Adventistas dando ouvidos a falsos ensinamentos

O resultado é a ruína espiritual e um rastro de descrença e pecados justificados

lobo

A seu amigo Timóteo, o apóstolo Paulo escreveu: “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, se rodearão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (2 Timóteo 4:3, 4). Quando vemos cristãos dando ouvidos a “mestres” que colocam em dúvida a inspiração e infalibilidade das Escrituras, percebemos que Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, de fato, antecipou uma sombra que ameaçaria constantemente a igreja de Deus, especialmente nestes dias de dúvida e descrença em que estamos vivendo. Se duvida, saiba que há pessoas questionando a inspiração divina do apóstolo dos gentios, ainda que conheçam textos como estes:

“O Deus de nossos pais de antemão te [Paulo] designou para que conheças a Sua vontade, e vejas aquele Justo, e ouças a voz de Sua boca. Porque hás de ser Sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido” (Atos 22:14-16; grifos meus).

Eu apareci a você para constituí-lo ministro e testemunha, tanto das coisas em que você Me viu como daquelas pelas quais ainda lhe aparecerei. Vou livrar você do seu próprio povo e dos gentios, para os quais Eu o envio, para abrir os olhos deles e convertê-los das trevas para a luz e do poder de Satanás para Deus, a fim de que eles recebam remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim” (Atos 26:16-18; grifo meu).

Esse chamado especial e a inspiração de Paulo eram reconhecidos pela igreja cristã, tanto que o apóstolo Pedro escreveu: “E considerem a longanimidade do nosso Senhor como oportunidade de salvação, como também o nosso amado irmão Paulo escreveu a vocês, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar a respeito destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas cartas. Nelas há certas coisas difíceis de entender, que aqueles que não têm instrução e são instáveis deturparão, como também deturparão as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (2 Pedro 3:15, 16; grifo meu). Note, no trecho destacado em itálico, que Pedro iguala os escritos de Paulo às demais Escrituras.

Em seu livro Atos dos Apóstolos, falando sobre o chamado e a missão de Paulo, Ellen White escreveu: “Paulo declarava que sua mudança de fé não tinha sido gerada por impulso ou fanatismo, mas fora resultado de irresistível evidência. Em sua apresentação do evangelho, ele procurava tornar claras as profecias relativas à primeira vinda de Cristo. Mostrava irrefutavelmente que essas profecias se tinham cumprido literalmente em Jesus de Nazaré. O fundamento de sua fé era a segura palavra da profecia. […] A oposição tornou-se tão violenta que não foi permitido a Paulo continuar seus labores em Damasco. Um mensageiro do Céu ordenou-lhe retirar-se por algum tempo; e ele foi ‘para a Arábia’, onde encontrou um refúgio seguro (Gl 1:17).

“Ali, na solitude do deserto, Paulo teve ampla oportunidade para sossegado estudo e meditação. Recapitulou calmamente sua experiência passada, possuindo-se de genuíno arrependimento. Buscou a Deus de todo o coração, não descansando até que tivesse a certeza de que seu arrependimento fora aceito e seus pecados perdoados. Anelava a certeza de que Jesus estaria com ele em seu ministério futuro. Esvaziou a alma dos preconceitos e tradições que lhe haviam até então modelado a vida e recebeu instruções da fonte da verdade. Jesus comungou com ele e confirmou-o na fé, conferindo-lhe uma rica medida de sabedoria e graça” (grifos meus).

Resumindo: o apóstolo Paulo foi chamado e ensinado diretamente por Deus. Seus escritos são tão inspirados quanto o Antigo Testamento, os Evangelhos e as demais cartas do Novo Testamento. Isso é confirmado por autores igualmente inspirados como o profeta canônico Pedro e a profetisa não canônica Ellen White. A despeito disso, encontramos na internet declarações infelizes como esta abaixo:

