adolescente, diz Jennings. Coloque a pessoa em contato com um profissional de saúde mental e, sendo da família, agende uma avaliação. Fale para esse adolescente que você se importa com ele e deseja obter suporte. Não dê sermões.

A necessidade de orientação profissional funciona dos dois lados, diz a especialista: “Os pais precisam lembrar que eles provavelmente vão precisar de apoio também. É muito estressante conviver com um adolescente suicida. Procure ajuda para si mesmo, assim que for possível.”

Enquanto isso, crie um espaço seguro para o adolescente conversar sobre essas questões. É normal para os adolescentes sentirem medo ou até mesmo ficarem zangados. É importante apoiar esse adolescente e dizer que você entende o quão sem esperança ele ou ela está se sentindo, finaliza Jennings.

 (Diário da Saúde)

Nota: Um detalhe muito importante e não salientado na matéria acima é a prática da verdadeira religião. Pesquisas têm mostrado que uma religiosidade prática, não apenas declarada, pode ajudar e muito na saúde física e emocional. Viver para servir adiciona sentido à vida. O senso de comunidade também é um fator positivo. E poder conversar com Deus em oração e deixar sobre Ele nossos fardos e nossas culpas acaba sendo uma verdadeira terapia. Dentro de alguns meses será conhecido em todo o Brasil e em alguns outros países um material muito útil para a manutenção da saúde emocional e espiritual. Aguarde! [MB]

Jesus Cristo existiu? A “descontribuição” de Onfray

ONFRAY Michel 1-2, 12/2011O filósofo francês ateu Michel Onfray (sobre quem falei em 2006) voltou a ganhar espaço na mídia por causa do lançamento de seu novo livro de 600 páginas intitulado Décadence, no qual ele defende a tese de que Jesus – sim, o Jesus histórico – nunca teria existido. Onfray sempre foi polêmico e agora vai na contramão da posição de outros ateus, como o famoso Bart Ehrman, segundo os quais a existência do Jesus histórico é inegável. Assista a alguns vídeos que apresentam a posição de dois outros filósofos, de uma bacharel em Teologia e doutoranda em Filosofia e de um pastor adventista. E tire suas conclusões.

[Clique aqui para ver os vídeos.]

Trump buscará unir povos de todas as religiões

trumpEm sua primeira viagem oficial como presidente ao exterior, o presidente norte-americano Donald Trump vai “buscar unir muçulmanos, judeus e cristãos” em um esforço para combater o terrorismo, afirmou [na] sexta-feira (12) o conselheiro de Segurança Nacional do governo americano, H. R. McMaster. Na sexta-feira (19), Trump viajará para Arábia Saudita, Israel e Itália. Na visita a Israel, ele vai enfatizar os “laços inabaláveis” com o país e seu desejo por “dignidade e autodeterminação” para os palestinos, afirmou McMaster. Na Arábia Saudita, vai “encorajar as autoridades a promover a paz e confrontar o caos e a violência”, disse. Na viagem, o presidente norte-americano também vai reafirmar seu compromisso com a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), completou. Na Itália, Trump se reunirá com o papa Francisco.

(G1 Notícias)

Nota: Muitíssimo interessante a escolha dos países para essa primeira viagem do presidente dos Estados Unidos ao exterior. Assim, ele mantém contato com os mundos islâmico, judeu e católico. E assim Trump se alinha com os interesses do próprio papa, cujo objetivo, entre outros, é o de promover exatamente a união das religiões. Só falta, agora, Francisco convencer Trump a respeito do ECOmenismo (confira aqui), o que não pode ser descartado, já que o magnata tem mudado de opinião com certa facilidade, desde que assumiu a presidência. O protagonismo e o caráter quase messiânico dessas duas figuras importantes fica cada vez mais evidente. Em sua recente viagem a Portugal, o papa Francisco valorizou o culto à Virgem de Fátima, com sua inegável relação positiva com os islâmicos (confira aqui) e evidenciou também um alegado milagre atribuído à santa (confira), o que não podia faltar, claro. A palavra de ordem é “união”, e os “desalinhados” não terão lugar nesse novo mundo. [MB]

Papa vai tentar convencer Trump a mudar de ideia sobre aquecimento global

papaFontes vaticanas disseram [no dia 12] acreditar que o papa Francisco tentará convencer o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a manter os acordos climáticos. O líder católico receberá o magnata no próximo dia 24 de maio, na Itália. “Acho que o papa vai convencê-lo”, afirmou o chanceler da Pontifícia Academia das Ciências, monsenhor Marcelo Sanchez Sorondo. Francisco é o autor da encíclia Laudato Sí, que aborda justamente problemas climáticos, exploração de recursos naturais e colapsos do capitalismo. “Enquanto o papa escrevia sua encíclica, lobistas do setor petroleiro tentavam de tudo para evitar que Francisco falasse que a causa da mudança climática é a atividade humana que utiliza materiais fósseis”, contou Sorondo. “Trump já mudou de ideia várias vezes, sobre várias coisas, espero que mude também sobre o clima”, comentou. Será o primeiro encontro entre Trump, que tomou posse em janeiro, e o papa Francisco. Os dois divergem em uma série de assuntos e a reunião foi marcada praticamente em cima da hora. Recentemente, Jorge Mario Bergoglio também criticou a chamada “mãe de todas as bombas”, explosivo de dez toneladas lançado pelos EUA no Afeganistão.

