Apocalipse: A Mensagem de Jesus às Sete Igrejas

jesus igrejasAs mensagens para as sete igrejas têm objetivos em três níveis: (1) fortalecer e estimular as igrejas literais da época de João; (2) representar três períodos da história da igreja cristã até a volta de Jesus; e (3) trazer direção, reflexão e esperança para todas as igrejas. Os objetivos do terceiro nível são os que queremos alcançar com as perguntas desta semana.

Perguntas para discussão e aplicação

Sobre a igreja de ESMIRNA

a. Conforme Apocalipse 2:9, quais eram as maiores dificuldades da igreja de Esmirna?

b. Em sua opinião, o que motivava os cristãos daquele período a permanecer fiéis a Jesus apesar dessas dificuldades?

Sobre a igreja de PÉRGAMO

a. Compare Apocalipse 2:13 com João 12:31 e 1 João 5:19. O que significa “habitar onde está o trono de satanás” e ainda assim “não negar a fé” de Jesus? (ver Apocalipse 14:12)

b. Leia Apocalipse 2:6, 15. Por que as doutrinas dos nicolaítas (que se infiltraram nas igrejas de Éfeso e de Pérgamo) eram “detestadas” por Deus? Que tipos de “nicolaítas” modernos, com doutrinas “detestáveis”, tentam se infiltrar em nossas igrejas hoje? Como devemos proceder com as pessoas que promovem tais doutrinas na igreja?

Sobre a igreja de TIATIRA

a. Note que a igreja de Tiatira apresenta pontos muito positivos em 2:19, mas um ponto muito negativo no verso 20. Que lições isso pode nos ensinar?

b. Tiatira foi o período mais negro da história do cristianismo. O que significa para você o fato de que Deus Se dirige aos “restantes” (ou “remanescentes”) de Tiatira (2:24)?

Sobre a igreja de SARDES

a. O que significa dizer que a igreja de Sardes “tem nome de que vive mas está morta”? Por que esse problema é muito grave, e como pode ser resolvido?

b. Como a promessa em 3:5 pode ajudar a melhorar esse quadro?

Sobre a igreja de FILADÉLFIA

a. Compare a “porta aberta” em Apocalipse 3:8 com 2 Coríntios 2:12 e Colossenses 4:3. Por que devemos orar para que o Senhor nos abra a porta para a pregação do Evangelho?

b. Leia o conselho em 3:11. Como alguém pode “tomar” a coroa de outra pessoa que já a tinha reservada no Céu?

Sobre a igreja de LAODICEIA

a. Leia Apocalipse 3:15, 16. Por que, para Jesus, seria melhor sermos “frios” ou “quentes” a continuarmos “mornos”?

b. De acordo com 3:17, a igreja de Laodiceia “nem sabe” de sua horrível realidade. Por que isso torna a situação dela ainda pior? Espiritualmente falando, o que significa ser “infeliz, miserável, pobre, cego e nu”?

c. Conforme 3:18, o que significam o “ouro”, as “vestes” e o “colírio” que Jesus nos recomenda comprar? (ver 1 Pedro 1:7; Isaías 61:10; Efésios 1:17, 18) Por que não devemos nos preocupar com o preço desses três ítens?

d. De que forma a promessa de Jesus em 3:21 nos motiva a permanecer fieis até o fim?

Natal Gardino é doutor em Ministério pela Andrews University e pastor distrital em Jardim Iguaçu, Maringá, PR

Anúncios

Apocalipse: Entre os Candelabros

jesus lampstandsÉ interessante fazer duas observações ao conduzir as discussões da Lição da Escola Sabatina desta semana:

A) Sobre o sábado em Apocalipse 1:10 – Há versões da Bíblia que traduzem a expressão “dia do Senhor” como “domingo” (veja se em sua classe há alguma). Porém, isso não é uma tradução da expressão “kuriakê heméra”, mas uma interpretação do tradutor sobre qual seria o “dia do Senhor”. Veja com os membros da classe os versos da lição de segunda-feira que evidenciam que esse dia é o sábado.