“Para mim o único Verbo, a única Palavra de Deus é Jesus. O Velho Testamento é inspirado. O Novo Testamento é inspirado. Jesus é a encarnação da Verdade. Vocês pensam diferente de mim?! Quem está na heresia são vocês. […] A única encarnação da verdade absoluta de Deus é Jesus. Portanto, Paulo não conhecia essa verdade absoluta. Ele teria que viver muitos anos e anos e anos… e nunca conheceria essa verdade absoluta como eu que já sou mais velho do que Paulo, que já tenho mais tempo de fé do que Paulo teve. […] Nasci num tempo de Bíblia para ler. Ele não. Ele não tinha nem as cartas dele para corrigir (risos). […] A única Palavra de Deus é Cristo, cara. Quem disser outra coisa é herege. Herege! Se você disser que a Bíblia é a Palavra de Deus você é um herege” (Caio Fábio, “A única palavra de Deus é Cristo! Quem disser que é a Bíblia, é herege”, 26/8/2020, YouTube).

Realmente infeliz essa declaração do ex-pastor presbiteriano Caio Fábio, um dos maiores popularizadores da ideia de Jesus como a “chave hemenêutica” da Bíblia, que acaba criando um cânon dentro do cânon e selecionando das Escrituras aquilo que convém ao leitor (tome algum tempo para assistir a este vídeo, pois o assunto é importante). Trata-se de um tremendo desrespeito para com um servo de Deus que deu a vida pela verdade e que amava profundamente o Cristo que o chamou para missão tão importante. Com todo respeito ao Caio Fábio, não posso concordar com isso, e obviamente fico com Paulo.

Mas sabe o que é ainda mais triste? Ver influenciadores adventistas não mais suportando “a sã doutrina; pelo contrário, se [rodeando] de mestres segundo as suas próprias cobiças”. Alguns desses, além de desprezar Paulo e tudo aquilo que, na ótica deles, não passa pela chave hermenêutica imaginária, desconsideram também Ellen White, tratando-a quase com o mesmo desprezo com que Caio Fábio trata o apóstolo.

Esse tipo de postura já estava prevista (confira aqui) e frequentemente leva à ruína espiritual, deixando pelo caminho um rastro de descrença e pecados justificados.

Concluo com mais duas advertências da serva do Senhor:

“Quando pessoas mencionarem a alta crítica e se arrogarem no direito de julgar a palavra de Deus, chamem a atenção delas para o fato de terem esquecido quem foi o primeiro e o mais sábio dos críticos. Aquele que tinha centenas de anos de experiência prática. É ele quem ensina os assim chamados altos críticos de hoje. Deus punirá todos quantos, a exemplo desses altos críticos, exaltam a si mesmos e criticam a santa Palavra de Deus” (Ellen White; Bible Echo, 1º/2/1897; citado no Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia, p. 117).

“Nada há que [Satanás] mais deseje do que destruir a confiança em Deus e em Sua Palavra. […] Os que estão indispostos a obedecer-lhe aos preceitos, esforçam-se por subverter a sua autoridade” (Ellen White, O Grande Conflito, p. 526).

Michelson Borges

Leia também: “Para os que só aceitam partes da Bíblia”

Quase 170 mil recebem estudos bíblicos nos primeiros três meses do ano

O desafio missionário em tempos pandêmicos é encarado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia com criatividade, atenção e cuidado com as pessoas. É a realidade de igrejas que proporcionam várias programações, encontros e capacitações realizados de forma digital por conta da necessidade de respeito a medidas de segurança sanitária. Sem falar na ênfase que a organização tem dado para que o atendimento de pastores e outros líderes seja sempre realizado de uma forma responsável.

Neste contexto, o balanço missionário apresenta alguns dados importantes. De acordo com o levantamento realizado pela área de Ministério Pessoal da sede sul-americana adventista, 168.985 pessoas receberam estudos bíblicos no primeiro trimestre do ano por meio do trabalho da organização adventista em oito países sul-americanos. O número de instrutores bíblicos chegou a 130.793.

A Secretaria Executiva da sede sul-americana possui um registro das atividades missionárias. A fonte destes dados é o sistema ACMS, que as pessoas responsáveis pela área de secretaria dos templos adventistas costumam alimentar periodicamente. De acordo com estes dados, de janeiro a março de 2021 foram registradas 39.468 entradas de novos membros adventistas, principalmente por meio de batismos e profissão de fé.

