Comercial reforça ideia da vinda dos extraterrestres à Terra

Conforme já afirmei em palestras e textos aqui no blog e em meu canal no YouTube, a indústria cultural hollywoodiana tem dado grande contribuição para reforçar a ideia de que um dia faremos contato com seres alienígenas. O maior ícone dessa ideia foi o filme “E.T.: o Extraterrestre”, grande sucesso de bilheteria dos anos 1980, do aclamado diretor Steven Spielberg. O filme termina com o alienígena se despedindo de seu amigo (um garotinho chamado Elliott), dizendo que estaria para sempre com ele. A empresa de telecomunicações norte-americana Xfinity promoveu o reencontro dos personagens 37 anos depois, em um novo comercial de fim de ano com ares de superprodução, exibido no Dia de Ação de Graças.

Terremoto de 3.2 graus atinge a região de Ouro Preto, em Minas Gerais

abaloUm terremoto de 3.2 na Escala Richter atingiu a cidade de Ouro Preto na noite de hoje, aponta a Defesa Civil de Minas Gerais. Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, o tremor relatado por moradores de Congonhas, que fica a 57 quilômetros de distância de Ouro Preto, foi da passagem desse fenômeno. As autoridades da região afirmaram ainda que o tremor foi sentido pelos moradores em diversos pontos da cidade de Congonhas, que abriga a barragem Casa de Pedra, da CSN Mineração. “Tivemos informações tanto da Unimontes como do centro da USP e de Brasília apontando que a causa do tremor foi um abalo sísmico na cidade de Ouro Preto. Não houve nenhuma detecção [da origem do tremor] em Congonhas propriamente dito”, explicou Godinho. “A detecção foi feita por dez centros de sismologia [no total]. E também tivemos um outro caso [de abalo] em Buritis (MG), cidade mais próxima de Goiás e Brasília”, acrescentou o porta-voz. A Defesa Civil ainda informou que, a princípio, a verificação com drones e piezômetro na barragem Casa de Pedra não apresentou nenhuma anormalidade. Segundo a assessoria dos Bombeiros de Congonhas, não houve nenhum tipo de dano ou vitima na cidade, somente “temor da população do risco de rompimento de barragem”.

(UOL Notícias)

Animais estão recebendo a marca da besta?

chip2O chip possui um número único que, quando analisado por um leitor, fornece dados como nome e endereço do proprietário, raça e idade do animal, entre outros

A Federação Brasileira de Animais Domésticos e de Cativeiro está convidando os donos de animais domésticos para providenciar a identificação de seus bichinhos por meio de um chip que deverá ser aplicado nas costas deles. O procedimento é simples e feito com uma seringa. Assim, o animal ficará cadastrado em um banco de dados, o que facilitará a identificação dele, inclusive em viagens ou quando estiver perdido ou for roubado. A Federação explica que o chip é como um CPF eletrônico, não possui opção de rastreamento nem precisa ser carregado na eletricidade. O componente eletrônico é encapsulado em biovidro, mesmo material utilizado na fabricação de marcapassos, e que não causa rejeição.

No município de Lençois Paulista, por exemplo, o projeto já está em andamento. Pelo programa desenvolvido lá, todos os cães e gatos recolhidos nos abrigos municipais, além dos animais que passarem pelo programa de castração, receberão um chip de identificação com os dados do animal e do proprietário. Se esse bichinho for encontrado na rua depois de chipado, a prefeitura terá condições de identificar o proprietário e aplicar as medidas legais que estão previstas na Lei de Maus Tratos e Abandono.

Essa tecnologia será utilizada em seres humanos? Já existem propostas nesse sentido e, talvez, essa aplicação do chip em animais seja uma espécie de “ensaio” para um próximo passo. Pessoas chipadas serão mais facilmente identificadas (se bem que, em tempos de internet, Google e celular, dificilmente alguém consegue se esconder neste mundo interconectado). Quando e se esse momento da chipagem humana chegar, será preciso tomar uma decisão: aceitar a tecnologia que ajudará a eliminar todos os tipos de documentos arcaicos e facilitar a identificação pessoal e o controle, ou não aceitar. Que cada um esteja bem informado a respeito do assunto e em conexão com Deus para saber exatamente o que fazer.

