Evidências arqueológicas que confirmam a Bíblia

Anúncios

Precisa-se de valdenses modernos

jeffEm minha última viagem missionária (a Criciúma, SC), tive a alegria de conhecer alguns familiares do pastor Michelson Borges. Na foto ao lado, estão uma de suas irmãs e sua mãe. Ao finalizar o culto, enquanto cumprimentava os irmãos da igreja, uma senhora introvertida, mas com um sorrido bastante simpático, me saudou e permaneceu perto do local onde eu estava. Nesse momento, alguns membros da igreja se aproximaram e disseram que o nome dela é Enedina dos Santos Borges, a mãe do pastor Michelson. Fiquei muito contente em conhecer a mãe de alguém que admiro muito. Mas o melhor ainda estava por vir…

Um dos irmãos que estavam no mesmo local me contou que a dona Enedina estava concluindo pela terceira vez um plano de leitura bíblica muito diferente e mais desafiador do que aquele que conhecemos. Junto com a leitura bíblica ela copia as Escrituras manualmente. Confesso que fiquei impressionado!

Naquele momento, meus pensamentos foram rapidamente desviados daquela cena e lembrei dos Valdenses: “De seus pastores recebiam os jovens instrução. Conquanto se desse atenção aos ramos dos conhecimentos gerais, fazia-se da Escritura Sagrada o estudo principal. Os evangelhos de Mateus e João eram confiados à memória, juntamente com muitas das epístolas. Também se ocupavam em copiar as Escrituras. Alguns manuscritos continham a Bíblia toda, outros apenas breves porções, a que algumas simples explicações do texto eram acrescentadas por aqueles que eram capazes de comentar as Escrituras” (O Grande Conflito, p. 68).

Além dos Valdenses, comecei a pensar no trabalho ardoroso de alguns servos de Deus que se propuseram a traduzir toda a Bíblia, em uma época obscura, para seus idiomas maternos: John Wycliffe e Tyndalle (ingleses), Martinho Lutero (alemão), Lefèvre (francês), Olavo e Lourenço Petri (suecos) e outros.

Em questão de segundos tudo isso passou pela minha cabeça, até que com os lábios louvei a Deus porque ainda existem pessoas comprometidas com Sua Palavra e dispostas a gastar tempo com ela.

Posteriormente, já em meu leito e refletindo um pouco mais sobre essa experiência, surgiu a preocupação ao pensar na próxima geração de cristãos/adventistas. Não consigo ver o mesmo comprometimento com a Palavra de Deus, ou melhor, estamos bem longe da realidade cristã protestante reformada. Talvez por isso o Dr. Alberto Timm tenha escrito em 2001 um artigo clássico que ficou na memória dos adventistas mais antigos: “Podemos ainda ser considerados o povo da Bíblia?”

Sugiro a você a leitura desse artigo. Basta clicar aqui, buscar a Revista Adventista de junho de 2001 e ler o artigo mencionado.

No mais, fica o apelo de Deus através de Ellen White para que haja mais Valdenses, mais Tyndalles, mais Luteros, mais Lefèvres, mais Petris e mais Enedinas nas próximas gerações: “O Senhor deseja que estudeis a Bíblia” (Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 29).

(Jefferson Araújo é orador do canal Última Verdade Presente)

Nota: Obrigado, Jefferson, por essa homenagem à minha querida mãe. De fato, ela é uma inspiração para nós. Sabe por que três cópias da Bíblia? Ela tem três filhos… [MB]

Isaías previu a destruição da Síria?

A Carta: Marcos 10

Os perigos da crença na imortalidade da alma

imortalidade

Alguns cristãos não conseguem perceber as implicações bíblicas de acreditar na imortalidade da alma. Eis algumas delas:

1. Espíritos enganadores personificam os mortos trazendo mensagens que supostamente vem do céu mas que contrariam a Palavra de Deus;

2. O caráter de Deus é mal representado pela crença de que as almas dos ímpios queimará por toda a eternidade, enquanto os santos gozarão da vida eterna.