Neste mesmo período, os registros mostram 39.677 saídas da Igreja Adventista, seja por abandono da fé ou mesmo morte. Com isso, o crescimento real de membros ficou em -0,01%, se a comparação for feita no mesmo período em 2020.

[Continue lendo.]

Os adventistas e a homossexualidade

A Igreja Adventista do Sétimo Dia reconhece que cada ser humano é valioso aos olhos de Deus, e procura ministrar para todos os homens e mulheres no espírito de Jesus. Também acredita que pela graça de Deus e através do encorajamento da comunidade de fé, o indivíduo pode viver em harmonia com os princípios da Palavra de Deus.

Os adventistas do sétimo dia acreditam que a intimidade sexual é apropriada unicamente no relacionamento conjugal entre um homem e uma mulher. Este foi o desígnio estabelecido por Deus na Criação. As Escrituras declaram: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne” (Gn 2:24, NVI). Por todas as Escrituras, esse padrão heterossexual é afirmado. A Bíblia não faz acomodação para a atividade ou relacionamentos homossexuais. Atos sexuais fora do círculo do casamento heterossexual são proibidos (Lv 18:5-23, 26; Lv 20:7-21; Rm 1:24-27; 1Co 6:9-11). Jesus Cristo reafirmou a intenção da criação divina: “Vocês não leram que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher’ e disse: ‘Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne?’ Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne” (Mt 19:4-6, NVI). Por essas razões, os adventistas do sétimo sia são opostos às práticas e relacionamentos homossexuais.

Os adventistas do Sétimo Dia se esforçam para seguir a instrução e o exemplo de Jesus. Ele afirmou a dignidade de todos os seres humanos e estendeu a mão compassivamente a pessoas e famílias que sofrem as consequências do pecado. Ele ofereceu um ministério carinhoso e palavras de consolo para pessoas que lutam, embora diferenciando Seu amor pelos pecadores do Seu claro ensinamento sobre as práticas pecaminosas. Como discípulos, os adventistas do sétimo dia se esforçam para seguir a instrução e o exemplo do Senhor, vivendo uma vida de compaixão e fidelidade semelhante à de Cristo.

(Portal Adventista da IASD na América do Sul)

Leia também: Interpretação bíblica sobre a homossexualidade, Estudos de epigenética oferecem explicações sobre homossexualidade, Casamento e homossexualidade, Igreja Adventista vota declaração sobre transgêneros

Igreja se torna ponto de distribuição de cestas básicas da Central Única das Favelas

Uma entre muitas iniciativas da IASD que devem ser imitadas, especialmente neste tempo de muita necessidade

cestas

Segundo um estudo realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, 116,8 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar no Brasil. Pensando em atender à comunidade, a Igreja Adventista na zona norte de Aracaju, SE, em parceria com a Central Única das Favelas de Sergipe, a Cufa, doou alimentos e presenteou com a literatura Esperança Além da Crise famílias de baixa renda. 40 cestas básicas foram distribuídas no último final de semana. Os cadastros aconteceram previamente e as entregas dos alimentos serão realizadas uma vez ao mês, na Igreja Adventista do Bairro Industrial, com o apoio da Ação Solidária Adventista, a ASA.

A líder da ASA da Igreja do Bairro Industrial, Ana Lúcia Viera, tem buscado parcerias com instituições para intensificar as doações de cestas básicas na região. Durante a semana, ouviu o anúncio em uma rádio sobre o trabalho social realizado pela Cufa, entrou em contato com a direção e solicitou a visita da equipe em seu bairro. “Entrei em contato com a diretora da Cufa e em uma semana eles já estavam aqui em nossa igreja realizando a distribuição de alimentos. Uma parceria que abençoou 40 famílias, e que com certeza abençoará mais pessoas necessitadas. A união entre as entidades neste momento é muito importante. O prédio do nosso templo que alimenta as pessoas espiritualmente se tornou um ponto de alimento físico para a comunidade. Estamos fazendo o que Jesus fazia: atendendo os que precisam espiritualmente e fisicamente também”, enfatiza.