Mas quero chamar atenção para outro detalhe ligado a esse assunto: muitos evangélicos e até católicos consideram o chip a marca da besta de Apocalipse 13 (assim como já consideraram também o código de barras, por exemplo). Isso revela falta de conhecimento bíblico e uso de textos fora de seu contexto. Se o chip fosse a marca da besta, esses animaizinhos – coitados – já estariam recebendo a tal marca. Agora pense em pessoas ímpias, egoístas, adúlteras, idólatras e que se recusem a receber o biochip. Sem o chip esses impenitentes estariam salvos? E pessoas sinceras, convertidas, mas que não estejam convencidas de que o chip seja (como não é) a marca da besta? Só por recebê-lo já estariam perdidas? Além disso, o Apocalipse diz que a marca da besta será aplicada na fronte ou na mão direita. Não vi em lugar nenhum a informação de que o chip será aplicado na testa, até porque ali ficaria aparente.

Convido você a assistir ao vídeo abaixo a fim de conhecer melhor esse assunto. [MB]

ESTUDO BÍBLICO 05: Jesus prometeu voltar

“Ecocídio”: papa Francisco quer introduzir o “pecado ecológico” no catecismo

papaO papa Francisco anunciou que a Igreja Católica planeja introduzir o “ecocídio” ou “pecado ecológico” no catecismo, “já que o comportamento contra o meio ambiente causa danos à casa comum”, disse Bergoglio durante seu discurso no XX Congresso Internacional da Associação de Direito Penal, realizado em Roma na semana passada, informou a Europa Press. Durante o congresso, o papa definiu o “novo pecado” como qualquer “ação ou omissão que se manifesta em atos e hábitos de poluição e destruição da harmonia ambiental”. O papa então avisou que estava observando um comportamento “suicida” por parte de um sistema econômico mundial que transformou o planeta em um “depósito de lixo”. Além disso, Francisco disse que “o estilo de vida atual é insustentável” e denunciou o “mecanismo consumista compulsivo” que contribui para a destruição do planeta.

Em suas recentes declarações sobre o conceito de “ecocídio”, Bergoglio não se afastou dessa posição. Ele afirmou que “a Igreja planeja introduzir um ‘pecado ecológico’ contra a casa comum no catecismo da Igreja Católica, porque é uma obrigação”.

Bergoglio disse que o “ecocídio” é entendido como “a contaminação maciça de ar, terra e recursos hídricos, destruição em larga escala da flora e fauna e qualquer ação capaz de produzir um desastre ecológico ou destruir um ecossistema”. “Um senso elementar de justiça imporia que alguns comportamentos, pelos quais as empresas são geralmente responsáveis, não sejam deixados sem punição. Em particular, todos aqueles que podem ser considerados ‘ecocídios’”, disse o papa Francisco durante sua reunião com criminalistas.

Ele acrescentou que o mundo está enfrentando “crimes contra a paz”, que devem ser reconhecidos como tal pela comunidade internacional. “Nessa circunstância, e através dela, eu gostaria de chamar todos os líderes e líderes do setor para contribuir com seus esforços para garantir a proteção legal adequada de nossa casa comum”, acrescentou o papa.

No documento final do Sínodo da Amazônia, os bispos insistiram precisamente na necessidade de definir o pecado ecológico “como uma ação ou omissão contra Deus, contra outros, a comunidade e o meio ambiente, que se manifesta em atos e hábitos de poluição e destruição da harmonia do meio ambiente, bem como na transgressão contra os princípios da interdependência e a ruptura das redes de solidariedade entre criaturas e contra a virtude da justiça”.