A Bíblia revela que haverá condenação para os ímpios. Entretanto, cada um receberá de acordo com as suas obras. O lago de fogo consumirá definitivamente pecados e pecadores;

3. O sacrifício de Jesus Cristo como o único doador da imortalidade é minimizado, uma vez que a imortalidade é inerente aos seres humanos;

4. A bendita esperança da ressurreição dos mortos perde a sua validade. Se ao morrer os seres humanos já são imediatamente recompensados com o céu, qual a razão da ressurreição?

5. A principal doutrina bíblica, a segunda vinda de Jesus, perde sua razão de existir, uma vez que ao morrer os salvos já estão com Ele no Reino dos céus.

Bíblia, juntamente com livro e autora adventistas, está na lista dos mais citados

readingHá uma década, todos os anos, a Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza na América do Sul um projeto de incentivo à leitura com distribuição gratuita de milhões de livros sobre saúde, espiritualidade, histórias de vida e outros conteúdos. O projeto é chamado de Impacto Esperança e tem mobilizado os membros da denominação em oito países sul-americanos, os quais vão às ruas, aos estabelecimentos comerciais, aos sítios, às casas e realizam a entrega das obras como um presente da igreja. De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (em sua quarta edição), realizada pelo Ibope sob encomenda do Instituto Pró-Livro, o projeto adventista tem dado certo, afinal, o livro Em Busca de Esperança e a autora Ellen G. White estão na lista dos mais citados pelas pessoas.

Uma boa notícia é que, segundo a pesquisa, o número de leitores no Brasil subiu seis pontos percentuais entre 2011 e 2015. Os dados foram divulgados na quarta-feira (18) e o levantamento teve abrangência nacional. O país tem hoje quase 105 milhões de leitores, ou seja, 56% da população.

“A Bíblia foi citada como o ‘gênero’ que mais costuma ser lido entre aqueles que não estão estudando, sendo citada por 50% dos entrevistados com esse perfil. Entre os estudantes, a Bíblia foi citada por 31% dos entrevistados, mesmo percentual da resposta ‘contos’, seguida por ‘didáticos’, com 28%”, informa a matéria publicada no portal G1.

Interessante é que a segunda maior motivação para ler foi a religiosa, atrás apenas do “gosto ou interesse pessoal”. Isso mostra que o projeto Impacto Esperança está alinhado com uma das preferências do leitor brasileiro. Ellen White está na 11a posição na lista de autores mais citados, na frente de Machado de Assis, Fábio de Melo, Maurício de Souza e Edir Macedo.

Capa6peqO livro missionário escolhido para ser distribuído neste ano, a partir de maio, tem como título O Poder da Esperança: Segredos do bem-estar emocional. Escrita pelo psicólogo espanhol Julián Melgosa e pelo jornalista brasileiro Michelson Borges, a obra fala de depressão, ansiedade, estresse, vícios e outros problemas especialmente comuns no século 21. Aliando a boa ciência com a boa teologia bíblica, o livro apresenta recursos que podem ajudar as pessoas a ter mais saúde emocional e uma vida com propósito.

Há mais de cem anos, Ellen White escreveu: “Pela página impressa a luz alcança os que estão mais isolados, que não têm oportunidade de ouvir os pregadores em pessoa. Esse é um trabalho missionário dos mais abençoados. Os colportores [e todos aqueles que distribuem livros missionários] podem ser a mão auxiliadora do Senhor, abrindo portas para a entrada da verdade” (O Colportor Evangelista, p. 20).

Quem mudou a santa e eterna lei de Deus?

mosesMeu nome é Vanderlei Ricken, sou bibliotecário do Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (Iacs), situado em Taquara, RS. Amo livros! O valor que damos a um livro é proporcional ao sentido que ele tem em nossa vida. Um livro pode até ter sido obtido de forma gratuita, mas ter um grande significado para você. Uma das razões para atribuirmos valor a um livro é a confiança que temos no autor. Por exemplo, se acreditamos em Deus, a Bíblia será revestida de uma autoridade e significância incomparáveis. Afinal, cremos que homens santos escreveram inspirados por Deus. A única parte da Bíblia que foi escrita por Deus mesmo, com Seu próprio dedo, foram os dez mandamentos. Nesse sentido, podemos dizer que a Bíblia é Sagrada, mesmo não tendo sido escrita diretamente por Deus. Os dez mandamentos, porém, são a essência do que há de mais sagrado, pois retratam o caráter divino. E o próprio Deus os redigiu (confira em Êxodo 24:12; 31:18; 32:15, 16; 34:1, 28; Deuteronômio 4:13; 5:22; 9:10; 10:2, 4).

