Papa pede urgência na criação de leis para combater aquecimento global

Às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 26), o papa Francisco pediu aos parlamentares italianos e da União Europeia que se deixem guiar pela responsabilidade e a solidariedade. O pontífice participou de um encontro promovido pela Câmara dos Deputados italiana em preparação para a conferência que acontecerá de 31 de outubro a 12 de novembro, em Glasgow, na Escócia. Francisco enfatizou que é urgente criar “leis sábias e justas que superem as estreitas barreiras de muitos ambientes políticos e possam chegar a um consenso adequado o mais rápido possível e fazer uso de meios confiáveis e transparentes” para combater a emergência climática. “Devemos isso aos jovens, às futuras gerações que merecem todo o nosso compromisso para poder viver e ter esperança”, ressaltou. […]

[Continue lendo a matéria no site da revista Veja.]

Vaticano realiza encontro de fé e ciência em preparação para a Cop26

Autoridades religiosas e cientistas dão apoio à Laudato Si, do papa Francisco.

O encontro no Vaticano sobre fé e ciência reúne líderes religiosos e cientistas. O foco é um apelo aos participantes da Cop26, a conferência climática anual da ONU programada para ser realizada em Glasgow, Escócia, de 31 de outubro a 12 de novembro. A Cop26 será organizada pela Grã-Bretanha em parceria com a Itália. “A iniciativa”, recorda a Sala de Imprensa da Santa Sé em uma declaração, “surgiu sob proposta das embaixadas britânica e italiana junto à Santa Sé.” Foi levada avante em conjunto com a Santa Sé. Foi então desenvolvido através de encontros virtuais mensais, que começaram no início deste ano. Um percurso no qual líderes religiosos e cientistas puderam compartilhar suas preocupações e desejos de maior responsabilidade para o planeta e para a mudança que é necessária.

O caminho traçado nos últimos meses resultou em um apelo conjunto assinado pelos líderes religiosos durante o encontro no Vaticano na manhã de 4 de outubro, no qual o papa Francisco entregou o apelo nas mãos de Alok Kumar Sharma, presidente designado da Cop26, e Luigi Di Maio, ministro das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional da Itália.

O programa dos trabalhos do dia 4 de outubro incluiu, entre outras coisas, na abertura, a leitura de algumas passagens do apelo dos líderes religiosos à Cop26. Sucessivamente o apelo foi então assinado pelos líderes religiosos. Após um momento de oração e uma saudação do secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, o papa Francisco discursou. À tarde houve uma sessão a portas fechadas na Embaixada da Itália junto à Santa Sé.

Na quinta-feira, 30 de setembro, concluiu-se outro evento importante. No centro de conferências Mico em Milão realizou-se o Youth4Climate, a conferência dos jovens sobre o clima organizada pelo governo italiano como um evento introdutório à Pré-Cop26. Esta última é a reunião de ministros do Meio Ambiente em preparação para à Cop26.

(Vatican News)

Nota: Cientistas de renome internacional estiveram hoje no Vaticano dando apoio à Laudato Si, que, assim, ganha cada vez mais apoio das autoridades mundiais. Quais as implicações proféticas disso? Para entender, assista ao vídeo abaixo. [MB]

The Guardian lança a revista Saturday

Com Greta Thunberg na capa, revista Saturday destaca mudanças climáticas.

sat

O jornal britânico The Guardian lançou no dia 25 de setembro a primeira edição de sua nova revista, a Saturday (Sábado). Juntamente com a Saturday, o The Guardian publicará um novo suplemento – “What’s On” (O que acontece), que incluirá as melhores escolhas dos críticos de TV e rádio, juntamente com as últimas novidades do colunista de TV Joel Golby. A partir de 25 de setembro, o The Guardian também passou a incluir páginas dedicadas ao meio ambiente na seção de notícias do jornal de sábado, aumentando sua cobertura da crise climática no período que antecede a Cop26.

Interessante terem colocado a ativista Greta Thunberg logo na primeira edição. É bom lembrar que o mesmo The Guardian apoia há anos a iniciativa Slow Sunday, em favor do meio ambiente.

