Ele se entregou a Jesus, e o Apocalipse foi a “isca”

Gil_e_VivianSempre tive particular interesse pelo livro do Apocalipse, desde criança, para ser mais exato. Engraçado que naquela época os adultos me diziam: “Menino, pare de ler isso”, mas eu não parava; eu gostava demais disso! Ficava fascinado ao imaginar aquelas cenas. Entendia que algo grandioso estava acontecendo ali. Os anos foram passando, vieram a puberdade, os estudos para entrar na universidade, e aquele velho interesse pelo Apocalipse adormeceu. Mas, como diz uma certa canção: “Quando a gente tenta / De toda maneira / Dele se guardar / Sentimento ilhado / Morto, amordaçado / Volta a incomodar.”

Essa é uma música do cantor Fagner; interessante que o nome dela é “Revelação”. E assim aconteceu; aquele sentimento, aquele desejo de ler o Apocalipse que eu havia deixado ilhado, morto e amordaçado voltou a incomodar. Novamente ressuscitou em mim o interesse por esse livro abençoado.

Nessa nova fase de leitura, eu tinha um entendimento mais amplo, mas isso não me impediu de ser afetado por falsas interpretações. Com sinceridade, eu buscava entender aquilo que não estava claro, e muitas vezes fui iludido por interpretações frágeis (algumas falsas mesmo). A cada descoberta da falsidade de um sistema interpretativo se seguia um período de frustração.

Não lembro exatamente quando tive contato pela primeira vez com o sistema de interpretação adventista; acho que faz uns dez anos, aproximadamente. Naquela época, comecei a me dedicar a entender como os adventistas interpretam a Bíblia. Foi um longo caminho, cheio de contratempos, de desistências, mas o sentimento lá dentro não me deixava quieto; eu tinha sempre que recomeçar.

Quando li O Grande Conflito pela primeira vez fiquei confuso e admirado; pensei: “Então é isso, é assim?” O impacto foi tão forte que tive que abandonar essas coisas por um tempo. E de todos os assuntos, o que mais me causou arrepio foi o sábado. Eu concordava com tudo, menos com o sábado. A revelação é impressionante, mas ela incomoda se for amordaçada; eu não suportava mais isso. Há aproximadamente cinco anos, minha esposa e eu começamos a guardar o sábado por conta própria, e continuamos estudando. Mas nunca vinha aquele desejo de tomar uma decisão de entrar para a igreja, afinal de contas, podemos aprender em casa, lendo e assistindo, assim pensávamos.

Tudo bem, pensei; já guardo o sábado e já entendi os assuntos escatológicos. Mas ainda havia uma coisa estranha nisso tudo: Como seria possível fazer o mundo parar aos domingos? Fiquei com essa dúvida enquanto deixava o tempo passar. Foi então que veio a pandemia. Que impacto! Percebi que desperdicei anos da minha vida longe da igreja, longe do contato com pessoas que têm a mesma fé, que têm a mesma esperança; e agora estamos proibidos de nos reunir. Percebi que, sim, é possível fazer o mundo parar; podemos parar por vários dias, semanas, até meses. Fica claro que será bem aceita a sugestão de parar apenas um dia na semana.

E agora? Quero pertencer à igreja; quero ser batizado; quero tornar pública minha aceitação de Cristo como meu Salvador. Conversei com amigos adventistas da minha cidade, conversei com o pastor local e, obedecendo às regras de distanciamento social e uso máscaras e álcool, em um momento de flexibilização da quarentena na cidade, foi realizado um pequeno culto, com menos de dez pessoas, e então fomos batizados, minha esposa e eu.

Muito obrigado, Michelson! Sua oração foi atendida. Você conseguiu levar mais duas pessoas a Cristo. Foram anos ouvindo e assistindo você, lendo suas matérias. Oro todos os dias por você e por muitos outros servos de Deus que me conduziram a Cristo. Hoje faço a mesma oração que você faz; é infalível! Já fui atendido e estou dando estudos bíblicos. A oração é esta: “Senhor, mostre-me pessoas que precisam conhecer Tua Palavra.”

Louvo a Deus por ter sido tão paciente comigo.

Gildemar C. Saturnino

P.S.: Gosto de desenhar e, aproveitando a oportunidade, envio uma arte que mostra de modo bem rápido e prático o fundamento do sábado em quatro tópicos. Fique à vontade para utilizar essa arte.

Sábado, 4 pontos