Cientistas detectam sinais de rádio vindos do espaço

radiotelescopeSerá que estamos mesmo sozinhos? Foram detectados sinais de rádio no espaço com origem ainda desconhecida. E eles não têm origem humana, alegam os autores da descoberta, feita a partir do telescópio Molonglo. A informação foi confirmada por uma equipe de cientistas australianos e depressa levou aos rumores de que as ondas de rádio poderiam ter sido enviadas por extraterrestres, conta o The Telegraph. Manish Caleb, pesquisador da Universidade de Swinburne, admitiu que a grande prioridade é descobrir de onde é que as ondas vieram. Devido às caraterísticas do telescópio, temos 100% de certeza de que as ondas [de rádio] vieram do espaço. Descobrir de onde vieram é a chave para entender quem as provocou”, explicou Caleb. Com uma capacidade de abrangência de cerca de 59 quilômetros, com um amplo campo de visão e ao contrário dos telescópios convencionais, Molonglo consegue detectar simultaneamente múltiplos sinais de luz no céu, uma caraterística que permitiu aos astrônomos distinguir os sinais locais dos cósmicos. No entanto, ainda há aspectos que planejam melhorar, como as configurações para identificar a origem dos sinais de rádio.

Só uma explosão não é suficiente para se conseguir associar a uma galáxia em específico. Esperamos que Molonglo possa estar apto para detectar muitas mais”, revelou ainda o pesquisador.

Mas não é a primeira vez que um episódio semelhante acontece. Em 2007 foram detectadas ondas de rádio misteriosas, através do telescópio Parkes, na Austrália, o que não tardou a gerar especulações. A explicação de que os sinais poderiam ser causados pela interferência com outros sinais no planeta Terra ganhou força, especialmente no ano de 1998, quando se chegou à conclusão de que um conjunto de sinais semelhantes, identificados também pelo Parkes, foram provocados por um micro-ondas numa cozinha das imediações [confira aqui].

(Observador)

Nota: A vontade de encontrar evidências de vida inteligente fora da Terra é grande, e a crença de que isso possa acontecer um dia envolve muita gente, inclusive cientistas que se dizem descrentes. Assista ao vídeo abaixo para entender as implicações dessa “onda”. [MB]