No final do Sínodo, os bispos também insistiram em criar “ministérios especiais” para a promoção da Ecologia Integral no nível paroquial e em cada jurisdição eclesiástica, cujas funções incluem, entre outros, o cuidado do território e das águas, bem como a promoção da encíclica “Laudato Si”.

“A Ecologia Integral não é mais um caminho que a Igreja pode escolher para o futuro neste território, é o único caminho possível, porque não há outro caminho viável para salvar a região”, enfatizaram os bispos.

(Conexão Política)

Nota: É o caminho sendo preparado para que, no futuro, sejam consideradas pecadoras pessoas tidas como antiecológicas por não aceitar todos os decretos que visam supostamente à proteção do meio ambiente. Aliás, criar pecados é atribuição humana? [MB]

Sínodo da Amazônia: papa Francisco vai combater “pecado ecológico”

papaTerminou neste sábado 26 o Sínodo da Amazônia, um encontro promovido pela Igreja Católica para debater as questões ambientais e sociais da região da floresta. O evento teve início em 6/10 e reuniu bispos, padres, freiras, acadêmicos e membros de organizações internacionais representando os nove países da região amazônica. As discussões do Sínodo aconteceram na Cidade do Vaticano, em Roma. […] O papa Francisco é o pontífice que mais deu atenção às causas ambientais – e à importância dessas pautas para as populações mais vulneráveis. A encíclica Laudato Si [aquela que trata do descanso dominical como proposta para minimizar as agressões ao meio ambiente], de 2015, por exemplo, responsabiliza os bilionários pela devastação do meio ambiente.

No mesmo ano, em encontro com movimentos sociais em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, o papa Francisco declarou que é preciso apoiar os mais pobres com os três “Ts”: terra, trabalho e teto. […]

O documento final do encontro, publicado no sábado 26/10, denunciou as “ameaças à vida” na Amazônia e afirmou que a verdadeira defesa da floresta depende do combate ao “pecado ecológico”: “Propomos definir o pecado ecológico como uma ação ou omissão contra Deus, contra o próximo, a comunidade e o meio ambiente. É um pecado contra as gerações futuras e se manifesta em atos e hábitos de contaminação e destruição da harmonia do ambiente, transgressões contra os princípios da interdependência e a ruptura das redes de solidariedade entre criaturas e contra a virtude da justiça.”

mae terra

“Todos os participantes expressaram uma grande consciência da dramática situação de destruição que afeta a Amazônia. Isso significa o desaparecimento do território e dos seus habitantes, especialmente os povos indígenas”, diz o documento. “A floresta amazônica é um ‘coração biológico’ para a Terra cada vez mais ameaçada. Ela está em uma corrida desenfreada rumo à morte. Requer mudanças radicais com grande urgência, uma nova direção que permita salvá-la. Está cientificamente comprovado que o desaparecimento do bioma da Amazônia terá um impacto catastrófico para todo o planeta.”

O texto também ataca a “apropriação e privatização dos bens da natureza”, como a ação de madeireiros, a caça desenfreada, a contaminação causada pela indústria e as mudanças climáticas.

Leia o texto completo do documento final do Sínodo da Amazônia no site Vatican News.

(Conversa Afiada)

“Ensinava-se-lhe ser o papa seu mediador terrestre, e que ninguém poderia aproximar-se de Deus senão por seu intermédio; e mais ainda, que ele ficava para eles em lugar de Deus [único que pode dizer o que é pecado] e deveria, portanto, ser implicitamente obedecido” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 55).