Principais líderes cristãos do mundo pedem “sacrifícios significativos” para combater as mudanças climáticas

lideres

Os três principais líderes cristãos do mundo emitiram um apelo conjunto sem precedentes aos membros das suas igrejas para “ouvir o grito da Terra” e a ação de volta para travar os efeitos das alterações climáticas. Em “Uma mensagem conjunta para a proteção da criação”, o papa Francisco, o arcebispo da Cantuária Justin Welby e o patriarca ecumênico ortodoxo Bartolomeu pediram aos cristãos que rezem para que os líderes mundiais na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (Cop26), em Glasgow, em novembro, façam escolhas corajosas. “Apelamos a todos, independentemente da sua crença ou visão de mundo, a tentar ouvir o grito da Terra e das pessoas pobres, examinando seu comportamento e prometendo sacrifícios significativos por causa da Terra que Deus nos deu”, diz a mensagem. Francisco chefia a Igreja Católica Romana de 1,3 bilhão de membros; Bartolomeu é o líder espiritual dos cerca de 220 milhões de cristãos ortodoxos no mundo; e Welby é o bispo sênior da Comunhão Anglicana mundial, que tem cerca de 85 milhões de membros. “Esta é a primeira vez que nós três nos sentimos obrigados a resolver conjuntamente a urgência da sustentabilidade ambiental, seu impacto persistente na pobreza e a importância da cooperação global”, escreveram eles. “Dizemos: escolha os lucros centrados nas pessoas; faça sacrifícios de curto prazo para salvaguardar nosso futuro; tornem-se líderes na transição para economias justas e sustentáveis.”

(Fonte: Reuters)

Nota: Que “sacrifícios significativos” seriam esses? Assista ao vídeo abaixo para ter uma ideia.

Sindicatos se unem aos esforços ECOmênicos

trade-union-01-01

A COP26 Coalition é uma coalizão da sociedade civil sediada no Reino Unido de grupos e indivíduos que se mobilizam em torno da justiça climática durante a COP26. Líderes mundiais e especialistas se reunirão em Glasgow em novembro nas negociações globais sobre o clima, COP26. Os problemas globais precisam de soluções globais. As decisões tomadas na COP26 irão moldar a forma como os governos respondem (ou não) à crise climática. Eles decidirão quem deve ser sacrificado, quem escapará e quem terá lucro. Estamos reunindo movimentos de todo o mundo para construir poder para a mudança do sistema – movimentos indígenas, comunidades de linha de frente, sindicatos, grupos de justiça racial, grevistas jovens, trabalhadores rurais, camponeses, ONGs, campanhas comunitárias de base, movimentos feministas, grupos religiosos – para citar uns poucos. Onde quer que você esteja no mundo, agora é a hora de se juntar à luta por justiça climática. Precisamos de todas as mãos à obra: nos locais de trabalho, comunidades, escolas, hospitais e além das fronteiras nacionais.

A próxima reunião da bancada sindical ouvirá um relatório sobre as atividades desde nossa última reunião em julho, incluindo os secretários-gerais dos sindicatos e as mobilizações planejadas para Glasgow, Londres e outras partes da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte. Isso será seguido por uma discussão aberta dos participantes sobre as iniciativas em andamento nas regiões/nações para se mobilizarem para o dia 6 de novembro. Isso inclui conselhos sindicais e sindicais individuais com o objetivo de focar no apoio necessário para apoiar a organização, especialmente onde há lacunas, e como promovermos o bloco sindical/trabalhista. A reunião será concluída com uma breve visão geral do último relatório do IPCC “código vermelho para a humanidade” e o próximo Congresso do TUC.

Vamos nos organizar para a justiça climática na COP26!

(COP26 Coalition)

No começo do século 20, Ellen White escreveu: “Expulso do Céu, Satanás estabeleceu o seu reino neste mundo, e desde aquele tempo tem porfiado incansavelmente por afastar os seres humanos da lealdade a Deus. Usa o mesmo poder de que se serviu no Céu — a influência da mente sobre a mente. Os homens tornam-se tentadores dos semelhantes. Acariciam os fortes, corruptores sentimentos de Satanás, e exercem um poder dominante, coercivo. Sob a influência desses sentimentos, os homens ligam-se entre si, formando confederações, em sindicatos e em sociedades secretas. Há em operação no mundo forças que Deus não tolerará por muito tempo mais” (Carta 114, 1903).

“Em razão de monopólios, sindicatos e greves, as condições da vida nas cidades estão se tornando cada vez mais difíceis. Sérias aflições encontram-se perante nós; e sair das cidades se tornará uma necessidade para muitas famílias” (A Ciência do Bom Viver, p. 364).