Eliana da Silva é diarista e mãe de cinco filhos. Com a redução das diárias por conta do distanciamento social, as dificuldades financeiras intensificaram e a doação da cesta básica veio no momento certo. “Com a pandemia, muitas famílias que eu presto meu serviço têm medo de receber pessoas de fora por conta da contaminação do coronavírus, e outras também estão reduzindo os gastos. Tudo isso afetou muito minha renda mensal. Fiz o meu cadastro aqui na igreja, e a doação veio na hora certa”, diz.

Além das cestas básicas, no Dia Nacional do Livro, as famílias foram presenteadas com a literatura Esperança Além da Crise. “Percebemos que a crise não é apenas física, é emocional e espiritual também, por isso, junto com o alimento, estamos presenteando as famílias com um livro que trará respostas para acalmar os corações, neste momento de crise que estamos vivendo”, finaliza o pastor da igreja local, Nailson Diniz.

(Faxaju notícias)

Site católico diz que ex-fanático comunista foi adventista

Fica claro um uso oportunista da história desse cidadão, aparentemente querendo colar nos adventistas a pecha de terroristas

bruno

Há mais de 70 anos Bruno Cornacchiola era adventista, escrevia contra os dogmas marianos e queria assassinar o papa Pio XII. Uma aparição da Virgem Maria [sic], porém, foi o início do caminho que o levou à fé católica. O fato ocorreu em 12 de abril de 1947. Bruno levou ao parque seus três filhos Isola, de 10 anos, Carlo, de sete anos, e Gianfranco, de quatro anos. Enquanto as crianças brincavam, escreveu um artigo contra os dogmas marianos para sua comunidade adventista

Em seu site, as Missionárias da Divina Revelação relataram que Bruno, de 34 anos, um operário de bonde, procurou “um lugar tranquilo para preparar o discurso que faria no dia seguinte sobre o tema: ‘Maria nem sempre foi Virgem e Imaculada’”. No entanto, ao perceber que as crianças não voltavam, foi procurá-las e as encontrou em frente à entrada de uma gruta, com as mãos juntas e os rostos pálidos, repetindo as palavras: “Bela Senhora, bela Senhora.”

Cornacchiola viu uma mulher vestida de branco, com um manto verde e uma faixa rosa, segurando as Escrituras. “Sou a Virgem da Revelação. Você me persegue, agora basta. Regressa ao rebanho”, disse Nossa Senhora [sic] a Bruno.

A experiência mudou o adventista, que logo se converteu ao catolicismo. Pouco tempo depois, Cornacchilola decidiu apresentar-se a Pio XII para lhe contar sobre a aparição da qual havia sido testemunha e para lhe pedir perdão, porque antes de se converter, tinha a intenção de matá-lo. “Aqui está a adaga com a inscrição ‘morte ao papa’, com a qual planejava matá-lo! Eu vim para lhe pedir perdão”, disse Cornacchiola ao papa. Ao ver o seu arrependimento, Pio XII respondeu a Bruno que matando-o “só teria dado um novo mártir à igreja, e a Cristo uma vitória de amor”. “Meu filho, o melhor perdão é o arrependimento”, disse-lhe o Santo Padre.

Cornacchiola presenciou outras aparições de Nossa Senhora, que terminaram em 23 de fevereiro de 1982. […]

(ACI Digital)

Nota: Em 2004, o site Veritatis Splendor informou que Bruno Cornacchiola nasceu em 1913 e “com 23 anos foi a Espanha como voluntário para lutar a favor dos comunistas na guerra civil. Lá fez amizade com um fanático protestante alemão e com ele decidiu lutar contra o catolicismo. Em 1939, retornou à Itália odiando a Igreja Católica e nutrindo o propósito de matar o papa. Fez de tudo para afastar a esposa do catolicismo; queimou as imagens dos santos e um crucifixo que a esposa tinha em casa. Depois, a esposa, para evitar brigas, deixou de frequentar a Igreja Católica”.