Você precisa ver Daniel e Apocalipse

Daniel & RevelationDe acordo com David Ausubel (1918-2008), conhecido pela Teoria da Aprendizagem Significativa, quanto mais sabemos, mais temos desejo de buscar aprendizado, e quanto maior o domínio das informações da aprendizagem, maior o desejo de caminhar adiante. Ou seja, a aprendizagem precisa ser significativa. Significativo para mim sempre foi “ver” o que eu aprendia e o que eu ensinava. Exemplo: ao ensinar Gramática, partia do todo, como de uma poesia sobre primavera, e, pinçando frases como “O girassol volta-se para o Sol”, escolhia meu objeto: substantivos simples e compostos. Percebeu que na frase destacada temos o Sol nas duas categorias? De substantivo simples e composto!

Outro exemplo: para ensinar o conteúdo Bairro ou Comunidade, partia do globo, dividido em duas grandes partes: Mares e Continentes, fragmentando as partes até chegar ao meu centro de interesse: o Bairro ou a Comunidade. Metodologia partindo do todo para as partes.

Então fui ser professora de Ensino Religioso. A ideia continuava na minha cabeça: Haveria um método de Aprendizagem Significativa para as aulas? As profecias bíblicas, que sempre me fascinaram, por exemplo, estariam sobre alguma plataforma que nos permitisse vê-las do todo para as partes? Certo professor de Teologia costumava dizer que as doutrinas bíblicas orbitam o Santuário. De novo me perguntava se daria pra gente “ver” isso.

Algumas citações de Ellen White me inquietavam e pareciam confirmar minhas pressuposiões: “Os livros de Daniel e Apocalipse devem ser encadernados juntos” (Obreiros Evangélicos, p. 117). E outra: “O livro do Apocalipse, em conexão com o de Daniel, exige especial estudo. Todo professor temente a Deus considere da maneira mais clara compreender e apresentar o evangelho que nosso Salvador veio em pessoa tornar conhecido a Seu servo João (Educação, p. 191). Ela parecia dizer para mim que eu precisava “ver” os livros, do todo para as partes. E era isso mesmo! Fomos montando um grande quadro de palavras-chave retiradas dos vários capítulos de Daniel e Apocalipse, com colunas (na vertical) que podem ser divididas em 2, 5 ou 7 episódios,
em LINHAS (na horizontal). Cada palavra-chave, seguindo a sequência do texto bíblico e da História, formou aquele que intitulei “Quadro Mosaico”, porque foi mesmo como montar um grande quebra-cabeças.

Descobri que eu podia, sim, “ver” as profecias do todo para as partes. E isso tornava tudo muito significativo; e, sendo significativo, favorece a aprendizagem! Então, vamos olhar panoramicamente para o Quadro Mosaico e pinçar algumas informações? Observe que a última linha representa a volta de Jesus, que vamos chamar de Linha Tabernáculos. Note também que a linha 6 está em destaque, e vamos chamá-la Linha da Expiação. Então, vamos começar por ela, analisando um dos temas mais controversos do adventismo: o Juízo Investigativo Pré-Advento.