B) Sobre a imagem de Jesus caminhando entre os sete castiçais/igrejas – A lição destaca o significado de que Jesus conhece a necessidade de cada uma das igrejas ao caminhar entre elas. Mas é importante notar que essa imagem faz alusão à função do sacerdote de manter as sete lâmpadas do santuário acesas continuamente, completando sempre o nível de azeite em cada uma (ver pergunta 4, abaixo). Ao trazer esse background a lume, o significado da imagem se torna muito mais profundo e poderoso.

Perguntas para discussão e aplicação

1. Leia Apocalipse 1:9. Imagine-se no lugar de João, preso(a) na ilha de Patmos. O que você pensaria de Deus? Qual é a diferença entre sofrer por Cristo e sofrer por outros motivos, inclusive por escolhas erradas?

2. Conforme Apocalipse 1:10, qual a importância de sabermos que João (perto do ano 100 d.C.) ainda chamava o sábado de “dia do Senhor”? Que evidências bíblicas temos de que o sábado continua sendo “o dia do Senhor”? Conforme o quarto mandamento, como podemos santificar (“separar para Deus”) o sábado em pleno século 21?

3. Jesus escolheu sete congregações reais para representar todas as igrejas de todas as épocas. Se Ele escrevesse hoje para sua igreja local, o que Ele diria? E que mensagem Ele enviaria especificamente para sua unidade da Escola Sabatina para ajudá-la a ficar melhor ainda?

4. Compare a figura de Jesus andando entre os sete castiçais (Ap 1:12, 13, 19; 2:1) com o dever do sacerdote de completar continuamente as sete lâmpadas do santuário para mantê-las sempre acesas (Êx 27:20, 21; Lv 24:1-4; Nm 8:1-3). Baseando-se nesses textos, o que significa a figura de Jesus caminhando entre os castiçais/igrejas? Conforme Mateus 5:14-16, por que a igreja deve se manter sempre “acesa”?

5. Veja o que há de comum em Apocalipse 2:2, 9, 13, 19; 3:1, 8, 15. Em sua opinião, qual é a intenção de Jesus ao dizer para todas as sete igrejas a frase: “Eu conheço as tuas obras”

6. Leia este trecho de uma carta de Paulo à igreja de Éfeso por volta do ano 60 d.C.: Efésios 1:15. Agora compare com essa outra afirmação escrita para a mesma igreja cerca de 40 anos depois: Apocalipse 2:4. O que mudou? Por que isso é tão negativo para uma igreja? (1Jo 4:8; 1Co 13:1, 2)

7. Em sua opinião, o que faz uma igreja perder seu “primeiro amor”? De acordo com Apocalipse 2:5, como a igreja recupera o amor que se perdeu? Quais são as evidências de uma igreja que ama?

8. O que há de tão especial na promessa de Jesus em Apocalipse 2:7? Como essa promessa mexe com você? Que decisões você precisa tomar para se tornar um “vencedor” do ponto de vista de Jesus?

Natal Gardino é doutor em Ministério pela Andrews University e pastor distrital em Jardim Iguaçu, Maringá, PR

Apocalipse: O Evangelho de Patmos

leao[Pelos próximos três meses, os adventistas do sétimo dia em todo o mundo estarão estudando novamente e com mais atenção o importante livro do Apocalipse, com a ajuda da Lição da Escola Sabatina, desta vez escrita por um dos maiores especialistas da igreja no tema, o Dr. Ranko Stefanovic. Para ajudar nesse estudo e fornecer um material de apoio especialmente aos professores da Escola Sabatina, estarei postando todas as semanas um pequeno texto e as perguntas para discussão e aplicação preparados pelo pastor Natal Gardino. Ele é doutor em Ministério pela Andrews University, foi aluno do Dr. Ranko e é distrital em Jardim Iguaçu, Maringá, PR. Faça bom proveito deste material. – MB]