Fica claro que esse Bruno era um fanático desequilibrado. Segundo o site Veritatis Splendor, a “Nossa Senhora” que apareceu ao rapaz disse: “Sou aquela que está na Trindade Divina. Sou a Virgem da Revelação. Tu me persegues. Mas agora basta! Entra para o santo redil, a corte celeste na Terra. Obedece à autoridade do papa.”

Se essas palavras forem verdadeiras, não fica difícil saber quem de fato apareceu para Bruno: Está na Trindade?! Manda obedecer ao papa?! Alguma dúvida? A verdadeira Maria, mãe de Jesus e humana carente de salvação, disse certa vez: “Façam tudo o que Ele [Jesus] lhes mandar” (João 2:5). A verdadeira Maria, que aguarda a ressurreição dos justos por ocasião da volta de Cristo, jamais ordenaria alguém obedecer ao papa ou diria estar na Trindade. Se Bruno fosse mesmo adventista saberia de tudo isso. Se fosse mesmo adventista conheceria o texto que diz: “Ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema” (Gálatas 1:8). Não confiaria cegamente em seus sentidos em detrimento da Revelação de Deus na Bíblia. Com esse perfil, foi conveniente para o site católico usá-lo como símbolo do que nunca foi: um verdadeiro adventista convertido à mariolatria.

Os adventistas procuram guardar todos os dez mandamentos (Êxodo 20), que, além do sábado, trazem também a ordem de não matar. Cornacchiola intentava matar uma pessoa, portanto, jamais poderia ser considerado adventista do sétimo dia; sequer poderia ser considerado cristão. Comunista, portanto cego de ódio subversivo, aliou-se a um “fanático protestante” numa cruzada anticatólica. Depois passou a maltratar e a perseguir a esposa católica de modo a obrigá-la a parar de ir à missa. Cristão? Adventista? Fica claro o uso oportunista desse cidadão por parte do site católico, aparentemente querendo colar nos adventistas a pecha de terroristas fanáticos. [MB]

Mais de 1 milhão e 300 mil atendidos por ações sociais adventistas

O auxílio a quem sofre definitivamente é encarado por autores cristãos como um ato totalmente ligado à pregação do evangelho. O escritor John Stott, por exemplo, afirma que “os cristãos têm uma base mais saudável para servir aos outros seres humanos”. A frase é extraída da sua clássica obra O cristão em uma sociedade não cristã, em que se discute o papel social dos cristãos, tanto no nível individual quanto institucional.

Com o mesmo tom, Ellen White, cofundadora da Igreja Adventista e considerada profetisa da organização, comenta o capítulo 58 do livro do profeta Isaías. E afirma que “somente pela manifestação de interesse altruísta pelos que estão em necessidade é que podemos dar uma demonstração prática das verdades do evangelho”.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia, por meio da dedicação e generosidade de seus membros e simpatizantes, foi responsável por beneficiar mais de 1 milhão e 330 mil pessoas em diferentes projetos e ações sociais. O número se refere a atividades realizadas entre os meses de janeiro e março de 2021 em oito países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai.

[Continue lendo.]

Livros de Ellen White foram falsificados por jesuítas na China?

De vez em quando,”notícias” espalhafatosas e fake news se espalham pelas redes sociais como fogo na palha. Alguns desses boatos, passado algum tempo, voltam requentados como se fossem novidade. Infelizmente, muita gente acaba contribuindo (na maioria das vezes sem querer) para que a mentira se espalhe mais e mais, sem se dar o trabalho de verificar as fontes da informação ou de averiguar se ela é verdadeira ou não. Recentemente voltou a circular a “notícia” de que jesuítas estaria falsificando/adulterando livros de Ellen G. White na China. Em 2011, William Fagal, diretor associado do Ellen G. White Estate, da Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia, emitiu a seguinte nota:

“Fizemos indagações sobre isso com a liderança adventista na China, e eles não têm uma preocupação contínua. Alguns livros foram modificados e publicados, mas, de acordo com fontes na China, os perpetradores foram presos e os membros da igreja foram informados do problema; então eles sabem sobre os livros maculados. Não temos informações aqui de que jesuítas estiveram envolvidos na falsificação, conforme alegado em relatórios.”