  1. A Expiação ou Julgamento Pré-Advento está na coluna de Daniel 7. Lemos ali que os impérios do Leão (Babilônia), do Urso (Medo-Pérsia), do Leopardo (Grécia), do Terrível e Espantoso (Roma) e do Chifre Pequeno (Roma Papal) iriam passar; e a História confirma cada uma das datas. Em seguida, veja na Bíblia que a cena mudou. Deus mostra para Daniel uma cena de julgamento: “E foram postos uns tronos […] e se abriram os livros” (Ap 7:9, 10). Encerrando a sequência, lemos que “os santos do Altíssimo receberão o reino” (Dn 7:18). Olhe novamente a coluna de Daniel 7. Há um julgamento pré-advento, quando aparecem tronos e livros abertos na sala do tribunal. Em seguida, na sétima linha, a volta de Jesus. Isso até criança entende, porque pode “ver”!
  1. Leia toda a coluna de Daniel 8. Esse capítulo também é desafiador. A sequência é: Carneiro, Bode, Ventos, Chifre Pequeno e 2.300 Tardes e Manhãs. Veja na linha 4 que Ferro, Terrível e Espantoso e Ventos representam a mesma coisa: Roma. Sim! “Ventos” é um lugar, um ponto cardeal. Significa dizer que em algum lugar da terra ou de um dos pontos cardeais saiu um Chifre Pequeno. Olhe a linha 5. O Chifre Pequeno aparece em Daniel 7 e 8. Ambos aparecem na linha 5, depois de Roma, porque o Chifre Pequeno sai de Roma e não da Grécia.
  1. Vamos procurar a China nesse Quadro Mosaico? Olhe a coluna de Daniel 7. Assim como passou Babilônia em 539, Medo-Pérsia em 331, Grécia em 168, passou Roma Ocidental em 476 d.C., Roma Papal em 1798, vai passar a China também! Porque a China cresce, sim, como império emergente, mas ela não ocupa espaço nas profecias; então, em algum momento, vai passar. Digo isso porque algo semelhante já aconteceu. Cruze a linha 6 com a coluna das Trombetas. Encontrou o Islamismo? Pois bem. Deus nos avisou, por meio das profecias, sobre a duração e o declínio do Império Otomano. Surgiu como fumaça que escurece o sol e o ar (Ap 9:2); e como gafanhotos e escorpiões (Ap 9:3) atormentando os homens por “cinco meses” (Ap 9:10), ou 150 anos. Mas seu declínio ocorreria em “a hora, o dia, o mês, o ano” (Ap 9:15), precisamente. Bem, a História nos diz que Otman (1259-1326) declarou-se sultão em 1299 e seu territótio passou a ser reconhecido como Império Otomano (Maometano). Por 150 anos cresceu fazendo sombra para o Império Romano Oriental. Mas o tempo do império estava profetizado e seria por exatos “a hora” ou 15 dias; “o dia” ou 1 ano; “o mês” ou 30 anos; “o ano” ou 360 anos; que totaliza 391 anos finais. Somando 150 anos da quinta Trombeta com 391 anos da sexta Trombeta, partindo de 1299, chegamos a 1840. E você sabia que nessa data aí o império se desfez como fumaça? Assim como começou, declinou. Feito fumaça! Voltando à China, não é possível saber o que ocorrerá nos próximos anos, mas ela não aparece na profecia, e, portanto, também passará. Não acha interessante? E tem mais.
  1. Veja no Quadro Mosaico a coluna de Daniel 7 e 12. Na sexta LINHA de Daniel 7, o Filho do homem assentou-Se no tribunal e abriram-se os livros (olhe o quadro da direita). O juízo começou depois das 2.300 tardes e manhãs. E na coluna de Daniel 12 você encontra Miguel, que breve Se levantará, porque o juízo vai terminar, e
    acontecerá o fechamento da porta da graça, o tempo de angústia, a ressurreição que é simultânea à volta de Jesus.
  1. Observe toda a linha 6. Ela representa a sexta festa israelita: a Expiação, que era a festa da purificação do Santuário israelita, o dia do Juízo. No Quadro Mosaico, a Expiação aparece antes de Tabernáculos. Já vimos isso. Agora vamos montar um texto com as palavras-chave da linha 6 (em Daniel): a linha 6 é do julgamento pré-advento, que começou no fim das 2.300 tardes e manhãs; que iniciou com as 70 semanas e terminará quando Miguel Se levanta.. Agora vamos montar um texto com as palavras-chave da linha 6 (em Apocalipse): Filadélfia é a sexta igreja, para quem Deus disse “Eu te amo”; eles viram os sinais no Sol, na Lua e nas estrelas, que caíram na Nova Inglaterra (EUA); eles profetizaram o fim do Império Otomano, que emergiu em seus dias; eles profetizaram a ascensão dos EUA como o império emergente – o império representado pela sexta cabeça de Apocalipse 17.