Saiba mais sobre ECOmenismo nesta playlist.

ONU liga alerta máximo para o clima

Provocadas pela ação do homem, mudanças climáticas sem precedentes já são inevitáveis e irreversíveis, segundo um relatório elaborado pelo Painel Internacional da Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês). Segundo a entidade, que reúne os maiores especialistas no tema, a temperatura média do planeta tende a se elevar em 1,5º C nas próximas duas décadas, trazendo devastação generalizada. (Guardian)

E os efeitos já se fazem sentir, com a Grécia enfrentando o pior verão em 40 anos, a ilha de Eubeia, a segunda maior do país, foi literalmente devastada pelo fogo, com a população de suas cidades tendo de ser evacuada em balsas. (G1)

Para o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, o relatório é um alerta vermelho para a Humanidade. “O documento deve ser uma sentença de morte para o carvão e os combustíveis fósseis antes que eles destruam o planeta”, disse. (UNRIC)

No Brasil, que já enfrenta secas sem precedentes, um dos esforços para mitigar esse cenário exige repensar o agronegócio, dizem especialistas. O avanço descontrolado da pecuária na Amazônia está destruindo o bioma, com impactos no clima do Brasil e do mundo. (CNN Brasil)

Aproxima-se a COP26 e religiosos norte-americanos exigem ação climática

A maioria dos religiosos norte-americanos compartilha da preocupação do papa Francisco e do presidente Biden em tomar medidas urgentes contra as mudanças climáticas.

climate

Segundo o site Família Cristã, “o papa Francisco vai promover um encontro inter-religioso prévio à 26ª Conferência das Partes (COP26) da Convenção-Quadro das Nações Unidas Sobre as Alterações Climáticas, que decorrerá de 1 a 12 de novembro de 2021, em Glasgow, Escócia. O encontro pode resultar em um documento que reforce a encíclica Laudato Si, do papa Francisco, e coloque pressão nos responsáveis que estarão reunidos, tal como há seis anos a encíclica serviu para pressionar o aparecimento do Acordo de Paris”. O norte-americano John Kerry, responsável por assuntos climáticos do governo de Joe Biden, já havia dito ao site Vatican News que o papa será “uma voz muito importante que nos acompanhará até à Conferência de Glasgow”, pois “fala com uma autoridade moral que é única”.

Outros líderes religiosos têm se unido aos esforços de Francisco para “salvar o planeta”. Leia esta matéria publicada no site do Center For American Progress e atente para os trechos grifados:

“O presidente Joe Biden buscou uma agenda ousada para lidar com a crise climática. Em seu primeiro dia de mandato, ele fez com que os Estados Unidos voltassem ao Acordo Climático de Paris. Uma semana depois, assinou uma ordem executiva para ‘enfrentar a crise climática em casa e no exterior’. No Dia da Terra, 22 de abril, ele se reuniu com líderes mundiais para abordar a necessidade urgente de ação coletiva sobre a crise climática. Durante essa cúpula, ele anunciou que os Estados Unidos terão como meta a redução das emissões que causam o aquecimento do planeta em 50% a 52% em toda a economia até 2030, em comparação com os níveis de 2005. O governo Biden também propôs o Plano de Emprego Americano, parte das propostas de recuperação econômica que incluem investimentos históricos em ação climática por meio de infra-estrutura, que criaria empregos bem remunerados e, ao mesmo tempo, tornaria a economia americana mais justa e sustentável. Essas ações positivas foram bem recebidas pelos líderes religiosos, que continuam a exigir uma ação ousada na defesa da criação de Deus.

“O papa Francisco, que participou da cúpula do Dia da Terra, encorajou os líderes das maiores economias do mundo a ‘se encarregarem de cuidar da natureza, desse dom que recebemos, e que devemos curar, guardar e levar adiante’. Essas palavras são cada vez mais significativas devido ao desafio que o mundo enfrenta na era pós-pandêmica. Como disse o papa: ‘Precisamos seguir em frente e sabemos que não se sai de uma crise da mesma forma que entrou. Saímos melhores ou piores. Nossa preocupação é fazer com que o meio ambiente seja mais limpo, puro e preservado. Devemos cuidar da natureza para que ela cuide de nós.’