(UOL Notícias)

Nota 1: De fato, Trump tem mudado de ideia sobre vários assuntos, inclusive a visita ao papa se trata de uma dessas mudanças. Se o presidente norte-americano mudar de ideia quanto à questão do aquecimento global, poderemos ver um alinhamento interessante em uma questão que favorece e muito o futuro decreto dominical. Se duvida, assista ao vídeo abaixo. [MB]

Nota 2: A foto que ilustra esta postagem (acima) é a do presidente de Portugal beijando a mão do papa, provando com isso que esse negócio de Estado laico, na verdade, não existe. [MB]

Escolas eliminam Dia das Mães do calendário

mãeFoi-se a época em que as famílias tinham um formato padrão. Hoje em dia, são incontáveis os exemplos de mães ou pais solteiros, casais [sic] homossexuais e até mesmo parentes como avós e tios educando crianças. Em respeito a essa diversidade, algumas escolas brasileiras eliminaram de seus calendários comemorações de datas como o Dia das Mães e o Dia dos Pais, substituindo-as por festas que celebram o núcleo familiar de um modo geral. “Não podemos generalizar na escola algo que é diferente no mundo privado, avalia Ana Lúcia Figueira da Silva, gestora da Educação Infantil da Escola Viva, em São Paulo. “As pessoas têm formas diferentes de comemorar, fazem escolhas diferentes. Além disso, a família contemporânea tem novas configurações, fora o fato de que há também pais e mães que não são presentes pelos mais variados motivos. Os contextos são diversos.”

Na instituição em que Ana Lúcia trabalha, uma vez por ano cada faixa etária participa de um evento específico para o grupo, no qual é permitida e estimulada a presença dos familiares – sejam eles quem forem. “É um espaço de convívio. Funciona assim já há mais de 20 anos. A gestora ressalta também que a proposta de ir contra a maré é uma maneira de fugir do consumismo desenfreado que acompanha as datas comemorativas. “Procuramos valorizar os rituais e o convívio, e fugir do apelo comercial, do qual o mundo já se encarrega. É claro que os dias das mães e dos pais aparecem na rotina do professor e das crianças, mas as demandas são acolhidas individualmente.”

A psicóloga especialista em comportamento infantil Vera Resende, no entanto, não vê com bons olhos as mudanças na tradição. Para ela, ainda que a escola modifique seu calendário e opte por não celebrar as datas, será impossível “matar a cultura”. “A instituição pode até não comemorar, mas a data continua no calendário. Não dá para riscar tudo por causa da multiplicidade. Até porque, mesmo que seja um casal [sic] homossexual, haverá alguém que faça o papel de mãe, o papel de pai. O ideal é a criança saber que ela cresce cuidada por alguém que se dedica a ela, que abandona tudo por ela.”

Mesmo nos casos em que a criança perde um dos pais, por exemplo, Vera insiste que o impacto causado pelos festejos na escola não será maior do que o que a sociedade já impõe no dia a dia.  “Dificilmente vamos conseguir criar um mundo onde a criança não sofra. Não é a data que trará a tristeza, mas sim a ausência do ente querido. O papel da educação é inserir a criança na cultura, reproduzindo a sociedade em modelos pequenos para a criança começar a praticar. E essa inserção, infelizmente, deve ser das coisas boas e das coisas ruins.”

(R7 Notícias)

Nota: Evidentemente que há famílias que existem em formatos não ideais, quando a mãe está ausente, por exemplo, por motivo de morte ou separação. Mas fazer com que a figura da mãe e a celebração de sua figura sejam minimizadas é algo que atende bem aos interesses daqueles que querem solapar a cosmovisão criacionista bíblica. Veja o que escreveu Ellen White há mais de cem anos: “O rei em seu trono não tem função mais elevada que a mãe. A mãe é a rainha do lar. Ela tem em seu poder o modelar o caráter dos filhos, para que estejam capacitados para a vida mais alta, imortal. Um anjo não desejaria missão mais elevada” (O Lar Adventista, p. 231). Não permita que a mídia, as militantes feministas, os marxistas de plantão e outros interessados em destruir a visão de mundo judaico-cristã “façam a sua cabeça” com essa campanha contra a família ideal criada por Deus. Feliz Dia das Mães! [MB]