A linha 6 nos diz muita coisa! Percebe que as profecias de Daniel e Apocalipse parecem ter sido escritas especialmente para a humanidade que vive hoje? Vou tentar ser mais clara: a linha 6 parte da Expiação, e Jesus cumpre o antítipo da Expiação hoje, no Santuário Celestial, desde 1844, quando Miguel Se assentou e abriram-se os livros (1844); no fim das 2.300 tardes e manhãs, período que começa com as 70 semanas e se encerrará com o conflito entre Norte e Sul; profecias pregadas pelos mileritas de Filadélfia, amados por Deus, grupo da Nova Inglaterra que pregou sobre os sinais do fim, que profetizou o declínio dos Otomanos e os EUA na profecia. Que maravilha! Faço parte desse grupo! Essa mensagem é da minha igreja! Sinto-me segura!

Em tempos difíceis como os de hoje, em que a religião sofre combates seríssimos, fazendo parecer que todos os caminhos levam a Deus e que verdade absoluta não existe, lembro-me das palavras de Jesus nos aconselhando a estudar as profecias porque Ele abençoa “aqueles que leem e aqueles que ouvem as palavras da profecia” (Ap 1:3). A linha 6 quase me permite ouvir a voz de Deus falando poderosamente: “Creia em Mim, filho. Você está seguro! Creia nas profecias e prosperará” (2Cr 20:20). Então, decido descansar nEle e prosseguir para frente e para o Alto.

Isso é tão empolgante que muitas palavras-chave me vêm à mente agora, e preciso compartilhar algumas com você, leitor. Lembro-me da palavra “Eufrates”, que aparece na sexta Trombeta e na sexta Praga. Interessante que ela não aparece no texto de Daniel, mas a seca do Eufrates na história de Daniel é imprescindível para clarear a compreensão sobre as duas secas do Eufrates no Apocalipse. Agora procure Antíoco Epifânio. Não está no texto, mas está na História. Sabe o conflito Norte e Sul antes de Cristo? Ele está situado ali. Foi um dos antíocos politeístas que desejaram eliminar a fé monotesita na Palestina; mas Deus o repreendeu por meio de Judas Macabeus. E a palavra-chave “Armagedom”? Veja onde ela está localizada no Quadro Mosaico. Isso nos diz que é algo envolvendo nossos dias, porque está na sexta linha, que está depois das seis últimas Pragas, depois das ações do falso profeta e logo antes da volta de Jesus. O último ato na velha Terra. E na coluna de Daniel 11 podemos posicionar várias personalidades, como Constantino, a rainha Ester, Cleópatra e Jesus. Sim, Jesus está posicionado na quarta linha de Daniel 11. Podemos vê-Lo na abertura do Apocalipse, no meio dos sete candeeiros, apresentando-Se como o “Primogênito dos mortos” (Ap 1:5). E podemos vê-Lo no fim do Apocalipse, apresentando-Se como “o Tabernáculo de Deus com os homens” (Ap 21:3). Enquanto Primogênito dos mortos, Ele é o Cordeiro morto e aponta para a Páscoa já cumprida. Enquanto Tabernáculo de Deus, aponta para o evento que aguardamos após a Expiação: Tabernáculos! Então, sim: “Haverá novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram” (Ap 21:1).

Consegui motivar você a conhecer mais as profecias? Vale a pena! Está escrito que, “quando os livros de Daniel e Apocalipse forem bem compreendidos, terão os crentes uma experiência religiosa inteiramente diferente. Ser-lhes-ão dados tais vislumbres das portas abertas do Céu que o coração e a mente se impressionarão com o caráter que todos devem desenvolver a fim de alcançar a bem-aventurança que deve ser a recompensa dos puros de coração” (Testemunhos para Ministros, p. 114).

(Myrtes Ribeiro é mestre em Teologia pelo Unasp-EC e mestre em Ciências da Religião pela Mackenzie-SP)

Conheça o livro Daniel e Apocalipse à Luz do Santuário (myrtes.ribeiro@unasp.com)