Professores da Escola Sabatina, lembrem-se de que o “muito falar” não é tão efetivo para que a sua classe possa aprender. O melhor meio é o de fazer perguntas reflexivas, pois elas levam os membros a pensar, interagir e aplicar os princípios à vida prática. Há alguns pontos da lição desta semana que exigem explicação, mas tente ser o mais breve e objetivo possível. Uma dessas explicações necessárias é o fato de que existem basicamente três tipos de interpretação para as profecias do Apocalipse:

  1. Preterista – Essa interpretação ensina que tudo já aconteceu e João estaria apenas “relatando” a história passada em forma de símbolos para que os romanos não entendessem. Nós, adventistas, não aceitamos essa forma de interpretação.
  2. Futurista – Essa interpretação ensina que a maior parte dos eventos ainda vai acontecer no futuro, logo após um suposto “arrebatamento secreto” da igreja. Obviamente, nós não aceitamos essa ideia também.
  3. Historicista – Essa interpretação é a que defendemos por ser a mais coerente e bíblica. De acordo com essa forma de interpretação, as profecias acontecem ao longo da história, desde o tempo do profeta até a volta de Jesus e além (ex.: as sete igrejas, os sete selos, as sete trombetas, etc.). Assim, o livro faria sentido para os leitores cristãos de todos os séculos, não apenas para os do tempo do fim.

Detalhe: Daniel era historicista (Dn 9:2); o anjo Gabriel usou a interpretação historicista (Dn 8:20, 21). João também (1Jo 4:3). Assim como Jesus igualmente a usou (Mc 13:14). Por isso nós também a usamos.

As visões do Apocalipse foram escritas para os “servos de Deus” (1:1), por isso os símbolos só podem ser entendidos por eles, pois são baseados na própria Bíblia, especialmente no Antigo Testamento. Quem não é servo de Deus não estuda a Bíblia e, consequentemente, não pode decifrar os símbolos do Apocalipse.

Perguntas para discussão e aplicação:

[As perguntas a seguir serão muito mais proveitosas se você tiver antes estudado sua Lição da Escola Sabatina.]

Que tipos de ideias e sentimentos a palavra “Apocalipse” provoca nas pessoas? Por que geralmente são ideias negativas? Como isso pode ser mudado?

Se a palavra “Apocalipse” significa “Revelação”, por que o livro está em forma de símbolos? Por outro lado, o que aconteceria com esse livro se, ao invés de usar figuras como Babilônia ou bestas-feras, João escrevesse claramente sobre o caráter e as ações de Roma?

De acordo com 1:1, por que o livro do Apocalipse foi direcionado especificamente para “os servos de Deus” e com que propósito? O que isso tem a ver com o fato de que a própria Bíblia é a chave para a interpretação dos seus símbolos?

Quais são os perigos quando as pessoas dão suas próprias interpretações aos símbolos do Apocalipse?

Conforme Mateus 24:25; João 14:29 e Apocalipse 22:7, qual é (ou quais são) o(s) propósito(s) de Deus aos nos revelar o futuro? Entretanto, de acordo com Deuteronômio 29:29, por que algumas coisas não nos são reveladas?

De que forma o livro do Apocalipse é uma continuação dos quatro Evangelhos? O que Jesus está fazendo agora no Céu? Como esse conhecimento nos traz conforto e segurança?

De acordo com 1:7 e 8, qual é a nota tônica do livro do Apocalipse? Por que isso é tão importante?

Leia 22:7, 12, 20. Em sua opinião, por que Jesus é tão enfático na expressão “venho sem demora”? Qual o significado dessa expressão, sendo que já se passaram cerca de 2.000 anos?

Se Jesus é o personagem central do livro, qual é o grande problema dos filmes e das explicações modernas sobre o Apocalipse em que Ele não aparece ou em que Ele é apenas um “figurante”?

Note que a típica saudação “graça e paz”, dada no início das cartas da época, neste livro (1:4, 5) é dada pelas três pessoas da Trindade. O que isso significa para você ao iniciar esta jornada de estudo?