A maioria dos religiosos norte-americanos compartilha da preocupação do papa Francisco e do presidente Biden em tomar medidas urgentes contra a mudança climática. Sessenta por cento dos cristãos e 79 por cento dos judeus, budistas, hindus e muçulmanos acreditam que ‘aprovar um projeto de lei para lidar com a mudança climática e seus efeitos’ deve ser uma prioridade ou uma prioridade importante para o Congresso, de acordo com uma pesquisa da Político/Morning Consult realizada em abril de 2021. O amplo apoio para que o Congresso tome medidas sobre a crise climática inclui 57% dos evangélicos norte-americanos, que tendem a ser os mais conservadores dos blocos religiosos dos Estados Unidos.

“Essas descobertas são refletidas em outra pesquisa nacional. De acordo com uma pesquisa da Climate Nexus, a maioria dos eleitores religiosos pensa que ‘aprovar um projeto abrangente para lidar com a mudança climática’ neste ano deveria ser uma prioridade importante para o Congresso e do presidente. Isso inclui 84 ​​por cento dos protestantes negros, 81 por cento de grupos religiosos não cristãos, 64 por cento de católicos brancos, 58 por cento de protestantes de linhagem branca e 53 por cento de protestantes evangélicos brancos. A maioria dos eleitores religiosos também apoia a aprovação de legislação pelo Congresso que estabeleceria a meta de atingir 100 por cento de economia limpa nos EUA – que envolve a eliminação das emissões de combustíveis fósseis dos setores de transporte, eletricidade, construção, indústria e agricultura – até 2050. Isso inclui 88% dos protestantes negros; 76 por cento de grupos religiosos não cristãos; 61 por cento dos católicos brancos, 53 por cento dos protestantes brancos tradicionais; e 50 por cento dos protestantes evangélicos brancos.

“O fato de que a mudança climática está acontecendo como resultado de atividades humanas é indiscutível. E embora a negação do clima possa ser lucrativa para funcionários eleitos que recebem apoio da indústria de combustíveis fósseis, 14 pesquisas mostram que há amplo consenso entre os norte-americanos religiosos de que o mundo enfrenta uma crise climática. A maioria em todos os principais grupos religiosos acredita na verdade de que a mudança climática está acontecendo, de acordo com o Public Religion Research Institute. A maioria em todos os grupos religiosos – com exceção dos protestantes evangélicos brancos – também acredita que a mudança climática é causada por humanos. […] ‘É responsabilidade moral de nossa nação, e nossa sagrada tarefa como pessoas de fé, proteger nossos ecossistemas, trabalhar pela justiça ambiental e saúde pública e enfrentar a crise climática.'” […]

NOTA 1: Tenho falado sobre esse assunto (ECOmenismo) há mais de dez anos (veja aqui meu primeiro vídeo sobre isso). Durante essa década, líderes como Al Gore e influenciadores como Greta Thumberg ajudaram a avançar bastante a pauta climática. Agora, com o alinhamento histórico entre o papa Francisco e o presidente norte-americano Joe Biden (representantes das duas bestas de Apocalipse 13), a agenda está avançando mais rapidamente do que nunca!

Pesquisadores em todo o planeta têm chamado a atenção da humanidade para o fato de a Terra estar da “UTI”, como dizem (confira), e destacam frio extremo no Sul do Brasil e enchentes e calor em outras partes do mundo (confira aqui e aqui) como evidências de que algo está muito errado com o planeta. Tudo isso ajuda a dar força e urgência ao encontro da COP26, em novembro.

Em seu best-seller do século 19 O Grande Conflito, Ellen White afirma: “A corrupção política está destruindo o amor à justiça e a consideração para com a verdade; e mesmo na livre América do Norte, governantes e legisladores, a fim de conseguir o favor do público, cederão ao pedido popular de uma lei que imponha a observância do domingo” (p. 578, 579-592; ver também Eventos Finais, p. 129). A ideia dos “domingos climáticos” vem ganhando força (confira), e é bom lembrar que em sua carta apostólica Laudato Si, de 2015, o papa Francisco dedica uma seção inteira à defesa do descanso dominical como proposta para amenizar os efeitos das mudanças climáticas. Agora, líderes religiosos justamente nos Estados Unidos clamam por ações firmes no combate ao aquecimento da Terra. Cenário no mínimo interessante…