Portanto, qualquer coisa além disso será mero boato e não deve ser disseminado.

Leia também: “Vídeo mentiroso sobre o decreto dominical”, “Não, o papa não cancelou a Bíblia” e “Boataria internética”

fato-boato

Adventistas progressistas ou conservadores?

“O que fazer quando um termo se torna mais um qualitativo do que o foco central da sua pessoa? Quando vejo expressões como ‘adventistas progressistas’, ‘adventistas liberais’, ‘adventistas conservadores’ ou ‘adventistas de direita’, na verdade, não estou enxergando a crença no breve retorno de Jesus, aquilo que nos une como povo do advento e movimento de pregação das três mensagens angélicas para algo muito menor, muito mais ligado ao mundo, parcial, e que nos tira da nossa missão. Quando Jesus afirmou: ‘Eles não são do mundo, como também Eu não sou’, havia uma verdade profunda: é absoluta perda de tempo buscar virtudes em sistemas humanos, parciais e imperfeitos, assim como é falta de senso procurar defender o lixo porque existiria um pouco de comida não estragada no meio dele.”

(Dr. Everton Padilha Gomes)

Adventista condenado à morte por “blasfêmia” no Paquistão

O irmão de Sajjad e o sobrinho foram atacados quando voltavam para casa depois de visitar Sajjad na prisão. Eles tiveram que viver escondidos desde então.

paquistao

A prisão perpétua é uma punição adequada no Paquistão por enviar um SMS com críticas ao profeta Muhammad? Não, disse na semana passada o Tribunal Superior de Lahore : apenas a sentença de morte faria. Sajjad Masih Gill é um adventista do sétimo dia de 35 anos do distrito de Pakpatan, na província de Punjab. Em 2011, ele foi acusado de ter enviado SMS blasfemo difamando o profeta Muhammad e foi preso. A polícia não encontrou nenhuma evidência em seu telefone celular de que o SMS tenha sido enviado, mas disse que conseguiu rastrear as mensagens até seu número de telefone por meio de uma torre de celular. Ele e seus advogados afirmam que ele simplesmente foi enquadrado como parte de uma repressão à comunidade adventista.

Em 13 de julho de 2013, o tribunal de Gojra, Punjab, o condenou à prisão perpétua. Seu apelo obteve apoio internacional, inclusive do Comitê Judaico Americano, mas foi repetidamente adiado e transferido de um tribunal para outro.

O caso seguiu em clima de violência. Em 22 de outubro de 2015, o irmão de Sajjad, Sarfraz Masih Gill, e o sobrinho, Ramiz Gill, foram atacados quando voltavam para casa depois de visitar Sajjad na prisão. Eles tiveram que viver escondidos desde então. Em 29 de janeiro de 2016, dois advogados da equipe de defesa de Sajjad foram parados por homens armados e ameaçados na estrada de Kasur a Lahore. 

Na semana passada, o veredicto do recurso (ou melhor, da revisão) foi finalmente pronunciado, com os juízes aceitando o argumento dos promotores de que a única pena possível para a blasfêmia é a morte. O advogado que liderou o argumento final para a acusação, Zeeshan Ahmed Awan, comemorou o sucesso postando no Facebook que “o Honorável Tribunal de Justiça de Lahore aceita o argumento da acusação de que ‘A pena capital é a única sentença possível em blasfêmia e prisão perpétua embora prevista 295 C PPC, concedido pelo Tribunal de Primeira Instância é ilegal ser repugnante às injunções do Islã’!”

A equipe jurídica de Sajjad anunciou sua intenção de continuar a luta jurídica, no que é outro capítulo triste na aplicação da lei paquistanesa sobre blasfêmia.

(Bitter Winter)

Leia também: Pakistani Judge Changes Christian’s Life Sentence to Death After Caving to Muslim Legal Group

Site oficial do ecumenismo cita Igreja Adventista. A igreja está no ecumenismo?