Fui ensinado a ter muita reverência pela Bíblia Sagrada. Jamais permito que outro livro esteja sobre ela. É sempre a Bíblia Sagrada sobre os demais livros. Minha mãe guardava dinheiro dentro da Bíblia: roubar já seria terrível; roubar algo dentro da Bíblia seria inimaginável! Até meus irmãos “se aproveitavam” para me forçar a confessar algum mal feito, ao me forçar a colocar a mão sobre uma Bíblia, em juramento solene.

Quando aos 12 anos de idade fui confrontado pelo Volnei, meu irmão, a ler os dez mandamentos na Bíblia Sagrada, um desencanto pela Igreja Católica nasceu no meu coração. Havia feito a Primeira Comunhão pouco tempo antes e aprendido os dez mandamentos pelo Catecismo. E, agora, estava conhecendo os verdadeiros dez mandamentos.

dez mandamentos

Ao contemplar e comparar os dois conjuntos de Dez Mandamentos, pude perceber omissões, adulterações e manipulações na santa Lei de Deus. Pelo Catecismo eu havia aprendido uma “versão Frankenstein” dos Dez Mandamentos. Eles estavam total e tristemente mutilados.

De forma fantástica já havia uma profecia anunciado que haveria, de fato, uma tentativa de mudança na santa lei de Deus. Está em Daniel 7:25, que menciona um poder contrário ao Reino de Deus. O mais incrível é que essa alteração na lei seria feita por um sistema religioso dominante. Quando descobri isso, decidi ficar com a Bíblia Sagrada.

Sei que alguns podem duvidar e questionar, e é até bom desenvolver um senso crítico que exija evidências mais comprobatórias para o que afirmamos. Felizmente, existe ampla variedade de livros católicos que comprovam a autoria da mudança na santa Lei de Deus. Dentre os vários livros católicos a que podemos recorrer, quero apresentar um de fácil aquisição, mesmo nos dias atuais: o Catecismo Romano de Frei Leopoldo Pires Martins, publicado pela Editora Vozes em 1951 (versão fiel da edição autêntica de 1566). Na página 440, está escrito: “Escolha do domingo: A igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado.”

Imagine chegar ao ápice de presunção religiosa a ponto de tentar mudar os Dez Mandamentos, por conveniência! Uma espécie de religião de conveniência.

catecismoEu gostaria muito que você tivesse esse Catecismo Romano em suas mãos, para você mesmo poder comprovar com os próprios olhos o que estou dizendo. Ler esse texto diretamente na fonte e poder mostrar aos outros no documento primário é fundamental para dar credibilidade ao que você estiver falando.

A notícia boa é que você pode adquirir esse Catecismo Romano com a Ângela Britto pelo e-mail: angelabio_es@hotmail.com ou pelo WhatsApp 27 99987-6668. Não perca a oportunidade de ter um documento católico que confirma a autoria católica da mudança na santa Lei de Deus.

Diante do que você leu até aqui, gostaria ainda de lembrar Apocalipse 12:17 que apresenta duas posições. Apenas duas. Nada além de duas posições. De um lado um dragão irado contra quem guarda os mandamentos de Deus. De outro lado os fiéis observadores dos Dez Mandamentos. A pergunta que vale uma vida eterna é: De qual lado você está? Do lado do dragão, irado contra quem guarda os mandamentos de Deus, ou do lado dos fiéis? Em qual lado você está? Em qual lado você deveria estar?

Como diz a música do padre Zezinho: “A decisão é tua. A decisão é tua.”