NOTA 2: Há muita gente que precisa estudar mais atentamente a Bíblia e livros como O Grande Conflito. Estão abraçando cegamente teorias conspiratórias dispensacionalistas (defendidas principalmente por pentecostais e influenciadores de YouTube) segundo as quais as vacinas teriam relação com a marca da besta (curiosa e vergonhosamente, para esses mesmos religiosos, a marca da besta já foi o código de barras e até biochips). Alguns chegam ao ponto de crer e pregar que as vacinas conteriam microchips para controle das pessoas! São cortinas de fumaça que desviam o foco do verdadeiro tema do fim do conflito cósmico: a adoração. Adoração é algo consciente. As pessoas saberão que a lei dominical será o símbolo de autoridade da besta, ao passo que o sábado, o memorial da criação (Êxodo 20:8-11), será a marca do reconhecimento da autoridade de Deus (Ezequiel 20:20). Não se deixe enganar. Estude a Bíblia! Os vídeos abaixo podem ajudar você a ter uma visão mais clara sobre tudo isso. [MB]

Relatório climático da ONU diz que o fim da humanidade está próximo

“Precisamos de mudanças comportamentais em todos os níveis: indivíduo, comunidades, negócios, instituições e governos”

fim

O vazamento de parte de um novo relatório climático da ONU revela um terrível alerta para a humanidade: estamos à beira da destruição do planeta. O grande culpado seria o agravamento irreversível das mudanças climáticas. Segundo o Futurism, o relatório é composto por quatro mil páginas, mas sua mensagem principal pode ser resumida em uma frase: a humanidade bagunçou o clima da Terra e estaremos colhendo os frutos que plantamos em breve. O documento, que deve ser divulgado apenas em fevereiro de 2022, também ressalta que pode ser tarde demais para conseguir influenciar as autoridades nas próximas cúpulas da ONU sobre temas como a mudança climática e a biodiversidade. Algo que, segundo os especialistas, reforça a possibilidade de que o tempo da humanidade pode estar chegando ao fim.

Especificamente, o relatório prevê eventos de extinção em massa, temperaturas cada vez mais altas, o aumento de surtos de doenças, o aumento do nível do mar e, por fim, o colapso total de diversos ecossistemas já nas próximas décadas. “A vida na Terra pode se recuperar de uma mudança drástica no clima, evoluindo para novas espécies e criando novos ecossistemas. Os humanos não podem”, diz o documento.

No fim, embora alguns países tenham feito progresso em relação às metas climáticas, a ONU indica que as “rodas da devastação” relacionadas ao clima já foram colocadas em movimento.

Para tentar reverter o processo, o documento destaca que o mundo inteiro precisará tomar medidas drásticas e imediatas para que não passemos do chamado ponto sem volta: “Precisamos de mudanças comportamentais em todos os níveis: indivíduo, comunidades, negócios, instituições e governos. Devemos redefinir nosso modo de vida e consumo”.

(Olhar Digital)

Nota: Você já ouviu falar em “Domingo do Clima”. As igrejas da Grã-Bretanha e da Irlanda estão sendo convocadas a realizar um culto com foco no clima em qualquer domingo antes da COP26 (em novembro de 2021). Até agora, mais de mil igrejas se uniram, incluindo a de St Lawrence. A ideia é deixar um legado duradouro de milhares de igrejas mais bem equipadas para lidar com essa questão crítica como parte de seu discipulado e missão, e fazer uma contribuição significativa aos esforços da sociedade civil para garantir uma ação nacional e internacional adequada na COP26. A ação coletiva e os compromissos das igrejas locais em toda a Grã-Bretanha e Irlanda serão apresentados ao governo do Reino Unido no Serviço de Domingo do Clima das Nações em Glasgow, no domingo, 5 de setembro de 2021.

Mais informações podem ser encontradas em: climatesunday.org

Filme da Netflix alimenta onda ECOmênica

Fox News: o iminente lockdown/bloqueio climático

“Se você acha que as forças que sustentam Biden não estão pensando em declarar uma emergência climática de alguma forma durante seu primeiro mandato, não tem prestado muita atenção. Um relatório divulgado ontem pela Agência Internacional de Energia nos deu uma prévia do que pode estar por vir. E, claro, os bloqueios deram a eles o mapa perfeito de como exercer controle sobre a população. Não acredite apenas na minha palavra. Eles admitem isso. A crise da Covid demonstrou que as pessoas podem fazer mudanças comportamentais em velocidade e escala significativas se entenderem que as mudanças são justificadas. Agora seremos obrigados a ficar em casa por causa do clima?”

(Fox News, 20/5/2021)